Homenagem (quase) póstuma

Apesar da torcida apaixonada, fanática em sua persistência, o Santa vive crise

Luiz Fernando Gomes*, publicado originalmente na coluna Apito Inicial da revista Lance!

Me lembro dos campeonatos de botão que jogava com os amigos, lá pela década de 70. Era um moleque, tinha á meus 14 anos . e naquela época 14 anos era idade de moleque mesmo. Meu time era o Flamengo. Herança de família. E olha que eu era bom de palheta. Tinha tanta confiança em vencer que um dia, num torneio lá em casa, coloquei um açucareiro de prata da minha mãe para servir de troféu. Tinha certeza de que não sairia do armário da cozinha. Mas perdi. Perdi e cumpri a palavra, o açucareiro acabou na casa da vizinha. Levei uma bronca, fiquei de castigo . Um mês sem jogar botão. Merecido, diga-se de passagem.

A grande final do fatídico torneio foi um clássico daquela época. Não apenas nos tabuleiros, mas nos gramados também. Meu amigo, o que me derrotou na final, chamava-se Zé Carlos, jogava com botões tricolores, em preto, vermelho e branco. Era o São Paulo? Enganou-se quem pensou assim. O vencedor do torneio de botões foi o Santa Cruz, o Cobra Coral do Recife. Isso mesmo. E o meu amigo era só um dos tantos meninos a ter um time assim.

Num tempo em que a televisão ainda não transmitia futebol em rede nacional, que pouco se sabia do que se passava além do eixo Rio-São Paulo-BH-Porto Alegre, o que levava garotos do Sudeste maravilha a jogar botão com o Santa Cruz? A resposta estava no talento de uma geração que encantava. Gente como Givanildo (talvez o maior ídolo da história do clube) e Luciano, que depois ajudariam o Corinthians a sair da fila e ganhar o Estadual de 77; Ramón, célebre parceiro de Dinamite no ataque do Vasco; e Nunes, que sairia de Pernambuco para conquistar o mundo com o Flamengo de Zico.

Má gestão e amadorismo levaram o Santa à bancarrota. Comuns pelo Brasil, fizeram no Recife a sua maior vítima.

Era uma época de ouro. Em 75, o time chegou às semifinais do Brasileiro. Eliminou o Palmeiras nas oitavas, vencendo por 3 a 2 em pleno Palestra, passou pelo Flamengo nas quartas, impondo um 3 a 1 de virada dentro do Maracanã. Os pernambucanos, até hoje, culpam Armando Marques, aquele juiz que errou a conta dos pênaltis de Santos e Portuguesa numa final de Paulista, pelo time não chegar à final. O juiz não teria dado um pênalti claro a favor do Santa e teria validado um gol irregular da vitória do Cruzeiro.

É de dar dó, 45 anos depois, ver o Tricolor na situação em que se encontra. Em que pese uma torcida apaixonada, fanática em sua persistência, capaz de garantir médias de público superiores às da Série A, o Santa virou, fora de Pernambuco, apenas uma história. Uma saudade para aquela geração de moleques jogadores de botão. É incrível. É uma maldade do destino que Givanildo, de cabelos brancos, seja hoje o técnico do time que nem sequer consegue se classificar na Série D. É penoso ver que o Arruda, inaugurado num 0 a 0 com o Flamengo em julho de 72, vai ficar às moscas, fechado, até o Estadual do ano que vem.

E o pior, é um círculo vicioso. Quanto menos joga o clube, menos fatura; quanto menos fatura, menos tem chances de montar um bom time; quanto menos time tem, menos chance tem de subir. Triste sina no futebol do Brasil.

*Luiz Fernando Gomes é Editor-Chefe do Diário Esportivo Lance! e publica a coluna Apito Inicial todo domingo.

Qual o presidente ideal para o Santa Cruz nas próximas eleições?

  • Sérgio Murilo (54%, 89 Votos)
  • Jonas Alvarenga (15%, 24 Votos)
  • Não sei (13%, 21 Votos)
  • Fernando Bezerra Coelho (8%, 13 Votos)
  • Antônio Luiz Neto (5%, 9 Votos)
  • Lula Cabral (2%, 4 Votos)
  • Sebastião Oliveira (2%, 3 Votos)
  • Joaquim Bezerra (1%, 2 Votos)

Total de votos: 165

Carregando ... Carregando ...

