E se Nunes tivesse ido à Copa de 78?


A Expectativa era grande. Era a estréia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Argentina. O escrete canarinho, estava entrosado e era um dos favoritos ao título. Apesar de ter sofrido uma contusão que o ameaçara de corte, o Cabelo de Fogo (como era conhecido em seu Clube, o Santa Cruz de Recife) estava confirmado no ataque e era a maior esperança de gols da seleção.
Nunes surgiu para o Futebol Brasileiro no Santa Cruz Futebol Clube. Foi adquirido ao Sergipe em 1975, e desde então vem se destacando com sua equipe no cenário Nacional. A chegada do craque culminou com uma ascensão nas campanhas da equipe pernambucana no campeonato brasileiro: 4º (1975, sendo o primeiro clube nordestino a chegar as finais de um Brasileiro), 11º (1976), 10º (1977, com Nunes marcando 14 gols).
O Jogo era contra a Suécia. O Brasil passou facilmente por 3×0, com 2 gols de Nunes e 1 de Zico. Depois veio a Espanha (2 x 0, com 2 de Nunes) e Áustria, que vencemos com certa dificuldade (1×0), pois jogamos sem nosso Artilheiro.

nunes.jpg

Nunes não se recuperou a tempo para o jogo contra o Peru. Mas mesmo assim, o time foi bem, vencendo por 3 x 0. Era chegado o grande teste. O Confronto contra a Argentina seria decisiva para a classificação às finais. Nunes declarou a imprensa que “jogaria até de muletas”. A Raça do jogador contagiou a Seleção. Foi um jogo difícil, catimbado, que só seria decidido aos 43 do Segundo Tempo. Num contra-ataque, Zico lança Nunes em profundidade, que fuzila sem piedade o gol argentino. Era o gol para a Final!

Na final, o Brasil se impôs, vencendo por 3 x 1, com mais um show de Nunes, que marcou mais 2 e terminou como artilheiro do Certame com 7 gols. O Brasil era tetra campeão mundial, com Nunes sendo eleito o melhor jogador da Copa.
Diversas propostas foram feitas ao Santa Cruz pelo passe do seu artilheiro, mas a diretoria decidiu segurá-lo, afirmando que o Santa lutaria pelo título. A Imprensa Nacional não deu muita bola, mas no decorrer do campeonato, o Santa Cruz foi mostrando seu poderio. Ao passar invicto pela primeira, segunda e terceira fase, o Santa encarou nas quartas de final o Inter-RS, bi-campeão brasileiro. Só deu Santa: 2 x 0 no Arruda e 0 x 1 no Beira Rio. Era a vitória que o time precisava. O Time chegou a final, para enfrentar o surpreendente Guarani de Campinas. E venceu de forma impiedosa no Arruda: 3 x0. Com o cabelo de fogo marcando os 3. Em Campinas, um 0 x 0 para garantir o título. Santa Cruz Futebol Clube, campeão Brasileiro de 1978!
A partir desse momento, ficou insustentável segurar o craque Nunes. Depois de praticamente acertar sua transferência para o Fluminense por US$1 Milhão, o negócio não foi concretizado, pois o Santa Cruz recebeu uma proposta irrecusável do Exterior: O Poderoso Real Madrid oferecera US$ 13 Milhões, naquela que viria a ser a maior transação do futebol brasileiro.
Para se recompor da perda do craque Nunes, a diretoria resolveu montar um super time para disputar a Libertadores da América. Careca, revelação do Guarani foi a principal contratação, no time que chegou as Semifinais da competição, sendo eliminado pelo Olímpia do Paraguai.

O Santa Cruz passou a ser conhecido e temido em todo Brasil, sempre realizando boas campanhas, culminando com o Bi-campeonato Brasileiro de 1985.

18 Comentários

  1. Manoel Valença
    1

    Leonardo,

    Com metade disso, eu já estaria muito feliz. Esse ano, um mísero 4o. Lugar na Série B já me deixaria alcoolizado, sem fala e com uma ressaca monstra.

    Parabéns pelo texto.

  2. Leonardo,

    pelo menos duas paradas, nessa muito bem escrita viagem, poderiam ter virado realidade:

    A final Santa Cruz x Guarani, pois nós tínhamos time pra isso.

    A negociação de Nunes para um clube europeu, caso ele não tivesse sido sabotado por Lídio Toledo e estivesse na seleção que foi à copa de 1978. Foi o que aconteceu com Roberto Dinamite, que tomou seu lugar na lista de convocados e praticamente a vaga do Reinaldo no time titular. Apesar de jogar mais do que os dois, Reinaldo estava muito mal fisicamente.

    Roberto foi negociado com o Barcelona em 1980 por uma bela soma em dólares. Será que o mesmo não poderia ter acontecido com Nunes?

  3. Leonardo Jr.
    3

    Ducaldo,

    É a mostra que uma simples ação, poderia ter causado toda uma reviravolta na vida do clube. E aí a imaginação nos leva longe…

  4. Como eu queria que esse texto de Leonardo fosse uma realidade.

    Mas como nosso Santinha era sempre alvo de sacanas, tanto por arbitros tendenciosos (Santa e Cruzeiro em 1975) e por um médico mal intencionado como esse fdp do Lídio Toledo, queimando Nunes da seleção e melando a negociação do atleta com a Europa, é claro que nunca iríamos ter essas glórias.

    Sempre foi assim, o eixo sul-sudeste nunca deixa um clube do norte-nordeste, e até do centro-oeste, se destacar. Um exemplo é o Goiás, um time bem estruturado, mas entra ano e sai ano e não consegue um título importante. Na década de 70 o Santa era bem organizado, formava grandes times, mas para ganhar um título, não bastava jogar com técnica, vontade e raça, tinha que enfrentar um extra-campo cheio de pessoas maliciosas e sem caráter.

    É uma vergonha esse futebol brasileiro. E que lá fora é conhecido como o “melhor” do mundo.

    SAUDAÇÕES TRICOLORES!!! O AUTÊNTICO!!!

  5. Claudemir Pereira - Mameluco Tricolor
    5

    Caro Leonardo!

    Quando vejo alguma coisa sobre o cabelo de fogo, porra! é como se eu estivesse vendo aquele time dos anos 70 jogando. Lembro que nessa época morava em Maceió e ficávamos, eu e meu irmão, chamando meu pai (quanta saudade) para virmos ao Recife ver o SANTINHA jogar. Ele tricolor sadio, nem retrucava dizia logo: vamos. Bons tempos e que time.
    Outro fato interessante é que meu time de botão, feito de mica, tinha as caras desse time coladas entre as faces do botão. Cá pra nós, nos campeonatos que realizávamos não tinha pra ninguém, só dava SANTA CRUZ.
    Bem, com relação ao texto é uma viagem que todos nós queremos um dia ver realizada, e não seremos desclassificados da Libertadores pelo Olímpia, nem por ninguém, o título será nosso e estaremos em Tóquio.
    Ah! Ducaldo, também tenho essa impressão, se não houvesse aquele arrumadinho teríamos feito uma boa negociação, como fiz, vendi “Nunes” por uma grana besta, deu pra comprar material para fazer onze boTões com o dinheiro, detalhe o comprador era carioca e torcia pelo framerda.

    Saudações Tricolores

  6. Leonardo Jr.
    6

    Maurício/Claudemir,

    Tenho uma inveja arretada de vocês(no melhor sentido que a palavra possa expor). Como eu queria ter visto esse Santa Cruz da década de 70 em campo!!

    Mas tenho certeza que ainda verei um grande esquadrão coral metendo medo e apavorando escretes de todo o país. Vamos lutar e nos engajar para recuperarmos nosso clube!

  7. Marco - de Natal/RN
    7

    Quem dera que isso tivesse acontecido mesmo…

    Meu pai viu aqueles times dos anos 70, quando éramos um time de verdade, um Clube de verdade. Tempo bom, onde não havia facções que se acham maiores que o Clube, onde não havia quem achasse que é mais Tricolor que os outros.

    Já eu não tive esse prazer, já que nasci apenas no final dessa década. Enquanto meu pai viu Nunes, Volnei, Luis Fumanchu, Ramon, Givanildo etc. eu vi Nenê, Mexirica, Andrade, Neto… sinal dos tempos. :-\

    Sinceramente espero que algum dia voltemos a ser grandes. E me mantenho sócio em dia com o Clube e sempre que possível me desloco até o Arruda e pago meu ingresso (nunca coagi direção pra pagar pra mim, que fique bem claro). Se cada um fizer sua parte as coisas tendem a melhorar.

  8. Rapaz!

    Eu tô ficando velho mesmo. Tive time de botão com os nomes de Givanildo, Ramon, Gilberto, Sapatão, Luciano, Erb…….

    Claudemir, eu tenho quase certeza. Uma passagem pela seleção brasileira em copa do mundo valoriza muito o jogador.

    Infelizmente, ficamos no se…….

  9. Cláudio Machado
    9

    Pra dizer que esse texto foi um sonho bom que tive acordado:
    O Santa Cruz contrata também o goleiro revelação do Guarani, que durante muitos anos foi considerado como o primeiro santo tricolor: São Birigüi.

  10. Leonardo,

    hoje posso durmir mais tranquilo após ler esse texto, viajei no tempo.

    Sou dessa época, vi Ramon, Nunes e companhia jogarem, ir ao Arruda nessa época era muito bom, tínhamos certeza de vitórias. Ver aquele pessoal jogar era um prazer fora de série.

    Rezo todo dia que o Santa Cruz volte a ser o que era, entretanto na mão desse povo que hoje conduzem o time, acho muito difícil.

    Grande abraço,

    Carlos Lira

  11. nunes foi um grande centroavante,mas abaixo de dinamite,reinaldo,careca etc…
    mas como vascaino perdi muitas noites de sono às vesperas dos grandes embates contra zico, nunes e adílio
    torço pra que o santavolte a primeirona,pois tem muito mais tradição q juventude,paraná,figueira etc…
    o filho do zé do carmo vai arrebentar esse ano no vascão!

  12. Antonio Madruga
    12

    Acompanhei essa tragetória maravilhosa do meu bi-super tricolor pernambucano, com esse jogador fantástico,Nunes o cabelo de fogo,injustiçado pelos dirigentes da selação brasileira. Quando ele era escalado no comando do ataque tricolor,era gol certo.Lembro-me muito bem num clássico com o sport, enquanto o sport comemorava seu gol,ele aproveitou um cruzamento e de cabeça completou para o gol,calando aquela torcida rubro negra.É muito bom lembrar os gols de Nunes.
    Grande abraço,
    Antonio madruga.

  13. Edmilson Filho (Salvador)
    13

    Nunes Cabelo de Fogo, bons tempos do Santa.

  14. qt bobagem. vc sonha demais. zico, reinaldo, jorge mendonça, um monte de craques não fizeram a diferença naquele esquema porco do coutinho, e vc axa q o nunes ia resolver?

  15. fabricio ferreira de aquino
    15

    Verdade o santa cruz tinha um timão nos meados dos anos setenta além de uma 4a colocação no campeonato brasileiro,teve um jogo seleção de pernambuco x seleção brasileira nos preparativos para a copa de 78,na seleção de pernambuco tinha 06 jogadores do santa(givanildo,joãsinho,fumanchu,paranhos joel mendes e carlos alberto barbosa)de quebra ainda tinhamos o nunes jogando pela seleção brasileira, o jogo foi 0x0.ganhamos do palmeiras 3×2 em são paulo um jogador a menos (o nunes) e etc etc viva o meu tricolor,cobra coral .
    tenho certeza que um dia voltaremos tremei vos.

  16. Daniel Damasio de Oliveira
    16

    Olá. Só uma correção: Nunes, o grande ‘João-Danado’, foi adquirido do Confiança, e não do Sergipe. Ele estourou no Estadual de 1974, onde foi artilheiro pelo Dragão. Uma figura muito conhecida de Aracaju – que esqueci o nome – era secretária do Confiança quando datilografou o primeiro contrato profissional dele.

  17. Em 1975 nós eliminamos o Flamengo de zico por 3 a 1 no maraca, e fomos roubados dentro de casa contra o cruzeiro nas semis. Em 78 perdemos por 2 a 1 para o Inter de Porto Alegre e vencemos o jogo de volta por 1 a 0 no Arrudão, se isso fosse nos dias atuais nós passaríamos à próxima fase pelo gol feito fora de casa, mas fomos eliminados. Nós sim tínhamos time para ser campeão brasileiro enfrentando os grandes times. O sport só pegou time da serie B e depois queria fazer uma final com o flamengo que foi campeão da série A. É piada!!!!!

  18. tive o prazer de jogar nessa epoca pelo santa cruz.

    abraços do ex lateral orlando.

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *