Na contramão do processo de fascistização

fascismo-no-futebol

Mário Jr, Tricolor e professor de história e sociologia 

O futebol tornou-se algo muito caro, proibitivo para os mais humildes, e isso é mal para o esporte. Está acontecendo uma nítida inversão na função social do futebol. Antes ele era um esporte nitidamente popular, os estádios enchiam com mais facilidade, apesar das péssimas instalações, e o povão era a cara dos estádios. Os estádios eram multirraciais e, dentro de certos limites, um espaço que unia pobres e ricos ainda que os ricos ficassem nas cadeiras numeradas e os pobres ralando a bunda no concreto da arquibancada. O fato é que o futebol era popular no melhor sentido do termo: ele era de todos, do pobre, do classe média e do rico.

Hoje o futebol afastou-se das pessoas e tornou-se algo caro. Os altos investimento trazidos pela Copa e pelas tentativas de profissionalização das gestões dos clubes encareceram o espetáculo. As altas cotas de TV inflacionaram a receita dos clubes e os salários dos jogadores e todos correram atrás de quem tem muito para gastar: a elite. E a espiral inflacionária do esporte perdeu o controle de vez.

Hoje uma camisa oficial de um clube de massa, mesmo um da série C como o Santa Cruz, custa em média uns R$ 170,00 (1/4 do salário mínimo), um ingresso mais barato nessas novas arenas não fica por menos de R$40,00. É algo proibitivo. Ponto.

Imaginemos que um indivíduo sem carro quer ir ao estádio com dois filhos no setor mais barato atual (3 ingressos = R$ 120,00), tivesse que pagar passagem de ônibus de ida e volta (gastaria pelo menos uns R$ 18,00, ou mais) e tivesse ainda que comprar refrigerante e cachorro-quente pelos preços módicos cobrado no estádio (calculo o gasto em uns R$ 40,00 se o cara for pão-duro). Só aí iriam embora, por baixo, uns R$ 178,00, num único jogo. Até para um membro da classe média-alta esse valor impediria idas frequentes ao estádio com a família, imaginem então para aqueles com uma renda de classe C ( que segundo a consultoria Target gira em torno de entre R$ 2.330 a  R$4.500).

As rendas dos jogos hoje são verdadeiros insultos. Só o Atlético MG arrecadou 14 milhões de reais em um único jogo da final da Libertadores. A título de comparação, o Santa Cruz teve um orçamento de 14 milhões durante todo o ano de 2012.

Pode-se dizer que a renda dos jogos obedece a lei do mercado, mas isso é balela. A intenção é nitidamente excluir o pobre do estádio. Senão vejamos: qual jogo com pouco apelo midiático, tipo um jogo de meio de semana em campeonato estadual, teve seus ingressos barateados para se adequarem à demanda e todos pudessem comprar? Você lembra de algum? Eu também não!

O futebol como produto busca a atenção daqueles que tem maior poder aquisitivo. Não importa que os estádios estejam vazios na maioria das vezes, desde que quem compareça compense a ausência do povão. O povão é descartável. Povão não compra camisa oficial por 170 pilas, não pode pagar 40 contos num ingresso duas vezes por semana. Povão não compra o produto anunciado nos patrocínios das camisas. O povão virou indesejável. As consultorias futebolísticas em marketing já pouco se importam com o tamanho das torcidas, mas com o poder financeiro delas.

É um cenário desolador e, danem-se, é fascistóide. Não me venham com meias palavras, é fascismo puro!

Logo surgem jornalistas que comemoram a elitização e tentam dizer que o problema não é do futebol e sim da sociedade. Mas se esquecem que entregar o preço dos ingressos para a simples lei do mercado é, de fato, punir o pobre que é apaixonado por futebol. E o interesse social fica onde? Só com uma mentalidade preconceituosa e elitista, portanto, fascista, é que se defende que futebol seja consumido somente pelos ricos. Hoje o futebol é o cartão de visitas da elite mesquinha que não suporta mais o discurso de inclusão social que até a pouco era dominante e que está sofrendo uma enorme oposição sendo combatido no campo da política e da imprensa.

Onde o Santa Cruz Futebol clube entra nessa?

O Santa é a torcida mais popular do Recife, é o time dos pobres. Isso está impregnado na imagem pública do time. Não é difícil perceber isso na realidade. Nos bairros mais elitizados é possível contar nos dedos quem é torcedor do Santa. A elite recifense me parece tomada por torcedores do Sport e Náutico (apesar de morar na região agreste do estado e visitar o Recife apenas sazonalmente, justamente para ver o Santa jogar, não acredito que esteja errado em minhas impressões). Se o Santa tentar jogar o jogo da elitização do futebol, nunca vai sair de seu lugar.

O poder financeiro está concentrado em alguns poucos clubes do Brasil, especialmente nos fundadores do finado Clube dos 13. Times como Corinthians e Flamengo jamais vão aceitar uma divisão mais igualitária das receitas. Outros clubes terão que rebolar para formar times competitivos. Dependerão de um mecenas super rico, como a Unimed (Fluminense), ou vão estourar as próprias contas para conseguir grandes títulos (Atlético-MG) ou ainda vão se tornar reféns de empresários do ramo da bola que desfazem os times na intenção de lucrar com a venda jogadores (Palmeiras, Botafogo, Vasco, Bahia, entre outros).

