Nem todos com a nota – Parte 1

Montagem do futuro estádio do Pituaçu Inácio França (Publicação simultânea com o Blog do Santinha) Em 2007, quando o Bahia e o Vitória disputavam, respectivamente, a série C e a série B do Campeonato Brasileiro, o governador do Bahia, Jaques Wágner, tentou impor uma condição para os clubes baianos receberem dinheiro público do programa equivalente ao nosso Todos com a Nota: só receberiam recursos referentes à troca de notas fiscais por ingressos aqueles clubes que realizassem eleições diretas para presidente. Naquele momento, a idéia não vingou. Diante das resistências, o governo recuou, porém trouxe para o debate uma questão importante. Afinal, qual a razão de entregar dinheiro do povo para instituições sem transparências e comandadas por gente notoriamente incompetentes? Depois da interdição do estádio da Fonte Nova, o governo iniciou a ampliação, reforma e modernização do Pituaçu, um pequeno estádio praticamente abandonado, instalado dentro de um parque. O início das obras coincidiu com o anúncio das condições que os clubes deveriam cumprir para mandar os jogos no novo estádio e para ter direito a participar da licitação que, em 2011, irá definir quem irá administrar o complexo esportivo do Pituaçu. O governo não vacilou e determinou: se o Bahia, Vitória ou qualquer outro clube baiano sonharem com a possibilidade mandarem suas partidas no estádio novinho em folha, terão de mudar seus estatutos. Só terá direito a usar as instalações públicas o clube que tiver eleições diretas e transparências nas contas. A chiadeira foi geral. Acostumados com a complacência das autoridades com sua própria incompetência e desonestidade, os cartolas baianos não gostaram da idéia. Mas, dessa vez, a pressão foi inútil. Torcedores e oposição do Bahia se mobilizaram e as regras do jogo vão mudar (leia abaixo a decisão resultante de um acordo entre diretoria, torcidas organizadas e oposição). Em 2011, as eleições para a diretoria executiva, presidência e vice do clube serão diretas, com o voto de todos os sócios. O Conselho Deliberativo será composto proporcionalmente à quantidade de votos das chapas concorrentes. Ou seja, a chapa que tiver, por exemplo, 60% dos votos, terá direito a 60% dos conselheiros e assim por diante. Durante as negociações, o blog Bahêa Minha Porra contribuiu para fazer pressão por meio de um abaixo assinado virtual, que foi entregue ao governador Jaques Wagner. Iniciativas como essa, fortaleceram a posição do governo, que não cedeu e manteve a proposta inicial. Leia abaixo, a...

Leia Mais
6 de 6...456