Ajude a torcida, Presidente!

Ajude a torcida, Presidente!

Já está ficando chato. É o presidente tricolor abrir a boca e: “… Vamos ter que contar novamente com o apoio de nossa torcida e pedir para que eles, mesmo com o fim do calendário de jogos, continuem pagando suas mensalidades e atraindo novos sócios”. “Será uma desigualdade enorme contra Sport e Náutico, que, por mérito, subiram para a primeira divisão e terão vultosas quantias. Nós, com uma torcida extraordinária, teremos cota zero. Vamos entrar 2012 da mesma maneira de 2011: da pior forma possível”. “O ano de 2012 vai ser um ano extremamente difícil para o Santa Cruz enfrentar, considerando-se o fato de que os nossos principais adversários no Campeonato Pernambucano estarão com receitas enormes, bancadas pela televisão, enquanto que o Santa Cruz, mais uma vez, vai ter que iniciar o ano sem nenhum tipo de patrocínio nesta área televisiva”. “O Santa Cruz está precisando, neste momento, que aqueles que são sócios se mantenham em dia e paguem as suas mensalidades”. E Haja Saco! Toda a torcida, Presidente, está cansada de saber disso tudo: que não temos verba de televisão (o que não é totalmente verdade, já que no Pernambucano, temos, sim, uma verba), que estamos na Série C, onde falta visibilidade, Clube dos 13, e blablablá. E sempre, a única saída parece ser a nossa torcida que, aliás, só é lembrada pelo clube nesses momentos. Por que, Senhor Presidente, não fala sobre o seu esforço e de sua diretoria em renovar contratos atuais e arrumar novos patrocinadores e parceiros para o clube? Por que, Senhor Presidente, não se fala da grande campanha de sócios que está finalizada e será lançada, para atrair cada vez mais a massa coral para perto do Santa? Por que não explana o planejamento que está sendo feito para tratar os torcedores que frequentam o Arruda como consumidores e parceiros, e não como gado, enfrentando filas enormes com um sol de rachar o quengo e o bafo dos cavalos da PM? Por que não divulga que a campanha de sócios terá uma extensa lista de benefícios e vantagens para o sócio coral, como reconhecimento pelo apoio insistente, irrestrito e apaixonado? Isso tudo está sendo feito e providenciado, não está Presidente? (…) Parece que se tornou um vício da maioria dos dirigentes corais (para não dizer de todos) o apelo à torcida como única saída para o clube. E aqui não quero retirar a responsabilidade...

Leia Mais

Salvação

Salvação

Finda a temporada 2011, já lanço uma botica de olho para o ano seguinte, como quem não quer nada e já querendo muita coisa. Tenho esse negócio de não pensar demais no passado, feito uma pomba lesa, porque o futebol não vive de nostalgias. O que passou, passou, foi quase tudo muito bem, mas as conquistas são para guardar na lembrança e os troféus, no museu (onde está o museu?!) do clube. Ao pensar na próxima temporada, vem-me logo à cabeça a tranquilidade de não precisar correr atrás, já no Campeonato Pernambuco, de uma vaga para a competição nacional, mas, principalmente, que o abismo financeiro vai aumentar em relação aos nossos principais adversários locais. Os dois estão na Série A e nós, só agora, chegamos à Série C. Grana, grana, grana! É preciso, antes de tudo, pensar em grana, pois, já dizia o filósofo Falcão, dinheiro não é tudo, mas é cem por cento. Também é indispensável pensar em como manter o time coral minimamente competitivo na próxima temporada diante dos milhões da Rede Globo contra os trocados da TV Nova. Não que eu despreze o trabalho da TV pernambucana, que foi bacana, pois, apesar das inúmeras falhas, como começar a transmitir um jogo no início do segundo tempo, não posso negar que ela quebrou um galho lascado para a torcida coral nesta Série D. Por isso, mesmo ocupado em pensamentos altamente produtivos sobre como fazer para passar mais rápido os doze anos que ainda me restam para a aposentadoria e em como gastar o dinheiro da Mega-Sena, caso eu ganhe o prêmio sozinho, resolvi convocar uma reunião de emergência do Conselho Editorial e Pitaqueiro do Torcedor Coral para debater a questão. ― Se não tiver cerveja, nem me chame! – disse Nó Cego ao telefone, com o seu humor característico. Apesar da falta de futebol e de saco, todos compareceram. A cerveja, é bem verdade, atraiu mais a nossa equipe do que o assunto, já que, nessa época do ano, a gente só pensa em cachaça e confraternização, que no fim das contas é a mesma coisa. Comecei a reunião cheio de dedos, indo pra lá e pra cá, falando do tempo, perguntando se um e outro tinham dinheiro para emprestar ou pelo menos um colírio para pingar nos olhos, um melindre lascado, porque o assunto era chato e não havia nenhum Xeque árabe montado na grana, tampouco...

Leia Mais

Atiraste uma pedra

Atiraste uma pedra

Deu um rebu lascado o aumento do preço do ingresso no Arruda para o jogo contra o sexta-feira Treze. Mais ainda, a redução do quantitativo dos ingressos do Todos Com a Nota. De um lado, há o argumento de que a diretoria coral está certa, porque é preciso fazer caixa até o fim do ano, pagar bicho do elenco, em caso de classificação, e outras coisas mais. De outro, o dedo aponta para a diretoria coral, como se fosse Judas Iscariotes, que traiu a torcida ao se vender por quarenta dinheiros. Ainda há uma terceira via, a dos tricolores que consideram inoportuna a abordagem desta questão às vésperas do jogo mais importante do ano. De cara, discordo dessa opinião. Depois do jogo, seja lá qual for o resultado, o assunto não terá mais importância e se perderá nas profundezas do mar sem fim. Por isso, ou falamos agora ou nos calamos para sempre. Além do mais, não abordar as questões de interesse do clube e, portanto, do torcedor, por causa da véspera de uma decisão é o mesmo que dizer amém para qualquer coisa que a diretoria faça, mesmo que seja uma grande bobagem. Já dizia o filósofo Descartes – que não descartava uma boa lapada no toutiço dos outros – apoio incondicional é a cabeça do meu dedo. Mas deixemos de lado toda essa prosopopeia e vamos direto ao ponto: é justo o aumento do ingresso no jogo mais importante do ano para o Santa Cruz? Do ponto de vista econômico, sim, pois não há que se falar em justiça, mas na lei da oferta e da procura. Portanto, não há dúvidas que vai ter tricolor disputando à tapa um ingresso para assistir ao que pode ser o marco da retomada do Santa Cruz a caminho da Série A, depois da estagnação na cozinha do futebol brasileiro. Assim, nessa forma de ver, o valor do ingresso majorado é cabido. O aumento, embora afete o bolso de cada um de nós, vai ser bancado pelo torcida, ávida por testemunhar um raro momento de felicidade na história recente do nosso clube. Há mais dois argumentos fortes em favor da diretoria. O primeiro é que o futebol vem correspondendo. Fomos campeões pernambucanos e, mesmo aos trancos e barrancos, estamos a um empate de sair da Série D. O segundo é o jargão que diz que não se faz futebol sem grana....

Leia Mais

Não me espere para o jantar

Não me espere para o jantar

A saga dos tricolores que se aventuraram na viagem a João Pessoa na estreia do Santa Cruz na Série D: uma prova inequívoca de amor ao clube.

Leia Mais

Campanha de Sócios do Santa Cruz

Campanha de Sócios do Santa Cruz

O Santa Cruz lançará, nesta quarta-feira 06/07/2011, na sede social do clube, a tão esperada campanha de sócios. O objetivo inicial é chegar a 20 mil associados.

Leia Mais
3 de 11...234...10...