Diante disso o Santa Cruz tem que criar um nicho de mercado que tende a virar quase que exclusivo seu: as classes populares.

O maior destaque do Santa Cruz na mídia nacional foi justamente pelo fato da equipe lotar estádios. Quando caímos na primeira fase da Série D em 2009 tivemos uma matéria no Jornal Nacional. Em 2011 a matéria se repetiu celebrando nosso acesso. Jornais internacionais repercutem matérias sobre nossa torcida. Já tivemos reportagens nos maiores jornais italianos, espanhóis e ingleses (a terra da rainha é a Meca do jornalismo esportivo) sempre tendo como foco principal nosso estádio cheio e a paixão de nossa torcida formada majoritariamente por pobres.

Num meio onde a elitização deixa os estádios vazios na grande maioria dos jogos, um clube que leva multidões ao estádio é uma pauta fenomenal para os jornais de todo o Brasil. Quem se interessa por uma 3ª ou 4ª divisão? Ninguém, a não ser que o Santa Cruz e sua torcida estejam lá. Você guarda na memória os campeões da Série D? Duvido! Com reportagens como essas o nome de nossos patrocinadores é divulgado no Brasil e fora dele, o que torna o clube numa vitrine confiável para a marca e isso atrai mais investimentos.

Um primeiro passo é se livrar do programa Todos Com a Nota. Sim! Sei que parece um contrassenso, mas é que o TCN cria uma cortina de fumaça nesse processo de elitização. O negócio então é baixar o preço do ingresso em todos os setores e fazer com que a turma mais humilde possa pagar para ir ao estádio.

O Santa Cruz pode iniciar esse processo com seus próprios sócios. No momento em que escrevo esse texto o Santa Cruz conta com 13.000 sócios em dia, o maior contingente entre os times da série C. Uma boa idéia era colocar pacotes de ingressos para jogos com pouco apelo a preços bem baratos para equilibrar a demanda. Um exemplo: vender aos sócios um pacote para os 3 jogos da fase inicial da Copa do Nordeste 2014 ao  preço de RS30,00 (média de R$ 10,00 por partida) e para os 5 jogos contra os times do interior no estadual por R$ 35,00 (média de R$ 7,00 por partida). Imaginemos que 10.000 sócios comprassem esse pacote e que uma parte desses sócios comprassem também para seus dependentes. Se não me engano cada sócio do Santa pode comprar até 4 ingressos de uma vez. Teríamos algo em torno de 25.000, ou mais, torcedores garantidos nos jogos, e isso sem contar o público não-sócio que compraria por meios tradicionais. Seria uma grande demanda de público para jogos que antes eram sem apelo devido ao preço das entradas.

Alguns poderão argumentar que isso reduzirá o lucro com as bilheterias, mas isso é balela da grossa, já que jogos de fase preliminar e contra times do interior nunca deram lucro a clube algum. Claro que nos clássicos o preço teria uma subida substancial para se adequar à demanda. Um clássico no Recife com ingresso a 10 reais precisaria de um estádio de uns 200.000 lugares para suprir a procura. Não estou exagerando.

Lógico que não é só a questão do ingresso que conta. O clube tem que ter uma política vantajosa e eficiente para atrair novos sócios e manter os antigos. Tem que melhorar as instalações do estádio e a logística nos dias de jogo. É todo um conjunto de coisas, mas que parte de um processo de popularização para dar certo.

Um exemplo de como a participação popular nos estádios é importante é só pensar no caso do Internacional. Os caras tem 100.000 sócios em dia, o que mantém o clube cheio da grana e formando times competitivos, mas os estádios vazios e isso acaba agregando pouco a imagem do clube. O Corinthians tem metade disso, contudo, lota o estádio até em amistoso. A imagem nunca se desgasta e dá uma maior credibilidade ao clube. Hoje ninguém sequer chega próximo do valor da marca Corinthians.

O desafio está lançado ao Santa, se quiser continuar dançando a dança do mercado vai perder o bonde. Até em Pernambuco o mercado dá sinais de preferir Sport e Náutico devido ao apelo elitista. Entretanto, se quiser desafiar essa lógica e cobrar ingressos a preços acessíveis, o Santa pode se beneficiar da repercussão midiática e poderá renegociar patrocínios e cotas de TV. O impacto nas audiências seria nítido já que o jogo com muita torcida chama a atenção até de quem não torce por nenhum dos times. Isso aumentaria a receita do clube substancialmente, poderíamos formar times competitivos e dominar um nicho de mercado que todos os demais clubes esqueceram.

Só popularizar, é claro, não resolve, mas é uma questão estratégica reposicionar a marca Santa Cruz. Isso não significa desprezar a elite que gosta de futebol, com preços baixos ela consumirá ainda mais o espetáculo. O torcedor do Santa tem a marca de não ter preconceito de classe, logo os torcedores corais endinheirados – eles existem e também são um grande mercado – vão se empolgar com a mobilização e consumir ainda mais avidamente a marca do clube e isso será um grande negócio.

