Santa forte, torcida nem tanto

Muita bandeira para pouca torcida (foto: Gilson Cavalcanti) Resenha Depois de tantas emoções, não é fácil falar sobre os acontecimentos de ontem desde o início. A ansiedade tenta nos remeter direto ao ponto – o jogo – ou até depois dele – o resultado. Afinal, foi uma grande vitória. Mais que isso, a afirmação de que o Santa Cruz está no rumo certo, dentro e fora de campo. Mesmo assim, vou segurar um pouco a vontade e comentar passo a passo o dia de ontem. Quando acordei, minha esposa já estava conformada, pois ela ia visitar os pais e sabia que só iria me ver à noite. Meio tristinha, se despediu de mim, resignada.   O dia começou lento, pois eu ainda estava meio devagar, por conta do dia anterior. Afinal, tinha ido a Porto de Galinhas, tomado umas cervejinhas, comido 3 lagostinhas por R$ 10,00 (isso é preço de Dona Creuza, lá em Maria Farinha!). Agora só falta o Santa ganhar o jogo, para que o fim de semana seja bom até o fim, pensei eu.   Mas volto ao que interessa. Depois de navegar na internet sobre tudo a respeito do clássico, liguei para Felipe, meu irmão, para combinar a ida ao Arruda. Felipe, aquela altura, vivia um dilema. Seu filho Gabriel, de apenas quatro anos, que já sabe que domingo é dia de jogo, e dia de jogo é dia de tricolor no Arruda, esperava acompanhar o pai mais uma vez neste evento cívico. Mas aquele não era um jogo normal, pois havia receio de confusão entre as torcidas, principalmente entre as organizadas. Não que seja esse o histórico entre Santa e Náutico, mas sempre fica o receio. Além do mais, o público esperado não era adequado para uma criança daquela idade, pelos riscos inerentes provocados pela natureza humana. Dessa forma, não com a mesma empolgação dos domingos, Gabriel foi fazer um passeio não programado com a mãe, enquanto Felipe seguiu comigo para o jogo. Mesmo não indo ao Arruda, uma criança de 4 anos deu lições a muitos marmanjos que não foram ao jogo ontem.   Na chegada ao Estádio, as mesmas dificuldades para estacionar. Desço do carro e, alguns metros depois, ouço um grito, um chamado. Era Ivan, o Patriota, mostrando, todo orgulhoso, sua nova burrinha tricolor. Na próxima esquina, Beto Gordo, André e um amigo alvirrubro. Ninguém é perfeito, pensei. Caminhamos todos juntos em...

Leia Mais

Tudo ou nada

Foto: Blog do Torcedor Logo mais, às 16h no Arruda, Santa Cruz e Náutico farão o primeiro clássico do campeonato pernambucano de futebol de 2007. Cinco pontos atrás do líder e dois atrás do Náutico, segundo colocado, o Santa partirá para o tudo ou nada neste jogo em que só a vitória interessa. Isto se a equipe ainda quiser manter as esperanças de conquistar o primeiro turno.  Também é um bom momento para avaliar as verdadeiras condições do time e saber até que ponto o Santa terá uma equipe competitiva, capaz de evoluir e chegar em condições de ganhar o campeonato e, futuramente, estar entre os quatros finalistas da Série B. O Santa Cruz não perde para o Náutico desde 12/06/2004. Na última derrota, o jogo era válido pelo campeonato brasileiro da Série B daquele ano e terminou um a zero para o adversário com um gol de pênalti, marcado por Jorge Henrique, em um gramado com muita lama. De lá para cá o Santa não sabe o que é perder para a equipe de Rosa e Silva. São dois anos e meio de resultados positivos, sendo que a última vitória foi por dois a zero. A grande esperança de gols do tricolor vem do atacante Marcelo Ramos. O jogador, que era dúvida na partida anterior, é o artilheiro da equipe com três gols, dois deles marcado no último jogo contra o Ypiranga, quarta-feira passada. Marcelo Ramos, desta forma, se habilita para ser um dos grandes nomes do clássico. Como o Santa não teve um bom início de campeonato, fora do campo, continuam as expectativas em relação ao apoio da torcida no jogo de logo mais. Apesar do número de torcedores ter sido abaixo do esperado, no último jogo no Arruda, o público de hoje promete ser outro. Por dois motivos: o primeiro deles, naturalmente, é que se trata de um clássico, e isso, por si só, já motiva o torcedor; o segundo é que mesmo não fazendo uma apresentação primorosa, o time apresentou melhorias e vem de uma vitória, enchendo o coração do tricolor de esperanças. Neste sentido, o Presidente do Santa Cruz, Édson Nogueira, em entrevista ao site Coralnet, aproveitou a oportunidade para pedir paciência ao torcedor: “Nem todas as contratações vão vingar, nós sabemos. Não somos o Barcelona, que contrata quem quer, é necessário fazer apostas. Aqueles que não derem certo sairão e virão outros, até termos uma equipe certa, para...