Votação encerrada

Quem foi o principal responsável pela eliminação do Santa?

  • Todas as anteriores, dou um no outro e não quero torna! (34%, 33 Votos)
  • Raimundo Queiroz, que montou um time ruim da gota! (28%, 27 Votos)
  • Os jogadores, um lote de frouxos e cambada de pernas-de-pau! (27%, 26 Votos)
  • FBC, pense numa decepção! (7%, 7 Votos)
  • Givanildo, que desaprendeu a armar um time e a subistituir jogadores. (3%, 3 Votos)

Total de votos: 96

Carregando ... Carregando ...

14 Comentários

  1. Deu vontade de chorar, mas, me segurei e deixei pra Geó fazer as honras da casa (hehehehe).

    Uma bela e, ao mesmo tempo, triste homenagem. Também tive meu time de botão escalado com Givanildo, Ramon, Luciano, Erb…

    Há muito tempo não temos em campo uma equipe digna, também, de virar time de botão. Ou, vá lá, ser escalada no playstation, pois futebol de mesa virou coisa de adulto.

  2. Arnildo Ananias de Oliveira
    2

    DIZER O QUE?

    O pior é que fui TESTEMUNHA OCULAR dessa saga vencedora e morava, à época, em SJ dos Campos/SP, cortada pela Via Dutra (à 80 km de SP e 320 do RJ) pois 400 km é a distância entre SP e RJ.

    Tive a felicidade de ver, “in locum”, não só essas 2 vitórias gigantescas contra o Palmeiras (com direito a gol de Pio, ex-Palmeiras, no final do jogo em Parque Antárctica) e Flamengo mas também, a vitória por 3 gols contra o então, excelente time do América/RJ entre esses 2 jogos.

    Também voltamos a vencer com 3 gols o Palmeiras, 1 ou 2 anos depois, também em Parque Antárctiva (quando levamos um gol contra, do meio da rua, do lateral-esquerdo Pedrinho) mas, desta feita, já morava em Brasília e, se não estou enganado, vi a transmissão pela TV.

    Agora, pra mim, o jogo épico contra o Palmeiras naquela época, ocorreu numa derrota nossa e não numa vitória, 1 ou 2 anos antes (não lembro) desse 3 X 2), também em Parque Antárctica: estávamos perdendo de 4 X 0 o 1º tempo (com 4 gols do centro-avante César, irmão dos também centro-avantes Caio e Luizinho (respectivamente América e Fla, do RJ). No 2º tempo o Luciano “Maravilha” me faz 3 gols e o juiz me termina o jogo faltando 2 minutos pra acabar. A própria impressa de SP comentou que se o juiz tivesse levado o jogo até o tempo normal e dado os devidos descontos, o SAnta Cruz viraria e ganharia o jogo. NÃO É DE HOJE QUE SEMPRE FOMOS ROUBADOS!

    SAUDASANTA

  3. No sábado o mesmo Lance fez uma materia sobre media de público em
    todas as séries do Brasileiro e o destaque foi o Santa Cruz com
    direito a foto do Arruda lotado no jogo com o guarany(CE), detalhe,
    duas paginas.
    Arnildo, o gol não foi contra, Pedrinho bateu uma falta recuando pro
    goleiro e deu um presente ao Toninho centroavante do Palmeiras, eu
    estava lá assim como no 3×2 em que Leão foi hostilizado pela torcida
    após o gol de Pio, bons tempos, éramos respeitados.

  4. Arnildo Ananias de Oliveira
    4

    Tem razão José Edson,

    Na realidade fiz confusão com um jogo contra as barbies aqui em Recife (não lembro se antes ou bem depois desse jogo) que o lateral-esquerdo nosso fez um gol contra. Não lembro se ainda era o Pedrinho. Acho que não.

    Por falar no Leão, depois desse jogo o mesmo encerrou sua carreira em Parque Antárctica: foi vendido pro Vasco.

