Primeiras medidas

Rosemberg, Fred Carvalho, Nilton César e Sylvio Belém Fevereiro é o mês do carnaval e é sinônimo de muito frevo, maracatu e folia. Não para a Diretoria de Futebol do Santa Cruz. Na verdade, fevereiro tem se mostrado um mês difícil, até mesmo de provação para o colegiado formado por Sylvio Belém, Rosemberg Rafael, Fred Carvalho e Nilton César. O mês mal começou e já trouxe uma prova de fogo para eles: trazer para dentro do campo os mesmos ventos que começam a soprar fora dele. Fora dos gramados, o Santa já pagou algumas folhas atrasadas dos funcionários e do elenco de futebol. Fora do campo, o Santa vem buscando parcerias, soluções criativas para sair das dificuldades, aumentando o número de sócios e buscando afinar sua relação com o torcedor. Mas dentro do gramado, o time coral ainda não disse a que veio. Nesta manhã de terça-feira, o Presidente reuniu-se com os quatros homens do Futebol e a Comissão Técnica para buscar colocar o Mais Querido nos trilhos. Como resultado, saíram as primeiras medidas corretivas: foram dispensados o zagueiro Alex Pinho e o lateral direito Luís Paulo. Além disso, o goleiro Anderson foi disponibilizado para empréstimo, já que não está nos planos do técnico e existem quatro jogadores na posição, e o meio-campo Jadeílson foi liberado para jogar no CSA de Alagoas.   “Nós já sabíamos das dificuldades em começar um trabalho partindo praticamente do zero. Entendíamos como normais as oscilações no desempenho da equipe até o jogo contra o Central, mas depois disso, acendeu a luz vermelha”, disse Sylvio Belém em entrevista ao Torcedor Coral. “Contra o Central, o gramado era tão ruim que o árbitro estava calçando tênis, mas não podemos ficar sempre arrumando justificativas para os resultados, até porque o time jogou bem e a defesa foi o nosso ponto fraco", completou.   Mas foi mesmo o jogo contra o Vera Cruz que fez a diretoria reagir. "Ficamos preocupados, pois o time foi apático em campo. Nossa defesa levou 10 gols no interior. Nosso maior problema era a defesa, por isso tomamos algumas medidas corretivas", acrescentou o diretor de futebol. Belém garantiu que por enquanto não haverá outras dispensas, embora uma reunião esta tarde possa definir a saída de Thiago Silva.   Em entrevista à Rádio JC/CBN, Rosemberg Rafael, quando perguntado se o volante Augusto Recife fazia parte dos planos do Santa Cruz para este ano, deu bem...

Leia Mais

Presente de grego

93 anos. Comemoração. Baile de Carnaval. Folia. Esta foi a tônica do dia de ontem para toda a nação tricolor. Entretanto, o gosto de cabo de guarda-chuva e a cabeça inchada no dia seguinte não tem a ver com a ressaca da grande festa de comemoração do aniversário do Santa Cruz. A grande ressaca vem mesmo do presente de grego que o time deu hoje a sua torcida, quando o Mais Querido foi humilhado pelo Vera Cruz, em Vitória de Santo Antão, por 3 a 0. Isso mesmo, três a zero. Isso mesmo, o Vera Cruz. Isso mesmo, aquele time que, na rodada anterior, apanhou de 5 a 1 da coisa ruinzinha.   Desta vez, a derrota humilhante não pode ser ancorada na falta de preparo físico ou de entrosamento. A esta altura do campeonato, essa desculpa não é mais tolerada pelo torcedor. E com razão. Estamos chegando ao fim do primeiro turno com uma das piores campanhas em estaduais dos últimos tempos. Dentro de campo, o time insiste em seguir na direção contrária ao trabalho da diretoria e pode afetar negativamente o apoio do torcedor na árdua missão de reconstrução do clube.   Exceto no gol e no ataque, o time mostra deficiência em todos os setores. Na lateral direita, chega a dar tristeza. Para quem esteve acostumado a ver as grandes apresentações de Osmar, contentar-se com os fracos Luís Paulo e Paulo Ricardo, é de lascar. Como dizia minha mãe, dou um no outro e não quero torna. Mesmo não sendo tão crônica quanto a direita, a lateral esquerda também não vem bem. Badé mostrou vontade em alguns jogos e só. A zaga também é um capítulo à parte, que começa com um enigma: o que Alex Pinho está fazendo nesse time? Em sua última passagem pelo clube, o zagueiro foi duramente criticado pela torcida; e, agora, em sua segunda passagem, o nível de insatisfação do torcedor é ainda maior. Nem Adriano, apontado pela torcida como um dos jogadores que se salvaram da campanha medíocre do ano passado, vem produzindo boas partidas. No meio-campo, a permanência de Rodriguinho não se justifica. O jogador não conseguiu fazer boas partidas nem mesmo nos jogos contra o Ypiranga e o Náutico, quando a equipe mostrou evolução. Cadu, apesar de dar melhor cadência ao meio, ainda não conseguiu atender à necessidade do time na armação das jogadas.   Tudo isto, deixa o torcedor preocupado....