Leia Mais

Bem vindo ao novo domínio do Torcedor Coral

Depois de muita trabalheira, finalmente o Torcedor Coral mudou de endereço e de cara. Esta modificação é boa tanto para o leitor, que terá o endereço do blog mais fácil de memorizar e acessar, quanto, para mim, que faço a edição, já que o novo gerenciador de conteúdos do Torcedor Coral é mais completo e, no futuro, permitirá que outros recursos sejam aplicados. A mudança para o novo endereço estava prevista desde a segunda quinzena do mês passado para ser implantada no final do primeiro trimestre. Porém, com o prejuízo causado no layout do antigo endereço, esta modificação teve que ser antecipada. Assim, a construção do novo blog ainda não está concluída. Por isso, pedimos a compreensão do leitor. Ainda assim, o visual é bem mais agradável do que o anterior e ainda mais funcional. E virá muito mais por aí. Aproveito a oportunidade para agradecer em especial a Cláudio Machado que foi responsável pela hospedagem do novo domínio; a Anízio Silva, pela paciência e contribuição essencial na tradução do gerenciador de conteúdo do blog para o português e por outras dicas de extrema importância; e a Édson Correia que vem me auxiliando na construção do novo blog. Ao leitor assíduo, espero que continue conosco e que outros venham discutir, opinar e comentar sobre os fatos que envolvem o Santa Cruz Futebol Clube.   Seja Bem vindo, torcedor coral! Saudações tricolores, Dimas Lins...

Leia Mais

Esperanças renovadas

Porcellis é esperança de gol O Santa volta a campo hoje à noite com as esperanças renovadas. Renovadas porque Givanildo poderá mudar 6 dos 11 jogadores e mexer em todos os setores da equipe. As mudanças não são apenas no elenco, mas táticas também. O Santa abandona o 3-5-2 e passa a jogar no 4-4-2. Segundo Giva, se o campeonato fosse mais longo, ele ainda poderia insistir um pouco mais no time que vinha atuando, para que pegasse entrosamento. Entretanto, faltando seis rodadas para o final do primeiro turno, isso não será possível. Ainda bem, penso eu. Com as mudanças o time poderá entrar em campo com Gottardi (goleiro), Paulo Ricardo e Fabiano (laterais), Adriano e Sidraílson (zagueiros), Romeu, Cleison e Rodriguinho (volantes), Cadú (meia-atacante) e Marco Antônio e Rafael Porcellis (ataque). A definição mesmo só virá momentos antes da partida. É esperar para ver. Como resultado, Givanildo espera obter mais rapidez nas saídas de contra-ataque e um melhor futebol. Neste sentido, no último coletivo, houve uma evolução, principalmente na lateral direita, no meio – com a entrada de Cadú – e também no ataque com Porcellis, esperança de gols no Arruda, logo mais à noite. Infelizmente, não poderei ir ao Arruda hoje à noite, por conta do curso de webdesign que estou fazendo. E, por mais que eu queira ir ao jogo, não posso faltar às aulas, pois o curso é composto de módulos curtos e um dia perdido tem um impacto muito grande. Mas sempre que possível, manterei os ouvidos grudados no rádio. Nessas horas, o blog sente necessidade de um correspondente que esteja lá, ao vivo. Quem se habilitar, é só mandar um e-mail para mim, que eu publicarei seu texto. Saudações tricolores, Dimas...

Leia Mais

Santa tropeça no sertão e torcedor coral leva topada em Recife

Estou simplesmente puto! E meu emputecimento, é claro, tem a ver com o resultado do jogo de ontem à noite. O leitor mais assíduo deste blog deve estar se perguntando: “e aquele papo de que você está preocupado apenas com a reestruturação do time?” ou então, “bastou o primeiro tropeço, para começar a criticar!”. Não mudei de opinião. Digo, redigo e digo de novo: ainda é cedo para cobrar, pois o time está desentrosado e sem preparo físico. E mais, se a gente se reestruturar este ano e voltar à Série A do brasileirão, estou mais do que satisfeito. Temos que ser paciente e dar tempo ao tempo. Mas aviso logo: sou torcedor, antes de tudo. E como tal, sou passional. Pode ser disputa de porrinha ou futebol de preguinho que eu fico puto diante de uma derrota do Santa ou de um resultado negativo. Não assisti ao jogo, mas mesmo fazendo um curso à noite, escutava lances isolados da partida. De repente ligava o rádio e ouvia: “o Santa está parado em campo”, “o Serrano está começando a gostar do jogo”, “jogador do Serrano perde chance na altura da marca de pênalti”, “atacante do Serrano perde gol na pequena área” e “defesa tricolor bate cabeça”. Aquela altura do jogo, não era necessário ter sexto-sentido para perceber que o gol de empate era iminente. Finalmente, saiu o gol do Serrano e, ato contínuo, eu, ao retornar do banheiro para o meu assento, rádio no ouvido, dou uma topada no pé da mesa de um colega. Parecia uma reação em cadeia, o Santa tropeça e eu levo uma topada! Tem nada não. O time não mostrou nenhuma evolução em relação ao jogo da primeira rodada. Também, tem tanta gente para entrar que provavelmente parte dos jogadores titulares serão outros. Não tem problema, a gente espera, a gente confia. Tomara só que não demore muito. P.S. Não bastasse o tropeço tricolor, o Ypiranga afrouxou diante da coisa ruinzinha. Estou com medo de vir outra topada por aí. Saudações tricolores, Dimas...

Leia Mais

Santa divulga parcerias com clubes brasileiros

O Diretor de Futebol, Rosemberg Rafael dos Santos, divulgou hoje que o Santa Cruz firmou parcerias com dois clubes brasileiros, o Internacional e o Atlético-MG. A parceria consiste no intercâmbio de jogadores tanto vindo, quanto indo. No momento, porém, o Santa Cruz não cederá nenhum jogador, já que teve seu elenco praticamente reformulado no final do ano passado e teve que aproveitar vários jogadores dos juniores. A prioridade da parceria, tanto com o Internacional, quanto com o Atlético-MG envolve novos valores. Por isso, a necessidade do tricolor do Arruda em arrendar o Centro de Treinamento do Intercontinental, em Paulista. Em relação ao Internacional, o Santa já recebeu o goleiro Eduardo Gottardi, 21 anos, e o atacante Rafael Porcellis, 19 anos. O Atlético-MG ontem enviou o volante Renan e o atacante César, ambos de 20 anos. O Santa Cruz busca, dessa forma, se preparar para os novos tempos. O resultado dessas parcerias são de médio e longo prazo, mas certamente renderá frutos ao Mais Querido. É esperar também que o Centro de Treinamento faça aparecer grandes craques nas Repúblicas Independentes do Arruda. Saudações tricolores, Dimas...

Leia Mais
70 de 74...1020...697071...