Dois pontos

Na hora do jogo: rumo a PQP Artur Perrusi _Ia colocar o quê? Disse a Dimas. _Rumo a quê? Tecnicamente, a série D é a PQP. É a mãe de todos os canalhas. É a mãe dos cardeais do clube. É a mãe de todos aqueles que estão acabando com o Santinha. A série D é a mãe que pariu os canalhas e os tolinhos! Voltem para sua mãe, seus filhos da mãe! Escrevo o quê? Nem utilizando meus poderes mutantes de psiquiatra entendo a mente alucinada de Bagé. Os tolinhos da diretoria de futebol contrataram o louco absoluto, o Midas do caos que, onde toca, bagunça tudo. Bagé é o Coringa! Cadê o Batman? Tolinhos, comprem uma fantasia de Batman e venham nos salvar! Cheguei bêbado no estádio. Não agüento a lei seca e, menos ainda, assistir sóbrio à ruindade do time (próximo jogo, somente com drogas pesadas. Álcool é água para agüentar esse time). Pelo menos, sofri menos. Encontrei Maneca. Estava com um guaraná estranhíssimo. Bebi uns goles e fiquei mais bêbado do que nunca. Deve ser o desespero: fiquei bêbado com guaraná. Certo, o guaraná era estranho… Encontrei o grande Anízio. Nitidamente, não estávamos animados. Estava lá Tiago, mas é jovem e sobreviverá. Tenho medo da minha geração. Essa não agüenta o tranco. Tipo Joãozinho, irmão de Dimas. A família Lins será dizimada pela PQP. Joãozinho dizia: _jogar em casa, contra o Icasa, com três zagueiros… PQP! Sim, é pra lá que nós vamos, caro amigo. Tomei mais um guaraná de Maneca. Foi o suficiente para tentar novamente entender a mente insana de Bagé. Pensei em gigantescos supositórios de Haldol para tratar sua psicose. Desisti rápido da idéia, pois não funcionaria – nesse cara, só choque elétrico. Miller, nem no banco. Aqui, não é loucura, e sim perversão. É maldade. É PQP. O que fez o menino para merecer tamanho tratamento? Jogar bem?! É um problema moral? Por que técnico não é, já que ele é melhor do que Ribinha e Rafael Oliveira, os legítimos filhos da mãe de Bagé. Dizer o quê?! PQP… Hoje, foi o dia dos pais, mas o diminutivo está nos mandando para a mãe que nos pariu. Aliás, o diminutivo tem mãe? __________________________________________________ Um amor incorrespondido Dimas Lins Sofremos de um amor incorrespondido. Um amor onde é proibido conjugar o verbo receber. Nessa relação, o que vai não volta. Dizem que amor...