O Santa Cruz Futebol Clube não pode cair nessa armadilha que os clubes estão caindo em ceder 80% do estádio para a elite e apenas 20% ao povão. Tem que fazer justamente o contrário.

É desafiando o mercado que conseguiremos entrar soberanamente nesse mesmo mercado.

Artigo enviado pelo autor e publicado originalmente como A solução para o Santa Cruz é ir na contramão do processo de facistização.

42 Comentários

  1. Sr Mario Jr.

    Comecei a ler seu artigo “Na Contramão do processo de facistização”, e chegado a determinado altura do seu ponto de vista, fui obrigado por você mesmo a encerrar a minha leitura do artigo.

    Veja o que você esccreve: “É um cenário desolador e, danam-se, é fascistóide. Não me venham com meias palavras, é fascismo puro”.

    Veja você Sr Mario; o senhor quer que agente leia seu artigo e manda que não lhe venha com meias palavras, ou seja, já não quer nem ouvir a opinião contrário. Já deu até o diagnóstico do paciente, sem mesmo consultar outros da área, é Fascismo Puro.

    Sem comentários a este artigo por motivos de força maior!

    • Sinceramente,senhor mactricolor!

      Acredito que apesar do termo um pouco forte”não me venha com meias palavras” o texto acima proporciona, sim,espaço ao interlocutor .

      Respeito a opinião do senhor mas considero o texto bastante pertinente e oportuno.

      Desde já agradeçemos como tricolores o espaço de debate que é o torcedorcoral!

  2. André Tricolor Virtual
    2

    Professor Mário,

    Um fato importante é a permanência do Arruda como local dos jogos do Santa (pelo menos até segunda ordem).
    Outra lembrança recente foi o recorde de audiência da TVU (maior de sua história), o que resultou em matéria na Revista Placar causando um alerta na Globo que posteriormente investiu na transmissão (pecou no menosprezo ao Clube de Santo Nome).
    De fato é preocupante o caminho que o Futebol está tomando…
    Lá no Castelão teve um jogo do Ceará pela Série B, onde o estádio estava totalmente vazio, trazendo prejuízo ao clube e ao Consórcio que administra a Arena.
    É por isso e por outras que me sinto extremamente feliz no Colosso do Arruda, ainda que defasado, mais sinto na alma o calor humano do povão, o bafo de cachaça e a fumaça de espetinho. Isso é futebol!

    Abraços a todos.

    VIVA SANTINHA !!!

  3. Parabéns! Texto excelente!

  4. Eduardo Ramos
    4

    Muito interessante o texto. A TV Globo tem ajudado a esmagar equipes que fizeram história e, essa política predatória é a maior nutriente para as gestões incompetentes da maioria dos clubes.

    Ontem, no Maracanã, pouco mais de 16.000 pagantes. No nosso Santa Cruz, alguém conhece algum DVD comemorativo com os belos momentos das conquistas de 2011-2012-2013?

    Jogo do Bahia, os ingressos custam R$ 60,00 e R$ 30,00. O povão, alicerce maior dos clubes populares, não entra.

    O Santa Cruz, caso tivesse um projeto de gestão, poderia sim, ter ao menos, 30.000 sócios, o que garantiria uma receita mínima de R$ 600.000,00.

    • Excelente texto. Quem sabe numa próxima gestão tenhamos alguém com visão para aproveitar a força da Torcida. Como citou o sr. Eduardo Ramos, não temos um DVD mostrando a belíssim conquista do tri-campeonato. O Clube poderia ter ganho dinheiro com isso.

  5. Caro Bruno

    Você disse que ele utilizou palavras um pouco forte. Gostaria de saber se esse “um pouco forte”, só dá prá deixar uma formiga tonta ou mata uma manada de elefantes.

  6. A cobra coral
    6

    Estão acabando com o futebol do Brasil.

    Até os telespectadores de sofá estão deixando de dar audiência ao futebol Brasileiro.

    Tudo isso devido aos valores praticados e horários inapropriados dos jogos.

  7. guilardo pedrosa
    7

    O texto é relevante e dá margem a diversos comentários a respeito do tema. O advento das arenas, cópias impostas pela FIFA aos macacos do terceiro mundo ( África do Sul e Brasil), sugere realmente que o futebol se elitizou, a ponto do afastamento forçado, pelos preços do ingresso, das massas dos estádios. Apagaram todas as nossas raízes, principalmente dos times nascidos nas grandes cidades, que ainda hoje exercitam salutar rivalidade. No caso específico de PE, a construção da tal arena do fim-do-mundo, só se mantém graças ao engodo que impuseram ao Náutico, mediante uma paga cala-boca, para salvar o pescoço do governador, que torrou R$ 600.000.000,00 a fundo perdido. E hoje o grande aliado dessa arena desastrosa é sem dúvida o ” Todos com a Nota”. Se tirarem tal benefício, o Náutico vai botar em média, depois de uns dois anos ( quando todos já tiverem conhecido o “elefante”) umas 2.000 pessoas por jogo, não mais do que isso. Mas senhores, esses incentivadores desses estádios afrescalhados, querem mesmo é elitizar o público, nos moldes dos teatros europeus. Todos sentados sem poder gritar, chamar palavrões ou comer pipocas de bairro. Torcida britânica, não dos estádios, mais aquela que assiste os torneios de tênis. Robôs que deslocam mecanicamente a cabeça para a esquerda e para a direita. O Náutico aderiu, e pagará muito caro pelos ” trinta dinheiros” que recebeu. A bola da vez é o Sport, que também vai extirpar a sua torcida de massa, para purificar os seus adeptos. Estamos diante da criação de uma ” torcida ariana”, onde naturalmente querem os pobres à léguas de distância. Só o Santa Cruz tem condições de manter a massa efervescente. Tem estádio grande, podendo abrir mão do todos com a nota, mediante a estipulação de um preço baixo, para abrigar a pobreza. MAS NÃO VAI FAZÊ-LO, e sabem por quê, porque estamos diante de um processo inexorável de adesão “salvadora” dessa sangria do do governo aos cofres públicos, que foi a construção desnecessária dessa malfadada arena. O Santa Cruz já foi aliciado , e irá sim, jogar naquele elefante de Eduardo, mediante um pequeno ” mensalão” . Lá iniciará de uma vez por todas , a extinção da sua grande torcida, e quem sabe, o início do desaparecimento do Mais Querido. Tudo isso porque não temos lideranças, temos um Conselho de marionetes, e um presidente que só se preocupa com política. Seremos sim, futuramente, um esquálido espécime de torcedor britânico, fantasiado com as cores do Santa Cruz, sentado numa confortável cadeira da arena PE, trajando calça social, cartola e sapatos negros. E o Arruda ? Ah o Arruda já estará vendido à uma dessas empreiteiras, cujo dinheiro produto da transação desaparecerá num minuto, restando-nos tão somente as lembranças dos gigantescos públicos das tardes de domingo. Estamos realmente diante de diretrizes nazi-fascistas, elitistas, que projetam a formação de uma nova casta de torcedores, ricos e arianos.

  8. Muito bom o texto, e concordo inteiramente: o Santa Cruz tem o dever de fazer valer a sua quase centenária vocação popular e assumir a vanguarda de um movimento de “contra-elitização” do futebol nacional.

    Além de ser uma obrigação moral decorrente das origens e tradições do clube, lutar contra a elitização do futebol, como bem observado no texto, oferece uma excelente oportunidade de fortalecimento da marca Santa Cruz, pois não são poucas as vozes que têm se levantado contra esse processo (destaco principalmente o Mauro Cezar, da ESPN). Mesmo na Inglaterra, país rico, lar da liga mais rica do planeta, muitos estão se rebelando contra os preços dos ingressos (http://www.theguardian.com/football/2013/jun/19/premier-league-protest-ticket-prices) e a “corporatização” dos clubes (http://www.lrb.co.uk/v34/n16/david-conn/follow-the-money).

    Esse movimento de “contra-elitização” passa, a meu ver, por quatro aspectos: a manutenção da atual política de preços acessíveis praticada na Série C (e aqui cabe um reconhecimento à essa iniciativa da diretoria), um projeto sério de sócios, a valorização do Arruda como autêntica “Casa do Povão” e uma campanha de marketing bem amarrada, reforçando o apelo popular do “Querido do Povo”.

    Tratando apenas do aspecto dos sócios, estive dando uma olhada nos programas de sócio-torcedor do Internacional e do Grêmio, os mais bem sucedidos do país. Apesar de serem clubes de uma capital mais rica do que o nosso Recife, os preços das mensalidades são bastante acessíveis: no Internacional, de R$ 23 a 26, conforme a distância da residência do torcedor ao Beira-Rio, e uma categoria popular (mas sem direito ao desconto de 50% no preço dos ingressos) a R$ 15; no Grêmio, uma categoria de R$ 45 e outra de R$ 26. Os dois programas contam, além do desconto no preço do ingresso, com uma série de pequenos benefícios, como pontos de fidelidade que podem ser trocados por camisas autografadas, direito a ter seu filho entrando em campo com os jogadores, foto com o jogador preferido etc., revista mensal, descontos nos estacionamentos dos clubes, direito a assistir a um jogo das cadeiras, no mês do aniversário do sócio, dentre outros. Mas o que é citado como um dos principais fatores de sucesso dos programas são as redes credenciadas de benefícios, que oferecem descontos aos associados em lojas, farmácias, estacionamentos, escolas etc. Além disso, os dois programas são apoiados por sites bem estruturados (nada de outro mundo), que permitem aos torcedores se associar, pagar mensalidade, comprar ingressos — enfim, resolverem todos os assuntos relacionados a sua vida de sócio — sem ter que se deslocar até o clube. Mais uma vez, nada de outro mundo.

    O que quero mostrar com isso é que não precisamos de nada revolucionário para montar um programa forte de sócios. Nem mesmo precisamos nos preocupar em construir uma rede de benefícios, graças ao ainda pouco divulgado Movimento por um Futebol Melhor, que já oferece isso aos clubes DE GRAÇA. Mas ainda precisamos racionalizar as categorias de sócio, pensar em benefícios aos sócios que pagam suas mensalidades por meio de débito em conta ou cartão para incentivar essa forma mais segura e certa de pagamento e, COM URGÊNCIA, de um site que preste. E precisamos, principalmente, partir para o corpo a corpo com a torcida: divulgar o programa, mostrar os benefícios e associar os torcedores na rua, nas bilheterias, nas arquibancadas. Logo de saída, o primeiro público-alvo seriam os torcedores que já frequentam o Arruda mas não são sócios.

    Acredito que slogans como “O Clube do Povo” nunca foram tão valiosos como agora. Não podemos perder mais uma vez o bonde da história. E já dizia Castro Alves: “o Arruda é do Povo, como o céu é do condor” (ou algo parecido com isso).

    • Milton Santos Jr.
      8.1

      É isso, Tiago, para mim a frase que deveria estar em todo lugar do Arrudão seria essa:
      “Santa Cruz Futebol Clube:Orgulho de ser do povo de Pernambuco”

      Hoje, temos um mecanismo fácil e rápido de fazer sócios para o Santa Cruz, bastam: 1) um cartão de crédito; 2) a anuência do dono do cartão, é claro; e 3) alguém que faça isso na internet por ele(pode ser qualquer um de nós). Cada um da gente conhece um parente ou um amigo que gosta do Clube e se disporia a contribuir R$20,00/mês. Se associado a isso, tivermos um programa de benefícios nos moldes do Futebol Melhor, só que expandido para produtos básicos, ia faltar espaço para caber tanto sócio. O Santa tem 13 mil sócios em dia. É espantoso isso. Sem nenhum benefício, nenhum atrativo, sem nenhum apelo da Diretoria. Imagina se estimulasse os loucos da internet com uma premiação para cada 10 ou 20 sócios cadastrados, poderia ser uma camisa oficial, uma viagem com a delegação. Estimo que em um mês dobraríamos os 13 mil de hoje.

  9. Excelente texto!

    Deveria ser enviado ao nosso Presidente e ao diretor de marketing (Se é que temos) para gerar discussão e direcionamento de trabalhos.

    Sempre defendi entre amigos alguma coisa que criasse uma identidade de nossa torcida em termos de maketing, isso facilitaria a comercialização da marca Santa Cruz.

    Parabéns pelo texto.

  10. Coronel Peçonha
    10

    O texto vai ao encontro de que eu venho pensando sobre minha paixão pelo futebol: ela deverá acabar com a chegada definitiva (e exclusiva) de “arenas”.

    Um estádio sem gerais, ingressos caros, torcedor obediente mas que nada entende de futebol (como nos jogos da seleção brasileira), custo de estacionamento, bebida e comida altíssimo, álcool vetado… uma fase de futebol para “menino criado por avó”.

    Não que eu não defenda o conforto, a qualidade, a higiene, mas o que é futebol sem o povão? Pelas regras da FIFA, E NÃO ESTOU BRINCANDO, pois isso foi divulgado para a copa das confederações, nem palavrão!!!
    http://www.gaz.com.br/noticia/420409-padrao_fifa_ameaca_liberdade_a_palavroes_em_estadios_brasileiros.html

    Não vejo futebol nos estádios sem a alegria do povão banguelo, cheio de cana, feliz demais.

    Por isso que me prometi (será que conseguirei manter a promessa?) de JAMAIS ir para a “arena” coxinha-itaipaiva-pernambuco, assistir a jogo de futebol.

    Qualquer jogo amador, pelada, campeonato de bairro, será muito mais divertido que esse estilo shopping center de fazer futebol. Até as redes são iguais hoje!!!

    O Santa Cruz é minha pátria.

  11. santana moura
    11

    Caro Mario Jr. as tentativas de afastar segregar e porque não dizer eliminar os menos favorecidos de tudo que é lazer é um fato, Já escrevi sobre isto quando denunciei a tentativa mais cruel de exclusão feita contra o Santa Cruz que foi pela via da eliminação. Isto é objetivo do capitalismo selvagem cujo entendimento defende que uma pessoa com mais posses pode ser consumidora de vários produtos diferentes ou de diferentes tipos de um mesmo produto.
    Concordo que há de se resistir à ideia fascista e contribuir para o bem estar mental das pessoas com menos posses, no caso o Santa Cruz, porém sem proporcionar tanto sofrimento como na história recente. Creio que é possível envolver a torcida tricolor numa verdadeira revolução, mas precisamos contar com a sincronia entre as partes envolvidas torcida, jogadores e diretoria, sem isto tudo fica mais difícil! No mais esta falácia de que somos um time de despossuídos apenas é balela, já disse uma vez: a nossa parcela de mais favorecidos é maior do que a torcida do Náutico, a nossa parcela de classe média é maior do que a Sport (torcida por contemplação) e a nossa massa coral é gigantesca e a ela devemos dedicar a maior atenção.

  12. Tribomjardim
    12

    Eita que Natan parece que está com olhado…..também sem treinar nada só dá nisso……..

  13. A tal arena representa toda babaquice e ignorância da maior parte da classe média, não tenho a menor vontade de conhecê-la. Quando muitos torcedores falam em “outro nível” não sabem o que estão dizendo, pra eles a sensação de segurança está diretamente ligada à branquização dos frequentadores, à redução cada vez maior do espaço público. Acreditam no engodo de pagar por segurança e contribuem diretamente para o crescimento da violência, vivem em pânico nas ruas e só respiram aliviados nos shoppings, prédios e, agora, as arenas.

