Dois lados

Dois lados

Fala-se que tudo na vida tem dois lados. Um lado bom e um lado ruim. Tais generalizações são sempre perigosas, mas em se tratando do jogo ocorrido domingo, podemos tentar aplicar um exercício e enxergar os tais dois lados. Vamos começar com o lado negativo. A derrota. Por mais que o ano de 2011 tenha sido extremamente positivo para o Santa, muita gente saiu do Arruda ontem com um gosto de guarda-chuva na boca. Não que eu saiba que gosto tem isso, mas sabe aquele gosto amargo, aquele sorriso amarelo? Pareceu-me um sentimento quase unânime no estádio. Apesar de a torcida ter aplaudido no final, gritado o “Tri-Tricolor”, foi mais em reconhecimento pelo ano, não pelo resultado. E isso pode ter um impacto um pouco maior que o previsto. Terminando o ano em alta, com um título, a euforia da torcida continuaria em alta, o que poderia e deveria ser canalizado para um só lugar: Campanha de sócios. Não que não possamos fazer campanha por sócios sem o título. Claro que podemos. Mas é muito melhor fazer uma campanha com o seu público alvo apaixonado, em estado de graça, com o fechamento de um ano perfeito. Vi gente saindo do estádio extremamente chateada, gritando, revoltada. Exagero? Muito provavelmente. Mas o tal encanto perde um pouco do seu charme e perdemos mais uma boa oportunidade de capitalizar. E o lado positivo? A derrota. “Pronto. O cabra enlouqueceu de vez!” deve estar imaginando um incauto leitor. Calma que não enlouqueci (pelo menos não por enquanto). No aspecto puramente futebolístico, enxergo a derrota como positiva. Com um resultado negativo diante do escrete Tupi, numa final de campeonato, dentro de casa, caem as auras que circuncidavam as bandas do Arruda sobre treinador e elenco. Nossas fragilidades ficaram, mais uma vez, diga-se de passagem, expostas para quem quiser (e souber) enxergar. Somos gratos a todos os jogadores do elenco pelo esforço e dedicação na missão de tirarem o Santa dessa maldita Série D. Ponto. Agora nossa caminhada prossegue. E passa necessariamente por qualificação (e até reformulação) do elenco. Essa foi a lista de relacionados para o jogo de ontem: Goleiros: Tiago Cardoso e Diego Lima. Zagueiros: André Oliveira, Leandro Souza, Everton Sena e Walter. Laterais: Eduardo Arroz e Dutra. Volantes: Memo, Chicão e Mael. Meias: Renatinho, Weslley, Bismarck, Washington e Jefferson Maranhão. Atacantes: Thiago Cunha, Fernando Gaúcho, Ludemar, Kiros e Flávio Recife. Proponho um exercício. Quantos vocês enxergam vestindo o manto coral na próxima temporada? Quais realmente merecem e...

Leia Mais

Acertos e desacertos

Acertos e desacertos

Não deu. O primeiro título nacional do Santa Cruz, de uma sofrível Série D, não veio e ficou com a equipe que mais fez por merecê-lo durante a competição. Jogamos um bom primeiro tempo, mas o adversário soube controlar os nervos diante de um público, mais uma vez, de arrepiar e matou o jogo no desespero de um time incompetente para fazer gols. Tive uma reação tranquila, como, aliás, tenho tido a cada jogo do Santa Cruz, por já saber exatamente o que esperar do nosso time. Talvez, por isso mesmo, não despreze os resultados alcançados neste ano. Fomos campeões pernambucanos com uma equipe mais barata que os nossos principais adversários, que ainda lutavam pelo hexacampeonato: um pela conquista; o outro, em sua defesa. Aliás, nossa mérito fica ainda mais cristalino, se considerarmos que um já tem vaga assegurada à Série A e o outro está por uma peinha para chegar lá. Nas duas equipes, houve poucas mudanças do Campeonato Pernambucano para cá. Portanto, é inegável que se há de falar em superação e na assertiva que Zé Teodoro tirou leite de pedra. Entretanto, se não assumo ares de infelicidade, tampouco assumo ares de satisfação. O vice-campeonato desta competição não apenas é insuficiente para confortar nossa torcida apaixonada pelos anos de sofrimento, quanto alerta sobre a necessidade de mudanças de rumo na próxima temporada. A conquista de uma das vagas da Série C, também é forçoso o reconhecimento, não veio com a mesma competência do Campeonato Pernambucano. A caminhada foi sofrível, trouxe insegurança a torcedores e dirigentes e por pouco não ficamos pelo caminho mais uma vez. Ao olhar agora para trás, para um time que não sabe fazer gols, vejo como um verdadeiro milagre o empate conquistado contra o Treze, depois de uma derrota parcial por 3 a 1, em Campina Grande. Porém, o acesso, embora suado, veio. Mas aí, diferentemente do pernambucano, não há que se falar em superação, tampouco na assertiva que Zé Teodoro tirou leite de pedra. Se no campeonato estadual, tínhamos folha salarial inferior, na Série D fomos o primo rico da competição. É verdade, dinheiro não ganha jogo, mas ajuda um bocado. O dinheiro não resolve, quando é mal empregado, como foi o caso de inúmeras contratações para lá de medíocres realizadas pelo Santa Cruz. A competência vem do emprego eficiente dos recursos. Garantimos a vaga, mas a custo de muito sofrimento. Quanto...

Leia Mais

Arestas

Arestas

Independente do título da Série D, a temporada atual já foi pra lá de vitoriosa para o Santa Cruz. Fomos campeões pernambucanos e conquistamos o acesso à Série C, o primeiro passo rumo à retomada da dignidade perdida. O caminho da redenção do Santa Cruz foi traçado pela diretoria dentro e fora dos gramados. Além da ideia de montar um time capaz de sair da Série C sem os traumas desse ano, há em discussão, ainda, a construção do tão sonhado Centro de Treinamento, em parceria com um grupo paulista, bem como a modernização do Arruda. Ambos os projetos ainda são tratados internamente e pouca coisa se sabe deles, inclusive sobre suas viabilidades, afinal se sonhar é bom, melhor ainda é manter os pés no chão. Porém, sempre há um porém, nem tudo são flores nas Repúblicas Independentes do Arruda. As desavenças entre Zé Teodoro e Albertino dos Anjos, diretor de futebol, ao se tornarem públicas, deram o primeiro sinal de alerta para a próxima temporada. Depois do jogo contra o Cuiabá, pela semifinal da Série D, Zé Teodoro deixou vazar sua irritação com o dirigente coral. Do lado de cá, de quem não conhece todas as intimidades do clube, difícil é apontar a razão de tanta celeuma, pois é impossível tirar conclusões por aquilo que é dito na mídia. Publicamente, há um jogo de cena, onde ninguém quer aparecer como o patinho feio nesta história. Por isso, não me apresso em apontar o dedo no nariz de ninguém e dizer categoricamente: “você é o responsável!”. Aliás, disse certa vez um de nossos diretores que não se deve tomar ao pé da letra tudo aquilo que é dito por eles mesmos nos meios de comunicação. Por isso, de toda essa confusão, só chego à conclusão, independente de quem tem razão, que Zé Teodoro, mais uma vez, pisou na bola ao expor publicamente questões internas do clube. Aliás, Zé Teodoro tem ultrapassado os limites do bom senso para impor a renovação de seu contrato. Ao exigir publicamente mudanças radicais na estrutura do clube como condição de sua permanência, Teodoro, das duas uma: ou anda botando banca demais ou arma o cenário ideal para saltar fora do Santa Cruz. Volto a repetir o que disse lá atrás quando Zé Teodoro a cada entrevista falava de interesses de outros clubes na sua contratação. Nosso técnico é profissional e como tal tem o...

Leia Mais

Enquete

Enquete

Apesar do título pernambucano e do acesso à Série C, Zé Teodoro passou a ser contestado por parte da torcida coral. Na sua opinião, ele deve permanecer para a próxima temporada? Sim, Zé Teodoro é peça fundamental para a próxima temporada. (77%, 188 Votos) Aí, vareia. Ele vai botar o time pra jogar mais pra frente? (18%, 44 Votos) Não, Zé Teodoro é retranqueiro e, com esse estilo de jogo, um dia a casa cai. (5%, 13 Votos) Total de votos: 245  Carregando ... Votação encerrada Apesar das especulações, você acredita na permanência de Zé Teodoro no Santa Cruz? Sim, Zé é um homem de palavra e vai cumprir o contrato com o Santa. (75%, 77 Votos) Sei não, o cabra diz que fica, mas parece que quer sair. (18%, 18 Votos) Não, Zé está sendo muito assediado e o dinheiro vai falar mais alto. (7%, 7 Votos) Total de votos: 102  Carregando...

Leia Mais

Xô, Seridê!

Xô, Seridê!

Vulcão Tricolor (Mestre Forró e Orquestra da Bomba do Hemetério) A ressaca do acesso ainda é braba e o fígado não deixa o cérebro funcionar a todo vapor. Por isso, por enquanto é só comemoração. Amanhã, já sem a sensação de ter engolido um guarda-chuva, a gente volta com a programação normal. Enquanto isso, fique com as notícias do acesso coral no Brasil e no mundo. Brasil Bom dia Brasil SporTV Jornal Nacional R7 Terra Esportes Folha de São Paulo O Globo O Globo 2 Estadão Sport Clube Bahia Juca Kfouri Exterior Romênia França Espanha Portugal Inglaterra Argentina Se você sabe de mais algum link no Brasil ou no exterior que vale a pena destacar, coloque na seção de comentários que a gente adiciona a...

Leia Mais
10 de 19...91011...