Leia Mais

Uma classificação sem sal

Jogo decisivo, pedi licença a Maria Luíza, minha filhinha de 15 dias de nascida, e fui ao Arruda. Como Belchior, andava mais angustiado que o goleiro na hora do gol, por isso, fui praticamente forçado por mim mesmo a ir ao estádio. Fui bem ao estilo vai-e-volta, mas fui. Quando Malu estiver um pouquinho mais velha, entenderá as razões do pai. Ainda pela manhã, fui comprar o ingresso e, pela primeira vez, vi a camisa do time fabricada pela Champs. Achei um desrespeito o desenho do escudo. A Champs transformou o maior símbolo do clube em preto, cinza e vermelho. Além de horrível, a mudança fere o estatuto e descaracteriza o escudo do Santa Cruz. Talvez o cinza seja para combinar com essa gestão que só faz trapalhada. Não bastasse levar o Santa tão baixo, eles também mudaram nossas cores. Não compro essa camisa por nada nesse mundo. E sugiro um boicote até que consertem aquela coisa medonha. Já à tarde, na entrada das sociais, encontrei Maneca otimista, por causa do último jogo em Caruaru. As campanhas de 2006, 2007 e 2008 do Mais Querido são obstáculos para que eu mantenha a esperança em fogo alto. Mas a avaliação de Maneca não foi apenas o sinal de um desejo acima da razão. Ele esteve em Caruaru e viu um time brigador, apesar de suas limitações. Como combinado, encontrei Artur no estádio. Horas antes, por telefone, nosso nobre psiquiatra dava sinais de ansiedade em estado latente. Artur chegou a propor luto no blog, caso o Santa não se classificasse para a próxima fase e arrematou dizendo que não teria mais condições de escrever qualquer coisa sobre o Santinha, em circunstâncias tão tenebrosas. Sugeri que ele tomasse algum de seus preparos especiais, como Rivotril com coca-cola ou cana com gás. Quando o jogo começou, achei o Santa voluntarioso, mas apenas isso. Perdemos uma enormidade de gols no primeiro tempo embaixo da barra e também passamos de levar alguns quase nas mesmas condições. Acredito que a nossa defesa é a pior de toda a terceirona. Mesmo assim, o placar moral do primeiro tempo seria 15 a 10. Mas bola que não entra não vale nada. Nesse contexto, vi que nosso time continua uma grande bosta. O Campinense também me pareceu outra bosta, mas era uma bosta mais organizada do que a nossa. Série C é assim mesmo, tudo é uma bosta só. O segundo tempo...

Leia Mais

Apenas seis

Continuando a série de artigos sobre a terceirona, falaremos agora sobre a participação dos times pernambucanos na primeira fase de 2007. Porém, antes disso, é impossível ficar calado diante de algumas coisas que vêm ocorrendo. Eram 6:00h da manhã de um dia de sábado. Eu já estava acordado, tomado café e uniformizado com o padrão para a partida decisiva. Eu era oitava série e estudava no meu querido Colégio Marista, na Avenida Conde da Boa Vista, que, infelizmente, não existe mais. A decisão era 8ª D (minha sala) contra 8ª C. Como todo bom adolescente, odiávamos os meninos da 8ª C e só paquerávamos as meninas de lá para deixá-los com inveja. Pense numa sala para ter gente tabacuda! A rivalidade entre nossas salas era quase como entre Santa e a coisa. E, para piorar tudo, tínhamos os melhores times de futsal do colégio e desde a 5ª série, fazíamos todas as finais das olimpíadas internas, as saudosas “Olimpíadas Champagnat”. Eu era o goleiro de minha sala, e, estava ansioso pela nova final. A grande partida estava marcada para às 07:30h. Cheguei ao colégio às 06:30h e de cara, me reuni com meus amigos e jogadores. Até as meninas saíram de casa num dia de sábado para animar nossa torcida. Tudo pronto. Juiz na quadra. Atletas aquecidos para jogar. A batucada comendo no centro. Só faltou um pequeno detalhe: o adversário não havia chegado. Só tinham 4 jogadores da 8ª C. Resultado: Ganhamos e fomos campeões por WxO. Amigos, em jogos importantes, esse foi o único WxO que já vi acontecer. Mais uma para o currículo de nosso presidentezinho. Outra vergonha, outra desculpa vergonhosa. Pesidentezinho, junte mais essa ao restante que você fez só esse ano: Estádio interditado, tendo que disputar jogo no chiqueiro onde suzies botam a bunda num mastro. Peneirão de ex-jogadores para ver se garimpa alguém. Aliás, quase que me candidato também num peneirão desses. Melhor, faz uma promoção Sr. Presidente, quem for de camisa ao estádio, paga meia; quem for de camisa e calção, entre de graça e quem for de camisa, calção e chuteiras , é escalado e entra jogando. Disputar hexagonal da morte. Contratar e dispensar jogadores mesmo antes dos mesmos treinarem uma semana. Voltando para a série C, como sabemos, em sua primeira fase, é divida em 16 grupos de 4 times. E pegamos o seguinte grupo: Central (6 pontos em 2007,...

Leia Mais
36 de 36...1020...343536