Leia Mais

Junta mais essa vitória! (2)

Largo de Santa Cruz, onde tudo Começou (foto: Rodrigo Cantarelli) O Torcedor Coral, em homenagem ao aniversário de 93 anos do Santa Cruz Futebol Clube, traz muitas histórias e curiosidades sobre o clube.   As primeiras cores: O Santa Cruz nasceu com as cores branco e preto. A mudança para as cores atuais ocorreu posteriormente, em 1916, para se diferenciar do Flamengo, clube também de Recife.   Reprimenda: A ata de fundação trata da peculiar reprimenda que o Presidente da Sessão deu, formalmente, a um dos fundadores, o Sr. Alexandre Carvalho, por haver portado-se mal.   Origem do nome: O nome é oriundo da Igreja de Santa Cruz, no Largo de Santa Cruz, onde nasceu o clube.   Primeiro jogo – O primeiro jogo foi contra o Rio Negro e o Time dos meninos, como era chamado o Santa Cruz, enfiou uma goleada de 7 a 0.   Primeira crise – Em 1914, um dos fundadores propôs a utilização de todo o recurso do clube – seis mil réis – na compra de uma máquina elétrica de caldo de cana, que era sucesso na época. Alexandre Carvalho, o mesmo que foi repreendido na ata de fundação, em um gesto de revolta, deu um murro na mesa e disse: “o Santa Cruz nasceu e vai viver eternamente”. Sua atitude evitou o fechamento do clube.   Primeiro Negro – O atacante Teófilo Batista de Carvalho, mais conhecido como Lacraia, foi o primeiro negro a atuar por um clube pernambucano em 1915. O fato contribuiu para tornar o Santa Cruz um time de massa na época.   Maior Virada – Ocorreu em 1915. O Santa perdia de 5 a 1 para o América aos 30 minutos do segundo tempo. Numa incrível seqüência, o Santa marcou seis gols e venceu a partida por 7 a 5.   Primeira vitória sobre um time do Sudeste – O Santa Cruz foi o primeiro time do Norte e Nordeste a ganhar de um time do Sudeste. A vitória aconteceu sobre o Botafogo por 3 a 2 no dia 30 de janeiro de 1919. O fato foi tão marcante que ofuscou a passagem pela cidade de Santos Dumont, o Pai da Aviação. A cidade só falava da vitória tricolor.   Seleção Brasileira – O Santa Cruz é um dos três times do mundo que derrotou a Seleção Brasileira. Depois da Copa da França em 1934, a seleção fez...

Leia Mais

Junta mais essa vitória!

Amanhã, todos os tricolores pernambucanos estarão comemorando 93 anos de glórias do Santa Cruz Futebol Clube. Uma história de glórias, mas, acima de tudo, de amor. O clube fundado por onze meninos de Recife cresceu e agigantou-se arrastando consigo a maior torcida do Norte e Nordeste do Brasil. Para comemorar um dia tão especial, a diretoria preparou uma série de eventos oficiais, enquanto o Blog do Santinha propõe ainda tantos outros não oficiais para comemorar o aniversário do Santa Cruz, O Mais Querido, O Terror do Nordeste nos Gramados. Confira a programação para amanhã: Programação Oficial: 06:00h – Salva de fogos 08:00h – Missa (Auditório do Clube) 09:00h – Sessão solene do Conselho Deliberativo (Auditório do Clube) 21:00h – Baile de Carnaval dos 93 anos Programação não Oficial (a qualquer hora do dia): – Alvorada da Sanfona Coral (em frente à casa de Inácio França); – Vestir a camisa do glorioso, salve, salve, Santa Cruz!; – Buzinaço; – Foguetório; – Tremular a bandeira coral; – Entoar gritos e cânticos da torcida coral; – Tomar todas. O endereço da casa de Inácio está lá no Blog do Santinha. Ele jura que vai dormir. Quem viver, verá!  Santa Cruz, junta mais essa vitória! Saudações tricolores, Dimas...