    SAUDASANTA

  5. Elvimário Araujo Júnior
    5

    Em 1975, o Santa Cruz só não chegou a final porque garfado em pleno Arruda, o Santa vencia o Cruzeiro por 1×0 gol de Fumanchu, qdo no final do primeiro tempo em um escandaloso impedimento, Zé Carlos, empatou para o Cruzeiro.
    No segundo tempo o jogo estava empatado em 2×2 e se encaminhava para a prorrogação, qdo levamos o terceiro gol no finalzinho. Estava presente nesse jogo, tinha dez anos de idade e junto com o meu pai não perdia um jogo do Santa.
    Em 1977, nesse jogo contra o Palmeiras, mencionado por Arnildo e José Édson, em que vencemos 3×1, o Santa fez um 1×0 gol de Nunes, o Pameiras empatou com um gol de Toninho, como José Édson falou, uma bola recuada erroneamente por Pedrinho. O jogo estava 1×1, qdo Nunes foi expulso ainda no primeiro tempo. Mas tínhamos um grande time e mesmo com dez jogadores, fizemos dois gols com Fumanchu e vencemos por 3×1. Dias depois jogamos contra o Remo no Arruda, e precisávamos vencer por dois gols de diferença ( chegaríamos novamente entre os quatro do Brasil ), para não depender do jogo do Operário que jogava uma hora depois contra o Palmeiras. Nessa época só vitória por dois ou mais gols de diferença é que valia três pontos.
    Vencíamos por 2×0 e caminhávamos para o final do jogo, qdo o Remo marcou um gol, terminando 2×1. Ficamos na dependência do jogo do Operário, torcendo para que eles não ganhassem por dois gols de diferença, mas O Palmeiras já desclassificado, não foi páreo para o Operário perdendo por 2×0.
    Nessa época éramos junto com o Bahia, os times mais respeitados do Nordeste. Tenho saudades desses anos de ouro do Santa Cruz até das noites que ficávamos sem dormir quando ele perdia, meu pai então, parecia que tinha perdido uma pessoa da família. Hoje o nosso querido Santa perde tanto que a gente não tem tempo nem de ficar triste.

    Abraço.

  6. Aproveitando a deixa de Ducaldo, lembrando da série recordar é viver, vale a pena ler uma crônica de Artur sobre o tema, publicada neste blog. Não lembro o título, mas o chefinho certamente lembrará.

  7. Lembrei o título. “Nunca perca um botão”

  8. “O gramado do Arruda vai passar por manutenção” (limpeza de ervas daninhas, corte, aplicação de inseticidas). Realmente providencial.

    Mas, e o Santa Cruz? vai para a manutenção quando? Deveriam fazer uma preventiva, pois a quantidade de insetos e ervas daninhas cercando o clube e prestes a invadí-lo é grande.

  9. Tambem vivi essa maravilhosa época! Colecionava fotos dos jogos, cheguei a fazer albuns!Passavamos a semana picotando papeis para fazer confetis; ficava esperando ansiosamente a proxima ediçao da revista PLACAR que meu pai trazia…eita, dificil segurar as lagrimas pra quem viveu o que vivi e hoje esta testemunhando essa triste situação!!

  10. Hélio Mattos
    10

    Só corrigindo, não fazem 45 mas 35 anos e, por fim, não foi 3 a 2 sobre o Palmeiras em pleno Palestra, e sim em pleno Arrudão, salvo eu não esteja ficando louco. (Coisa sobre a qual eu tenho cá minhsa dúviadas).

  11. Arnildo Ananias de Oliveira
    11

    Meu amigo HÉLIO MATOS,

    Os 3 X 2 no Palmeiras, com um gol de Pio no “apagar das luzes”, foi em Parque Antáctica sim e eu estava lá (26/10/1975). Em 15/08/2001 vencemos o Palmeiras, por este mesmo placar, no Arruda.

    Aqui http://futpedia.globo.com/confrontos/santa-cruz-x-palmeiras/jogos você encontra TODOS OS JOGOS DE CAMPEONATO NACIONAL, entre Santa Cruz e Palmeiras, até 2006.

    SAUDASANTA

  12. Má gestão e amadorismo, disse o autor. Foi gentil, usou eufemismos. O buraco foi cavado por ladroagem, mesmo. Má gestão e amadorismo é em não conseguir sair dele.

  13. JULIO CESAR
    13

    Tenho 30 anos e nao vivi estes momentos gloriosos do velho e querido santa mas vem as lágrimas quando escutos e leio estas estórias em que o santa encarava os times do sul e do sudestes de igual pra igual e agora será que minha geração nao vai ver isso de novo um abraço.
    uma sugestão vendam o clube pra uma mutinacional de ponta pq com estes phds em administração nao chegaremos a lugar algum

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *