Uma semana de paz

Uma semana de paz

Depois da vitória contra o Porto, algum leitor, na seção de comentários, cantou a pedra: finalmente uma semana tranquila. O motivo é a retomada da liderança escorada, ouso dizer, na esperança do futebol mostrado no segundo tempo. Não fui ao campo, embora estivesse com o ingresso na mão. Minha filha teve febre e a babá também adoeceu. Nestas circunstâncias, não havia como ver o Santa jogar. Por isso, ouvi pelo rádio e mantive contato direto com os amigos presentes no Arruda. A conversa foi uma só: no primeiro tempo jogamos um futebol mequetrefe, mas, no segundo, o time teve outra cara. Queria ter ido ao jogo para ver o futebol do segundo tempo com meus próprios olhos. Sei que não foi assim uma Brastemp, mas nunca esperei um futebol vistoso do time coral na Série D. Espero – e continuarei a esperar – um futebol competitivo. Isso me basta. Soube que a vitória entrou na conta de Bismark e também de Jefferson Maranhão. Talvez com o retorno de Renatinho e Natan a gente finalmente tenha um time mais qualificado para a fase de mata-mata, porém, ainda é preciso garantir a classificação no próximo domingo contra o Guarani-CE. Talvez o treino de ontem à tarde tenha sido reflexo desta semana tranquila. Tiago Cunha, quem diria, marcou três vezes na vitória dos titulares sobre os reservas. Tomara que ele – e os outros atacantes – desencantem nesta competição. Para não dizer que navegamos num mar de tranquilidade, o bicho pegou mesmo no processo eleitoral da Federação Pernambucana de Futebol. O Torcedor Coral e o Blog do Santinha combinaram uma convocação conjunta para o jantar de adesão em apoio à candidatura de Mirinda a vice na FPF, mas o evento não saiu do papel por questões operacionais. Ao invés disso, uma carta pública seria divulgada nos meios de comunicação, mas a FPF sinalizou por soluções caseiras, deixando de lado a eleição. Não fiz ainda uma leitura dos acontecimentos, nem tenho informações de bastidores a respeito, mas sou capaz de apostar nalguma rusga entre o atual presidente e a família Oliveira, pois esse negócio de má leitura no estatuto é conversa pra boi dormir. É sempre bom lembrar que o sobrinho de Carlos Alberto passaria a ser uma sombra a essa gestão e talvez a pressão do clã Oliveira tenha sido demais da conta. Mas isto é só um exercício de pensamento e...

Leia Mais

Nada de novo no front

Nada de novo no front

Estive afastado por uns dias das páginas do Torcedor Coral por questão de saúde. Há 10 anos, descobri, depois de muito penar por outros sete, que sou portador, por herança genética, de uma doença reumática de nome complicado e de efeitos perversos. Nunca mais havia tido uma crise forte, mas dessa vez ela voltou virada num saco de batata doce e, como dizia minha mãe quando eu era criança, paguei o novo e o velho. Ainda não me recuperei e minha previsão mais otimista é pra lá de pessimista. Para essas coisas, sou a antimatéria do incurável otimista Fabiano Pinheiro. Porém, antes que me chamem de velho, por causa do reumatismo, aviso que essa doença só se manifesta em homens jovens, prova incontestável que os meus primeiros cabelos brancos têm pouco significado. O código genético é o meu carbono 14. Por causa da crise reumática, fiquei pouco tempo na frente de um computador. No retorno, percebi que não houve nada de novo no front e na retaguarda também. De novidade mesmo, a volta do Blog do Santinha depois de um descanso merecido de toda a equipe e incompreendido por muitos de seus leitores. Sama fez uma viagem astral, Gerrá não pára de fazer menino e Anizio resolveu casar para esfregar na cara da rapaziada a certidão de casamento como último recurso na tentativa de dar um basta às insinuações maledicentes que webdesign é o mesmo que fazer decoração, só que na internet. Em defesa dos amigos, digo que ninguém é de ferro e só sabe o trabalho que dá manter um blog no ar quem está à frente do negócio.  Não fosse isso suficiente, tem hora que tem que ter um saco maior do que o de Papai Noel para falar do Santa Cruz, que nos dias atuais, virou sinônimo de desgraça. Não tem quem agüente bater na mesma tecla o tempo todo! Só há notícias de rebaixamento, desclassificação precoce, falta de grana e eleição sinistra. Será possível que no Santinha só acontece coisa ruim? Parece mais programa de Cardinot! Eu mesmo já não suporto ouvir falar em desgraça. Prefiro não saber, por exemplo, que a unha do gato da minha vizinha encravou e que o bichano terá que ser levado às pressas para o Dr. Scholl. Durma com uma bronca dessa! Falar em coisa ruim, no Santa, nova gestão se inicia e, ao menos no seu pré-início, já...

Leia Mais

Chancela

Chancela

Li um comentário de um leitor do Torcedor Coral que dizia que a eleição acabou e já era hora de descer do palanque. Entendo sua lógica. Possivelmente passe por sua cabeça que a extensão da política além do período eleitoral pode prejudicar o clube ao criar um clima turbulento nas repúblicas independentes do arruda – escrita assim mesmo, com todas as iniciais em letras minúsculas. Consideraria isso perfeitamente normal, caso tratássemos de um pleito limpo, claro e transparente, sem a utilização ou a contemporização de práticas pouco recomendáveis como as que se deram nessas eleições. Para mim, seria mais fácil, ainda que simbolicamente, não reconhecer Antônio Luiz Neto como presidente legítimo do Santa Cruz a esquecer a denúncia feita pelo Blog do Torcedor. Além do mais, não posso descer do palanque de uma eleição na qual jamais subi. Votei em Sérgio Murilo, nunca guardei segredo para ninguém, mas não me engajei em sua campanha, como costumava fazer a cada eleição do Santa Cruz. Em primeiro lugar, reconheço, venceu a minha descrença generalizada em um modelo de gestão ultrapassado que está enraizado no Santa Cruz e que ninguém conseguiu ou, por conveniência, nunca quis aposentar. Em segundo, pelas seguidas decepções com os presidentes que apoiei com o meu voto ou com a minha esperança. Foi assim com Édson Nogueira, foi assim com Fernando Bezerra Coelho. Por último, a convivência mais próxima como conselheiro do clube me deu a exata dimensão do comprometimento da gestão que se foi. Assim, do alto da minha descrença, prefiro ver o resultado primeiro para acreditar depois. A eleição ao menos serviu para, definitivamente, colocar os pingos nos is. Escancarou, mais uma vez, as feridas do Santa Cruz e mostrou que vale tudo para ser presidente de um clube falido e atolado na lama. Deve haver uma boa razão para isso. A propalada união colocou um monte de gatos no mesmo saco. Serviu também para apagar o pouco brilho que restava a Fernando Bezerra Coelho e sua intrépida trupe. Não obstante a gestão pífia, ficou muito feia a declaração, após a denúncia do Blog do Torcedor, sobre o fato de a eleição ajudar no aumento do número de sócios em dia. Tivesse esse procedimento ocorrido em nossa eleição republicana, estaria configurado crime eleitoral. Infelizmente, sua gestão, através do presidente do Conselho, foi incapaz de reformar o estatuto do clube para inibir práticas como essas. E para...

Leia Mais

Esquecer

Esquecer

Depois da eleição tricolor, procuro o esquecimento. Quero recalcar a esperança, colocar a vadia lá no fundo do meu inconsciente. Não será um recalque duradoiro, é certo. Dois anos é pouco tempo, e qualquer sofá fubeca de psicanalista aguenta o tranco. E nem preciso disso, cá entre nós, pois uma cervejinha resolve todas as angústias. E, se não resolver, um choramingo pinguço, numa mesa de bar e contanto com a paciência de um ombro amigo, sempre deixa a gente mais leve. Claro, de vez em quando, um pesadelo aqui, um sonho meio esquisito acolá, mas nada que me desestabilize. Espero não sonhar com cobras — pega mal. O fato é que preciso esquecer. Mas o quê? (…) Eita, quase me esquecia. Antes de apagar tudo da minha memória, escrevo sobre… (…) Esquecerei o sonho de democratizar o Santinha. A palavra “democracia” é tabu lá no Arruda – mais do que proibida, é uma palavra vã. Somos uma “república independente”, o governo do faça-nos rir. Pena, pois democratizar o clube seria a única forma de contar com a torcida sem demagogia, sem ufanismo, sem instrumentalizá-la. Discurso politiqueiro, esse de falar da torcida. Discurso cínico. Por que não falam de participação, de associar a massa, de democratizar as decisões no clube? Nunca falarão, pois nosso verdadeiro regime político é a oligarquia – por isso, não conseguimos nem mesmo realizar uma eleição decente. Tanto quanto o futebol, o que mais me decepcionou em FBC foi sua dificuldade ou incapacidade  em esboçar sequer um tiquinho de democratização no clube. Reflexo de suas concepções políticas? Talvez. FBC não estava nem aí. Nunca esteve. Sua política foi a de nivelar tudo. Com isso, os tricolores perderam uma conquista preciosa: depois de tanta desgraça, sabíamos quem era quem no clube. Sabíamos quem era o LEF – demos até seu apelido. Dois anos de FBC e tudo foi esquecido, todos os gatos ficaram pardos, novamente, e o discurso hipócrita da união e da conciliação pôde reaparecer com força. Agora, o ex-salvador da pátria será o presidente do conselho, de um espaço deliberativo que não vale nada, pois foi feito para funcionar assim, na base da fidelidade canina ao executivo e da desmobilização. No fundo, é seu espelho, embora não precisasse de sua presença. Aliás, pra quê?! Sua ausência preencheria, certamente, uma lacuna no conselho. Esquecerei o estatuto. Pra que democratização, logo, pra que um estatuto decente? Pelo...

Leia Mais

Enquete

Enquete

Eleições 2010 Com a definição das chapas na corrida presidencial do Santa Cruz, o Torcedor Coral quer saber se você é sócio e em quem votaria no dia da eleição. Participe da nossa enquete! Você é sócio votante do Santa Cruz? Sim (61%, 51 Votos) Não (39%, 32 Votos) Total de votos: 83  Carregando ... Em quem você votaria para presidente do Santa Cruz? Sérgio Murilo (76%, 68 Votos) Antônio Luiz Neto (21%, 19 Votos) Brancos e nulos (3%, 3 Votos) Total de votos: 90  Carregando ... Votação encerrada Qual o presidente ideal para o Santa Cruz nas próximas eleições? Sérgio Murilo (54%, 89 Votos) Jonas Alvarenga (15%, 24 Votos) Não sei (13%, 21 Votos) Fernando Bezerra Coelho (8%, 13 Votos) Antônio Luiz Neto (5%, 9 Votos) Lula Cabral (2%, 4 Votos) Sebastião Oliveira (2%, 3 Votos) Joaquim Bezerra (1%, 2 Votos) Total de votos: 165  Carregando...

Leia Mais
2 de 6123...