Leia Mais

À espera de um milagre

Não, tricolor. Ao contrário do que possa parecer, o Torcedor Coral não irá discutir sobre o filme de Tom Hanks, também não tratará de algum processo de canonização na Igreja Católica. O assunto é sobre a única possibilidade de o Santa Cruz conquistar o primeiro turno, que une religião e ciência, mais precisamente, fé e matemática. Fora disso, o melhor é ganhar as três partidas restantes, dando uma lapada na coisa ruinzinha, e se preparar para o segundo turno.   Os efeitos da derrota para o Central, infelizmente, serão sentidos nas arquibancadas, no próximo jogo que o Santa fizer no Arruda. Impaciente, a torcida não perdoará o resultado e, mais uma vez, não irá para o jogo. Sempre foi assim, sempre será. Causa e efeito. Nada mais.   Mas, apesar de puto, abro um parêntese para falar de um jogo que não assisti. Que desgraça foi aquela de Luís Paulo, hein? Vôte! E como se leva uma virada com um jogador a mais?! Pronto, já chega de falar do jogo e de coisa ruim.   Só de mal, no próximo jogo no Arruda, estarei lá, com fé e verdade. Torcendo e tomando skol, que é o melhor que eu faço. É claro, não vou esquecer a calculadora.   Saudações tricolores,   Dimas...

Leia Mais

Mais uma decisão

Hoje à noite, às 20:30h no estádio Luiz Lacerda, em Caruaru, o Santa terá mais uma decisão pela frente. Trata-se da difícil partida contra o Central, segundo colocado com 12 pontos, dois à frente do Santa Cruz, terceiro lugar na competição. A partida de logo mais é importante, pois o resultado determinará quem permanece na briga pela disputa do primeiro turno.   No tricolor, apenas uma mudança em relação ao time que começou jogando contra o Náutico. Na lateral direita, Paulo Ricardo dá a vaga a Luís Paulo, que retoma a posição. Segundo Givanildo, o lateral não jogou bem o clássico e, por essa razão, será substituído. De fato, até agora, nem um nem outro mostraram bom futebol e, por isso, não vem agradando ao técnico, nem caíram nas graças da torcida coral.   Mesmo com deficiência na lateral direita, o time coral vem de uma boa evolução a partir do jogo contra o Ypiranga, no Arruda, quando o Santa Cruz venceu a partida por 2 a 0. Na ocasião, Giva promoveu 5 alterações na equipe, conseguindo deixar o time com uma boa pegada e com um ataque veloz e eficiente. Tanto assim, que Marcelo Ramos, em apenas duas partidas, tornou-se o artilheiro do campeonato com 5 gols. Além de brigar pela vitória, o Santa precisa torcer por um tropeço do líder nas próximas rodadas.   Fora das quatro linhas, o Santa vem fazendo o dever de casa. A diretoria já realizou o pagamento do bicho pela vitória no clássico, dando tranqüilidade para que o elenco desenvolva seu trabalho sem interferência de fatores extra-campo.   A torcida coral, que não compareceu em massa à partida de domingo, vem mostrando sua força quando se trata do quadro associativo do clube. Até hoje pela manhã, o Mais Querido contava com 8.259 sócios, sendo que 6.158 já pagaram a mensalidade de janeiro, cujo vencimento é de 10/02. A meta da diretoria é alcançar a marca de 30 mil sócios, ainda este ano. Em menos de dois meses da nova gestão, o número de sócios saiu de pouco mais de 1.200 para o atual quadro de associados. Os números são animadores e que eles continuem crescendo e mostrando a verdadeira torcida coral.   Saudações tricolores,   Dimas...

Leia Mais
69 de 74...1020...686970...