Fiel da balança

Fiel da balança

As eleições no Santa Cruz estão se aproximando e o quadro eleitoral segue indefinido. Jonas Alvarenga saiu do páreo (na verdade, nunca entrou!) e deixou FBC sem candidato. Nos últimos anos, apenas o Diminutivo (Toc! Toc! Toc!) não lançou sucessor. FBC provavelmente também não lançará, no máximo, adotará um. Sua última cartada, segundo os jornais, será Sebastião Oliveira, deputado estadual recém-eleito. A dificuldade é, como salvador da pátria da vez, Oliveira, ao que parece, só quer ir na boa; isto é, só será candidato, caso não haja bate-chapas. Sentado na varanda do meu apartamento, com os pés confortavelmente em cima de uma cadeira, tomando uma cervejinha bem gelada e olhando tudo isso de cima, não pude deixar de lembrar da propaganda de um supermercado popular que existia na década de oitenta, creio eu, que dizia assim: “se quer moleza, meu irmão, vai no Balaio!”. Se Oliveira não perceber que não basta ser candidato, tem que participar das eleições, o precioso apoio de FBC poderá cair no colo de Sérgio Murilo. Acredito nisso, por causa do perfil dos dois outros candidatos (Antônio Luiz Neto e Joaquim Bezerra), pois tenho lá minhas dúvidas se um e outro agradam a FBC. Caso isso ocorra, Sérgio Murilo será indubitavelmente o favorito nas eleições, a menos, é claro, que apareça uma Marina Silva em seu caminho. Também não descarto a possibilidade, já que virou moda, que o fundamentalismo político possa atrapalhar a sua vitória. Assim, surgiriam boatos espalhados pela cidade dando conta que Sérgio Murilo é contra, por exemplo, o aborto. Uma coisa terrível! O candidato, por sua vez, tentaria explicar que é a favor da vida, mas ninguém lembraria que o orifício na extremidade do intestino grosso não teria nada a ver com as calças, pois o tema passa longe das eleições do Santa Cruz. Entretanto, como o nível dos debates nas Repúblicas Independentes do Arruda costuma ser mais rasteiro do que a concorrida corrida presidencial no país, não me surpreenderia se o boato tivesse o efeito de um chute na altura da bolsa escrotal. Panfletos espalhados em frente ao clube no dia da votação insinuariam que o candidato teve continência urinária até a idade adulta. E terminaria com uma pergunta definitiva: “Você confiaria num presidente que mijou na cama até os 25 anos?” A essa altura, não haveria tempo suficiente para que o candidato pudesse provar, através de depoimentos dos familiares, que...

Leia Mais

Canto da sereia

Canto da sereia

Ando abusado da mesmice que se tornou o Santa Cruz, desse ciclo vicioso e tortuoso que vem, ano a ano, enterrando nosso clube a sete palmos do chão. Permaneço em estado de descrença absoluta, diante de gestões que dão em lugar nenhum. O processo eleitoral tricolor também é outra coisa que me desagrada. São sempre muitos candidatos, alianças de última hora, acomodação de cargos, tira daqui e bota ali, que geralmente resultam em nada. Diante desse cenário, a cabeça já não permite que o coração se dê ao luxo de se assanhar com promessas de mudanças. Sinceramente, escapuliu de mim a paciência para ouvir candidatos que ainda falam em reconstruir o Santa Cruz com a ajuda da torcida, como no passado, cada qual trazendo seu tijolinho, como se futebol – já disse isso faz tempo – fosse feito com milheiros e não com milhões. Também ando cansado de salvadores da pátria, de interesses primários pessoais, ou de propostas mirabolantes que no fundo escondem administrações precárias. Suporto ainda menos a palavra união, solução vazia sem nenhum valor. Nesse jogo eleitoral, prefiro ficar olhando e atocaiando uns e outros e mantendo sempre uma distância saudável e segura do jogo do poder. No passado, acreditava que a distância contribuía para afundar ainda mais o Santa Cruz. Pensava assim: se todos se afastam, o clube se esvai. Atualmente, creio que a distância é o meio que nós, torcedores mortais, encontramos para minimizar o sofrimento de torcer por um clube que se acostumou a perder. Agora penso assim: doideira muita, minha sanidade primeiro. Tenho saudade do tempo em que minha relação com o Santa Cruz era restrita à arquibancada. Notei, aliás, uma mudança significativa na minha forma de torcer. O outrora torcedor temperamental, que xingava o juiz e delirava com um gol ou se acabava com uma derrota, deu lugar a outro menos passível à emoção. Já não salto da cadeira diante de um gol, nem me acabo de profunda tristeza com uma derrota. Este é o mal que a proximidade com o clube do coração traz. Quanto mais próximo, mais insensível me torno. Apesar de tudo, sim, ainda creio que é possível sair desse buraco, mas não acredito mais no canto da sereia dos candidatos. Vacinado, prefiro que o novo presidente assuma, faça as coisas acontecerem primeiro, para eu acreditar depois. Anos e anos de péssimos gestores me deram essa descrença inabalável. Também...

Leia Mais

Enquete

Enquete

Qual o presidente ideal para o Santa Cruz nas próximas eleições? Sérgio Murilo (54%, 89 Votos) Jonas Alvarenga (15%, 24 Votos) Não sei (13%, 21 Votos) Fernando Bezerra Coelho (8%, 13 Votos) Antônio Luiz Neto (5%, 9 Votos) Lula Cabral (2%, 4 Votos) Sebastião Oliveira (2%, 3 Votos) Joaquim Bezerra (1%, 2 Votos) Total de votos: 165  Carregando ... Votação encerrada Quem foi o principal responsável pela eliminação do Santa? Todas as anteriores, dou um no outro e não quero torna! (34%, 33 Votos) Raimundo Queiroz, que montou um time ruim da gota! (28%, 27 Votos) Os jogadores, um lote de frouxos e cambada de pernas-de-pau! (27%, 26 Votos) FBC, pense numa decepção! (7%, 7 Votos) Givanildo, que desaprendeu a armar um time e a subistituir jogadores. (3%, 3 Votos) Total de votos: 96  Carregando...

Leia Mais

Cobra venenosa

Cobra venenosa

“Até agora o processo sucessório é um tremendo dèjá vu. Muita gente procurando a entrada e o Santa procurando a saída.“ Ducaldo, na seção de comentários do artigo Entrevista com Rivaldo no iG Esportes, sobre o processo eleitoral do Santa...

Leia Mais

TC News

TC News

Presidente Lula cita o Santa Cruz como exemplo negativo de profissionalismo no futebol. “O presidente Lula não pode dizer uma coisa dessas só porque a gente não consegue pagar salários em dia, planejar o futebol por um ano inteiro, manter o gramado decente, fazer o novo estatuto do clube, manter o site dos sócios em funcionamento, construir o centro de treinamento prometido, organizar as finanças, profissionalizar a gestão de funcionários, fazer uma reforma administrativa, criar um departamento de marketing de verdade e manter em dia a escrituração contábil do clube.“, discordou Rodolfo de Orleans, Diretor Musical do Santa Cruz. “O presidente Lula é mesmo um equivocado.“, ironizou Wescley da Silva, tricolor que vai ao Arruda mais vezes que os diretores do...

Leia Mais
3 de 8...234...