    O Santinha, enquanto torcida, sempre teve perfil pra ir nessa contramão, mas nossos dirigentes sempre foram direitosos fuleiros que viram na massa uma oportunidade individual de ascensão. E a massa jamais foi representada por nenhum mandato.

  14. TRICOLAÇO
    14

    SANTA CRUZ, gigante adormecido, que só vai acorda quando escuta a ALMA (sua torcida). MUDANÇAS JÁ!

  15. Tricolor Revoltado
    15

    O que ficou patente no jogo de hoje, foi o quanto mal nossa diretoria nos fez em ter teimado contra a torcida. Enquanto o CRB, após enxergar que precisava de treinador, colocou um novo técnico e reorganizou seu futebol, nós, teremos um longo tempo até acertarmos esse bando de jogadores sem rumo dentro de campo. Detalhe: tempo é uma coisa que nós não temos.

    Além da necessidade de uma estrutura tática – que deixou de existir após a saída do bostelote – ainda temos que amargurar figuras como Junior Xuxa chupando o sangue dos demais jogadores e, errando 101% dos passes que tentou dar.

    A diretoria dormiu de touca e corremos sérios riscos de estarmos disputando pra não cair pra “D”, após as próximas duas rodadas fora de casa.

    É REVOLTANTE!

    • O Santa já está disputando pra não cair. Vamos pra sétimo ou oitavo ao final da rodada. A sorte é que o 13 pega o Sampaio fora e a diferença pra zona de rebaixamento vai continuar em 4 pontos, sendo que na próxima rodada eles pegam o baraunas em casa e essa diferença cai pra um. Vamos perder de Cuiabá e Fortaleza.

    • Tricolor Revoltado
      15.2

      É a pura verdade Jr!!!!

  16. Eduardo Ramos
    16

    Primeiramente, os jogadores têm que esquecer a prática de não treinar e de não exigir dos jogadores.

    O time jogou razoavelmente nos primeiros 10 ou 15 minutos do segundo tempo, enos últimos 10 minutos de jogo.

    Melhores: Everton Sena e Ramirez.

    Pior: Nininho.

    Substituir os dois laterais e contratar um meia pra jogar ao lado de Raul, e um outro pra jogar ao lado de Dênis Marques.

    A situação é preocupante mas ainda permite ter uma perspectiva menos pessimista.

  17. O melhor do jogo foi a torcida inferno coral levando cassete da polícia (merecidamente) e outros sendo encaminhados a penitenciária.

  18. Hoje foi provado que a nossa diretoria é incompetente quando deixou sandro barbosa comandar a equipe do Santa Cruz , agora oque fazer com uma equipe PROFISIONAL que não tem preparo fisico , a pessoa olha NININHO CANINHA jogar dá pena , Thiago Costa que hoje foi um pouco esforçado meu deus oque ele ainda faz na equipe do Santa Cruz , oque panda faz no elenco do Santa Cruz se o rapaz não tem oportunidade

    • Pelo menos agora teremos substituiçoes que fazem o time melhorar. A falta de visão de jogo de SB nos tirou muitos pontos.

      Basta ver a diferença das mudanças de Vica. André Dias finalmente teve chance. Caça e Xuxa saíram. E o inesperado, Leozinho depois de tanto tempo, contando o ano passado, jogou algum futebol digno de ser avaliado como bom.

      Espero que essa semana de treino dê para Vica tirar a inhaca que Sandro deixou no elenco e bote para treinar já um time com sua cara.

      Para o momento eu colocaria Caça e Xuxa no banco. Botaria Panda para treinar no time de cima. Esperimentaria o Coronel na direita. Renatinho de frente com Raul (treino fisico nele). Entraria com 4-5-1 contra o Cuiabá,já que o ponto alto deles é o toque no meio de campo.

      P.S. O misera do Tiago Costa não leva o terceiro amarelo nem por decreto.

  19. O Santa hoje tá pagando o preço muito alto de ter contratado um ex-jogador como técnico. O clube tá pagando um preço alto pela teimosia da diretoria em não ouvir a voz de seu maior patrocinador. Ninguém mais que a torcida quer o bem do Santa. Tenho certeza que Ramirez e Dedé estão jogando pela pressão da torcida. Hoje vemos como Sandro destrambelhou o time. Minha esperança é que Vica possa ajeitar esse time, mas que tá difícil, tá.

    Dos seis pontos contra o CRB, o Santa arrancou apenas um. Se tem um time que o Santa se dava bem nos confrontos era justamente contra o galo de Maceió. Hoje nem isso.

    Amanhã poderemos ser o oitavo colocado.

    A culpa deve ser minha porque sou torcedor e, portanto, emotivo!

    • Samuel Maceió - TOSA
      19.1

      cobrão com o judaslote ainda neste ano de 2013 na copa do nordeste, disputamos 6 pontos contra o crbosta e ganhamos os seis!!!!

  20. Vamos ser coerentes e imparciais! Não temos elenco para subir pra B.
    Se contratar só um meia e um atacante dá apenas pra não cair, Eduardo.E se os dois chegarem arrebentando.
    Além destes precisariamos de um bom zagueiro, pra liberar Everton pra lateral direita.
    Além de tudo isso, não tem como não apostar em Panda na esquerda , assim como é inconcebível não escalar
    Sandro Manoel como volante de bom passe e boa marcação mesmo que seja no lugar do primeiro volante até
    Porque teremos que apostar tudo para chegar as vitorias.
    Hoje houveram equívocos, como caça rato de frente mesmo vindo de contusão.Aliás caça rato sempre deveria entrar no segundo tempo pra dar aquela pressão final. A entrada de Leozinho,só quem não conhece o futebol dele. Dos meias e volantes,todos aquém do que precisamos. E DM precisa tb ficar uma partida no banco pra entrar faltando 15 min,como fazem com André Dias.Quem sabe ele descançado e pegando os zagueiros cansados aí ele dá o gás e arrebenta.
    Como não vai chegar esses 3 reforços de qualidade, como conhecemos o nível de contratações dessa diretoria,
    é preparar o espirito para o pior, infelizmente. Vica não faz milagres,pode até se esgoelar que não adianta.
    TRITESA SEM FIM.

  21. Um dos textos mais bem produzidos neste Blog. Parabéns ao seu Autor!

  22. Fato curioso aconteceu comigo hoje no setor de arrecadação, eu tinha prometido que caso Sandro Barbosa fosse demitido eu pagava as mensalidades e hoje fui pagar as mensalidades em atraso , no total de 3 mensalidades para pagar ao chegar na cabine para pagar perguntei a moça quantos meses tinha em atraso e ela falou que 6 meses em atraso por minha sorte eu guardo os recibos e quando mostrei a ela a fisionomia dela mudou porque no sistema constava 6 meses de atraso agora eu pergunto onde esta indo meu dinheiro das mensalidades , hoje paguei 120 por 3 meses sera que esse dinheiro vai entrar na contabilidade e os outros 3 meses que paguei onde foi parar, gostaria de ter uma resposta de alguém da DIRETORIA.

    • JOÃO BATISTA
      22.1

      GLEIBSON,há muito tempo que ocorre situações estranhas, com relação ao pagamento dos associados,eu tive vários aborrecimentos com relação a isso, depois que tiraram cópias dos meus boletos pagos, regularizaram minha situação.
      Não sei se a TRAFFIC, repassa os valores pagos para o SANTA CRUZ, ou algo de muito estranho acontece como os valores pagos por nós sócios.
      abre o olho DIRETORIA.

  23. Vica consertará o time, espero que ainda dê tempo.

    Vejam o que ele disse de DM9 (exatamente o que dizíamos aqui no blog e a impren$a insistia em deturpar):
    “É impossível cobrar algo do Dênis com o time jogando desse jeito. Todo mundo só faz lançar a bola pra ele, quando ele está de costas para o gol. Desse jeito dificulta a vida do jogador e facilita para a defesa. Dênis tem que receber lançamento sim, mas de frente para o gol, com cruzamentos vindo das laterais. Erramos demais isso, o que é inadmissível!”

    Para um bom entendedor: o problema está nas laterais que não dá vazão e ainda embola o meio de campo. Espero que essa declaracao signifique Panda já no próximo jogo.

  24. TRICOLAÇO
    24

    ALN, se você tem um pigo de amor por esse Club, RENUNCIE. FORA ALN!

  25. Constatações Óbvias:
    1-Tá mais do que explicado o porque de Marcelo “teimosamente” não entrar com Nininho de titular (infelizmente ele ainda não tem estrutura emocional para suportar a pressão, tendo inclusive pedido ao SB para não ir ao jogo contra a Luverdense – foi disparado nosso pior jogador – ao lado de Júnior Xuxa);

    2-SB era prá ter saído logo após o jogo contra o CRB (aquela volta para o 2ºtempo já dava sinais de que não tinhamos ninguém comandando o time taticamente e teríamos 1 mês de paralisação para que um novo técnico ajustasse a equipe);

    3-Nunca vi Raul correr tanto quanto no jogo de hoje;

    4-Everton Sena é disparado, o nosso melhor zagueiro;

    5-Júnior Xuxa tem bola mas não está querendo jogar. Manda embora e que ele seja feliz bem longe do Arruda. Aproveita e manda junto com ele Tozo, Leandro Souza e mais uns 2, e sobe o pessoal dos juniores;

    6-Esse time tem plenas condições de se classificar e conseguir o acesso, mas tenho receio de que o técnico não tenha mais tempo de organizar o time taticamente e que a pressão da torcida seja bem aproveitada contra nós pelos adversários(o jogo de hoje foi um bom exemplo disso);

    7-Espero estar redondamente enganado mas, se chegarmos na última rodada precisando vencer o treze em Campina Grande, seja para continuar na série c, seja para conseguirmos a classificação no g4, estaremos fu e mal pagos…

    • Santacruzense em Sampa
      25.1

      cara, concordo com vc em 100% do que disse. Resumindo, Raul correu hj, Vica pode dar jeito, mas talvez não dê tempo.

  26. Marcos Coral
    26

    O estrago provocado por SB foi muito maior do que pensávamos, mas, temos que considerar que o time treinou apenas 1 uma com Vica e que os outros foram perdidos, aliás, como todos os dias em que SB era o suposto treinador.

    Deu pra ver que Vica enxergou bem o jogo e mexeu bem no time. Pra mim, só errou ao não tirar xuxa logo aos 15 min do primeiro tempo, no máximo.

    Tirando xuxa, que nunca quis nada com o Santa, não dá pra falar mal dos outros jogadores, pois ninguém sabe o que fazer dentro de campo e a confiança está abalada.

    Acho que com os treinos das 2 próximas semanas e algumas mexidas no time, dá pra sonhar com a primeira vitória fora de casa nos próximos 2 jogos.

    A hora é de acreditar, apoiar e levantar o astral.

    Vamos subir Santa !!!

  27. Tricolor Revoltado
    27

    Não vai ser fácil.
    Acreditamos porque somos torcedores e eu só entrego os pontos quando a tampa do caixão estiver fechada.
    Por enquanto, o doente está na UTI. O médico – Vica – sabe qual é a doença, mas, sua maior dificuldade será encontrar o remédio e dar para o paciente não morrer.

    Quanto ao jogo de hoje:

    Thiago Cardoso – continua sem saber sair do gol. Não comprometeu. Nota – 6;
    Renan – Lúcido – Sempre acima das suas limitações – Nota 6
    Everton Sena – Dá mais tranquilidade para a cobertura da zaga – Nota 6
    Nininho – Menos ruim que Xuxa – Nota 1
    Tiago – Horrível – Nota 2
    Ramirez – Sacrificado. Errou muitos passes – Nota 4
    Dedé – Não teve uma boa atuação e errou muitos passes – Nota 4
    Junior Xuxa – Esse nunca disse pra que veio – Nota 0
    Raul – Fez um segundo tempo bom – correu bastante – Nota 5
    Renatinho – Deu fôlego ao time, ainda conseguiu uma expulsão – Nota 6
    Leozinho – Entrou bem. Sua melhor partida no Santa – Nota 6
    André Dias – Deu qualidade ao passe e se movimentou muito – Nota 7
    Caça Rato – Horrível – Nota 2
    Dênis – Isolado. Sem receber uma bola que preste – Nota 5

    Vica – Tem visão de jogo – mexeu no que dava – o time ainda sofre com as merdas de SB – Nota 6

    Diretoria – Nota 2
    Presidente – Nota 0
    PM – Nota 0 0 0 0 0

    Espero que a nossa diretoria tome posse do vídeo abaixo e exija respeito aos torcedores – vergonha nacional.
    http://sportv.globo.com/site/programas/troca-de-passes/noticia/2013/08/imagens-mostram-agressao-de-policial-torcedor-do-santa-cruz-na-serie-c.html

  28. Santacruzense em Sampa
    28

    Texto excepcional!
    Eu queria que pessoas que pensam assim se juntassem para CUIDAR do Santa Cruz. Um turma nova, com esse tipo de visão, que pudesse pensar o Santa com o potencial e as possibilidades que ele possui. E explorar em seu favor suas qualidades, minimizando os efeitos de seus problemas.
    Essa diretoria atual tem muitos méritos. De verdade. Não só pelos títulos estaduais, mas por tornar o Santa Cruz, com muita dificuldade, viável. Ainda assim, na administração do futebol, errou muito. A contratação de Sandro, que deve ser uma grande pessoa, foi um erro irresponsável e imperdoável, simplesmente pelo fato de série C não ser momento para testes ou apostas. Pode ser tarde demais. Temos gente séria trabalhando lá, mas a vontade de acertar não basta. Creio na vontade de acertar dos caras, mas isso é pouco. A visão deles é errada. Não se explora todo o potencial do Santa Cruz.
    Pessoas como Samarone, Inácio, Dimas, Artur, Coronel Peçonha, Cobrão e um cara que pensa o marketing como ngm (mas cujo nome esqueci) precisam fazer parte da vida do santa, lá dentro. Pensando e agindo.

    • Santacruzense em Sampa
      28.1

      Moro em SP, mas vou voltar pra Recife. Não sei quando, mas vou voltar. E tenho um sonho: juntar esse pessoal em torno da ideia de tornar o Santa Cruz grande como merece ser. Para isso, basta por as ideias em prática. Sair do papel (virtual) e agir. Estou disposto. A ideia está lançada. Vamos nos unir e AGIR.

  29. TRICOLAÇO
    29

    ALN já deu o que tinha de dá. FORA!

  30. TRICOLAÇO
    30

    AUDITORIA EXTERNA NO SANTA CRUZ JÁ!

  31. Arnildo Ananias de Oliveira
    31

    PÔ, ESTOU ASSISTINDO UM DOCUMENTÁRIO no Canal Cine BrasilTV (14 às 14:50 h),

    uma reportagem intitulada A LOCOMOTOVA sobre o Club de Regatas VASCO DA GAMA (mais específicamente sobre o EIRICO MIIRANDA) que só faz me lembrar o nosso SANTA CRUZ. Clube de negros, etc, etc, etc.

    Lá é dito q, com a LEI PELé, são os empresários q tomariam conta do futebol brasileiro. Será q ele estava certo ou não?

    SAUDASANTA

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *