Triângulo das Bermudas

A coisa mais certa a se fazer nesse momento por parte do Santa é questionar juridicamente esse absurdo que é a série D. Acho curioso, e um tanto triste, que alguns tricolores discordem, fazendo o jogo de certa imprensa rubro-negra, alegando que tal contestação jurídica é “apelar para o tapetão, ou “virada de mesa”.

Mas vejamos alguns fatos. Jogamos a série B, já na gestão do diminutivo, com duas possibilidades: ou voltaríamos à série A, ou cairíamos para a série C. Exato? E, guiados por essa informação e esse regulamento, a torcida compareceu aos jogos, comprou ingresso, acompanhou o certame; assim como, tendo por referência tal lógica que dirigia o campeonato brasileiro há alguns anos, a diretoria fez seu planejamento, suas contratações, investimentos. Isso tudo se deu, pessoal, no ano de 2007.

Como sabemos, O Mais Querido caiu para a terceirona. Essa queda já era um castigo duríssimo! Mas o que aconteceu? No ano subseqüente, em 2008, a poucos dias do início da Terceira Divisão, a CBF decide criar a quarta divisão. O limbo dos limbos! Um buraco negro! Um triângulo das Bermudas do futebol nacional! E criou essa tal de série d da forma mais bizarra possível. Pois, de fato, todos os clubes que, teoricamente estariam na série c deste ano (2008), começaram o campeonato sem pertencer à divisão alguma! Fizeram com que o Santa caísse da série B para o nada. Apenas quem conseguisse escapar das duas primeiras fases poderia se considerar da série C, para os outros restou a necessidade de mediante a disputa estadual alcançar o nada…

Mas, pergunta alguém mais ligado: “e o regulamento da série B de 2007 que garantia que meu time jogasse a C caso fosse rebaixado, foi rasgado?” “Quer dizer que meu dinheiro, minha torcida, não valeram de nada?” A resposta é sim. Conseguiram absurdamente fazer com que o Santa caísse, repito, da segunda divisão para o nada…

Pelo regulamento a série C teria 64 clubes esse ano. Mas na verdade não foi isso o que aconteceu. 16 se garantiram na série C do ano que vem, 04 vão ascender à B e 44 ficaram, a princípio, fora do brasileiro!  Esse é o caso da Santa. Terá de garantir sua participação pelo índice que obterá no estadual do ano que vem.

Quando a CBF quis mudar o regulamento da série A, diminuir de 24 para 20 clubes participantes, o fez paulatinamente. Para criar esse troço chamado quarta divisão a CBF não se intimidou a, numa só pernada, mandar 44 ao limbo dos limbos. E veja-se que tal fato se deu apenas para aqueles que caíram de 2007 para 2008. Os que caírem da série B para a C este ano, estes sim, terão garantido o direito de jogar a série C. E apenas se ficarem entre os 4 piores times é que farão parte da série D. Ou seja, cairão uma série por vez.

Os direitos do nosso Santa foram feridos. É triste não ver a mobilização da Federação Pernambucana nem da imprensa do estado na defesa dos interesses corais. Mas será ainda mais triste se parte de nossa torcida, mesmo diante do absurdo que foi cometido pela entidade sem dono que é a CBF, ficar tímida, encabulada e com vergonha de lutar por justiça.

Ps1: O presidente da FPF mobilizou-se quando foi para defender seu amigo Edinho diminutivo, naquele caso patético de um suposto dossiê sobre corrupção na terceira divisão. Mas, e agora? Cadê sua voz na defesa do Santa?

Ps2: A FPF e a imprensa do estado, em 1987, faltaram descabelar-se defendendo a coisa para a conquista do brasileiro. Mesmo quando juridicamente o argumento da coisa era ruim, pois o regulamento previa o cruzamento do campeão e vice do módulo verde (1º divisão de fato, da qual o Santa fez parte) com o campeão e vice do amarelo – que não havia. Já que, numa das maiores palhaçadas da história, a coisa e o Guarani resolveram “dividir” o título da segunda divisão. Naquele momento, NINGUÉM falou em tapetão nem em virada de mesa.

Nota da Redação:

Para contribuir com a discussão que cerca a legalidade da criação da Série D e as mudanças introduzidas na Série C do campeonato brasileiro de futebol, estamos disponibilizando um link para o Estatudo de Defesa do Torcedor.

Acreditamos que a leitura atenta do Estatuto nos auxiliará em nosso debate.

22 Comentários

  1. Seria fantástico o Santa disputar a Série C em 2009. Pouparia-nos de alguns problemas.
    Entretanto, não concordo plenamente com seu argumento. Acho que disputamos a série C e fomos rebaixados. A grande questão foi o grande número de times rebaixados, mas acredito que não há nada na lei que se oponha a isso.
    De qualquer forma, o contraditório está aí e acho válido algum movimento nesse sentido, até pq seria ruim até mesmo para a CBF a presença do Santa na Série D.

  2. olha jotagá, eu discordo de vc. se fomos rebaixados já estaríamos na série D e não estamos. fomos eliminados do brasileiro.

  3. ALEXMICRURUS
    3

    Já falei sobre isso faz tempo, o pior é que tem gente que não entende de jurisprudência e fica falando que é virada de mesa.
    Outra coisa é esse presidente da federação passar 20 anos no poder, é um absurdo que temos que arcar devido ao passado sombrio que ficamos a míngua e sobserviente aos poderes desse ditador. não há uma entidade governamental que não se contraponha esse abuso ditatorial, temos que acabar com essa monarquia ele é o rei e nós os bobos da corte.
    Temos que fazer barulho, ficar calado é aceitar.
    Marcelo Beltrão, me clona e bota no BLOGDOSANTINHA

  4. Marcelo Beltrão
    4

    Realmente, independente de ter ou não conhecimento jurídico, essa criação da Série D me parece sem sentido, Pelo menos a forma como ela foi criada, com uma avalanche de clubes rebaixados, sem conselho arbitral, enfim, uma arbitrariedade por parte da CBF. Ficar calado é concordar com isso. Tem que gritar mesmo ! Ainda tem a questão do Duque de Caxias, que pode ocasionar uma reviravolta.

  5. Discordo do argumento exposto. O Santa Cruz foi rebaixado pra Série C em 2007, a disputou em 2008 e não alcançou o critério técnico para disputar a edição de 2009. Simples assim, tudo dentro do campo.

    Dois meses antes (e não alguns dias) do início da Série C 2008 a CBF divulgou os critérios para a disputa em 2009. A novidade é que em vez de 64 participantes seriam 20 e pra conquistar uma das vagas seria necessário passar da segunda fase na edição 2008, ao contrário de anos anteriores em que a classificação se dava via Campeonato Estadual.

    Na época, ninguem se levantou contra esse “absurdo”, talvez por que não tivesse nada de absurdo. O Estatuto do Torcedor diz que o regulamento de uma competição pode ser modificado após dois anos. A CBF obedeceu isso.

    Digamos que a não houvesse a criação da Série D e a Série C em 2009 continuasse com 64 clubes. Ainda assim não estaríamos garantidos. Caso não conquistassemos a vaga no Pernambucano 2009 ficaríamos no limbo, assim como agora. E aí, o clube deveria entrar na Justiça pra exigir o “direito” de disputar a Série C 2009, mesmo sem ter conquistado a vaga no campo?

    Os argumentos que o Santa está utilizando pra pleitear essa permanência na C são facilmente refutáveis.

    Não teve Conselho? O Conselho é consultivo, sempre foi, quem decide é a CBF. O Santa sabe disso, sabia disso antes de a Série C 2008 começar.

    O regulamento da C não previa rebaixamento? Não houve rebaixamento. A CBF modificou os critérios técnicos pra participação dos times, quem não atendeu
    os critérios ficou de fora, como sempre foi.

    Se conseguirmos isso será por pura politicagem, não por méritos ou por que nossos “direitos” foram feridos. Será horrível disputar a Série D, triste, mas foi o que nos restou. A imagem do nosso clube está extremamente desgastada, apelar pro Tapetão só irá aumentar esse desgaste. Nos juntaremos aos Fluminenses e Bahias da vida em questão de virada de mesa.

    Sinceramente, não quero isso pro meu clube. Toda essa crise me deixou muito triste, mas em nenhum momento senti vergonha de ser tricolor. Quero permanecer assim.

  6. É simples, o rebaixamento garantiria o direito de disputar a divisão inferior (a D, no nosso caso…). Por outro lado, ainda teremos que disputar o estadual e ficarmos em uma boa colocação para termos o direito de disputar a série D.
    Não houve rebaixamento, mas sim exclusão de qualquer divisão. No meu ponto de vista, essa é a parte ilegal.

    Não vou entrar no mérito da criação da série D, pois não conheço o processo.

    Abraço!
    Erick Ramo

  7. lUÍS tRICOLOR DA tORRE
    7

    Um peso e muitas medidas.

    Assim é a FPF.

    Um peso: o Bode Rouco somente faz peso para beneficiar a cachorra de peruca, a drag queen da ilha da fantasia.

    Várias medidas: Todas em prol daquele time de refugo da cachorra de peruca. A ação declaratória para remodelar o estadual em benefício das suzis, o boicote branco em relação à situação do Santa Cruz e a série C., etc.

    Como disse o Fabiano Pinheiro: “A próxima revolução deve ser na Federação. Já a imprensa nem precisa mudar, basta pagar.”

    Santa Cruz sempre.

  8. Essa série D é simplesmente ridícula, 44 clubes foram excluidos o que não dá direito de igualdade perante as outras séries, o direito de acesso e decesso tambem foi ferido.
    Pior ainda é essa rubro-imprensa-negra, que só fala do santa cruz negativando ou pejorativando, não vejo ninguém falando no valor do clube e quanto ele foi prejudicado com tudo isso, temos que fazer algum movimento contra isso.

    Primeiramente vamos deixar de escutar essas rezenhas. Escutem a TRIBUNA DO SANTA CRUZ.

  9. Geraldo Tricolor da Iputinga
    9

    A série D foi criada sem nenhum cuidado, sem nenhum critério, sem nenhuma preocupação com os clubes de futebol do Brasil como um todo. Aliás, a CBF não demonstra nenhum interesse por eles com exceção dos integrantes do Clube dos 13. Mesmo assim, quem comanda o campeonato brasileiro não é a CBF e sim esse tal de clube dos 13. A distribuição de cotas de forma absurda, premiando um único clube da 2ª e um da 3ª por supostamente fazer parte desse grupo exemplifica o descalabro de tudo.
    A 4ª divisão foi criada apenas para calar definitivamente os médios e pequenos clubes. Engana-se a todos com o consolo de estarem disputando uma competição nacional, mas com pouquíssimas condições de ascensão por abandono financeiro. Entretanto, o Santa Cruz não é filiado ao Clube dos 13 e sim à Confederação Brasileira de Futebol, e não é pequeno e nem médio. É grande e deve lutar com todas as forças e dentro do direito por algo que julga legal.
    Anos atrás o Gama foi rebaixado para a 2ª divisão do campeonato brasileiro. O departamento jurídico do clube encontrou erros no regulamento do campeonato que poderiam evitar o rebaixamento.

    Para alguns isso não deveria acontecer porque seria virada de mesa.

    O Gama recorreu, e mesmo contra a opinião da CBF, do Clube dos 13, da rede Globo, etc., etc., etc., evitou o rebaixamento e de forma legal, disputou no ano seguinte a 1ª divisão.
    Para que existem o TJD e o STJD?
    Chega de passividade, chega de conformismo. Se existe direito, e eu não tenho nenhum conhecimento jurídico mas acredito nos homens que estão à frente do clube, que se busque.
    Que virada de mesa que nada. Isso se chama legalidade.
    Virada de mesa é:

    -Declarar um clube campeão de um campeonato que nunca existiu.
    -Tirar o clube da Rosa e Silva para a segunda divisão sem ação jurídica nenhuma.
    -Tirar o Fluminense da 3ª divisão para a 1ª sem disputar a 2ª.

  10. Bosquímano
    10

    Temo que o Café tenha razao.

  11. Coronel Peçonha
    11

    Café,

    ANTES, gostaria de dizer que não é virada de mesa ou tapetão o que o Santa pretende. Ora, a FPF entra na justiça para mudar o campeonato contra o Estatuto do Torcedor e não é tapetão?

    Pois bem, voltando ao amigo Café, digo que seus argumentos têm lógica, mas são discutíveis o suficiente para eu não os aceitar.

    Primeiro, sabe qual foi o FUNDAMENTO JURÍDICO para o título de 1987 da coisa? O Conselho Arbitral. É, Café, só isso já mostra que a discussão não é tão simples. O ESTATUTO DO TORCEDOR É CLARO AO EXIGIR O CONSELHO ARBITRAL.

    Acabo de ouvir Paulo “Shit” do STJD e aquele cidadão chega ao absurdo de falar que o Estatuto do Torcedor não pode ser visto com rigor e sim de forma flexível, abrandada. ONXE, só vale quando é para lascar o Santinha?

    O acesso e decesso deveria ter sido previsto, conforme rege o Estatuto do Torcedor, e não foi.

    Dizer que não houve rebaixamento é inaceitável.

    DIGO MAIS: poderia a CBF no começo de 2008, antes da Série C, modificar os critérios de acesso à Série C do ano que vem? Por exemplo, ranking do time?

    IMAGINEMOS a Copa do Brasil, citada pela CBF para alegar que não havia arbitral.

    Ora, Pernambuco tem direito a duas ou três vagas todos os anos. E se antes da Copa 2009, a CBF diga que só teremos uma vaga e que fosse aberta mais uma vaga para um time paulista, é possível?

    Não tenho a resposta a essas perguntas, mas de logo já sabemos que todo mundo ia reclamar, mas, pelos argumentos de Café, a CBF teria direito.

    O Santa Cruz é minha pátria.

  12. Fabiano Pinheiro
    12

    Prefiro Chá!

  13. Bosquímano
    13

    Acho que o texto de Geó comete algumas falhas ao dizer que o Santa caiu da B pro nada. Caiu da B para a C e jogou (muito mal) a C. Concordo com o Café quando ele diz que nao mudou a forma de acesso a série C. Mesmo antes da criaçao da famigerada série D, os únicos clubes garantidos na série c sao os rebaixados da b. Os demais devem conseguir a vaga no estadual.

    A questao, para mim, é saber que pontos da criaçao da série d ferem os estatuto do torcedor. Proponho ao Peçonha, que é advogado e escreve muito bem, que faça um texto fundamentando as irregularidades da criaçao da série D. Isso seria de grande contribuiçao para o debate.

    Se confirmado que a criaçao da série d fere o estatuto do torcedor, temos que brigar. Caso contrário é virada de mesa.

  14. Fabiano Pinheiro
    14

    TIMEMANIA: Estou no grupo que vai fazer o bolão entre os conselheiros. Mas adianto que precisamos mais que isso. É importante expandir o movimento pra não ficar apenas em grupos limitados. Cada um de nós deve levar volantes da TIMEMANIA e distribuir com amigos tricolores, fazer mini-bolões com amigos, divulgar por e-mail etc. Também deveríamos fazer um super bolão junto com os empresários do conselho consultivo empresarial.

    Pra esclarecer sobre a TIMEMANIA, transcrevo parte da LEI que a Instituiu:

    “Art. 6 o Os valores da remuneração referida no inciso II do art. 3 o terão a seguinte distribuição:
    I vinte por cento do total de recursos arrecadados em cada sorteio serão divididos da seguinte forma:
    a) sessenta e cinco por cento em partes iguais, entre os integrantes do grupo 1;
    b) vinte e cinco por cento em partes iguais, entre os integrantes do grupo 2;
    c) oito por cento em partes iguais, entre os integrantes do grupo 3;
    d) dois por cento em partes iguais, entre os integrantes do grupo 4;
    II – dois por cento do total dos recursos arrecadados em cada sorteio serão distribuídos entre os times de futebol profissional integrantes dos grupos 1, 2 e 3, conforme respectiva proporção de apostas indicadas como “Time do Coração”.
    § 1 o Para todos os efeitos, as regras para o “Time do Coração” serão definidas pela Caixa Econômica Federal e aprovadas pelo Ministério da Fazenda, conforme o disposto no art. 2 o .
    § 2 o Para fins de distribuição dos recursos de que trata o inciso I do caput deste artigo, a vinculação dos times de futebol profissional aos respectivos grupos 1, 2, 3 e 4 permanecerá inalterada até dezembro de 2009, inclusive.
    § 3 o Anualmente, a partir de janeiro de 2010, inclusive, a distribuição dos recursos de que trata o inciso I do caput deste artigo obedecerá à proporcionalidade de apostas indicadas como “Time do Coração”, considerando-se sempre o ano anterior, conforme os seguintes critérios:
    I – grupo 1: do primeiro ao vigésimo time de futebol profissional mais indicado como “Time do Coração”;
    II – grupo 2: do vigésimo primeiro ao quadragésimo time de futebol profissional mais indicado como “Time do Coração”;
    III – grupo 3: a partir do quadragésimo primeiro time de futebol profissional mais indicado como “Time do Coração”, até que se complete o número de participantes previsto no art. 2 o ;
    IV – grupo 4: times de futebol profissional não integrantes dos grupos 1, 2 ou 3.”

    Resumindo: Ao final de 2009 (e não ao final desse ano) se definirá os grupos 1, 2, 3 e 4 do ano seguinte. A cada ano haverá nova definição de grupos (não será uma definição para sempre). O grupo 1 recebe 65% dos valores destinados aos clubes; o grupo 2, 25%, o grupo 3, 8% e o grupo 4, 2%. Hoje o Santa faz parte do grupo 2 por pertencer à segunda divisão na época da criação da TIMEMANIA.

  15. Fabiano Pinheiro
    15

    Bosquímano, o que geó quis dizer – e concordo com ele – é que o que se chamou de série C, para a qual o Santa caiu, se tornou num “nada”, pois quem cai de uma série normalmente de vaga garantida na série inferior, e esse não foi o caso, além do absurdo de clubes rebaixados. Ou alguém aqui já ouviu falar em campeonato onde 44 clubes sejam rebaixados??????
    Isso é absurdo!!!!!!!!!! Isso, sim, foi virada de mesa!
    O Santa não vai pelitear nada que não seja juridicamente. Portanto, não tem que se falar em virada de mesa em favor do Santa. Se a justiça aceitar nosso direito, então que se faça justiça. Justiça!
    Virada de mesa foi o que fizeram contra a gente de forma escrota e irresponsável.

  16. Coronel,

    Olha, não sou jurista, mas li o Estatuto do Torcedor e não consegui identificar a parte que deixa claro a necessidade do Conselho Arbitral para tomar decisões relativas às competições. Se você pudesse destacar essa parte ficaria grato.

    O que eu sei é que existe de fato um Conselho de clubes, mas ele é consultivo, a CBF pode ou não acatar as sugestões desse Conselho. E desconheço se, mesmo sendo apenas consultivo, esse Conselho é obrigatório.

    E não entendo a razão de você considerar inaceitável a afirmação de que não houve rebaixamento. De fato não houve. Até então, todo time que disputa a Série C e é eliminado fica sem divisão. Só volta a ter direito de disputar se conquistar a vaga no Estadual do ano seguinte.

    Ora, se isso é ilegal então todas as Séries C disputadas até então foram ilegais. Vejamos o exemplo do Vera Cruz, que em 2007 disputou a C. A equipe foi eliminada e ficou sem divisão. Não alcançou o critério técnico no Estadual em 2008 e continuou sem divisão. Dá pra dizer que o Vera Cruz foi rebaixado?

    O mesmo aconteceu conosco. A diferença é que o critério técnico mudou, em vez de Estadual a classificação se deu via Série C. O argumento tricolor poderia ser que a mudança de critério foi injusta, mas afirmar que o critério de acesso e descenso não foi respeitado não procede.

    Quanto as questões por você colocadas, as respondo, de acordo com minha ótica: sim, é Tapetão a FPF entrar na Justiça para mudar o regulamento do Pernambucano. Qualquer torcedor poderá entrar na Justiça para anular o campeonato, mesmo que haja unanimidade entre os clubes, certo?

    E sim, a CBF poderia modificar os critérios da Copa do Brasil, já que o atual regulamento existe há mais de dois anos. E sim, todos iriam reclamar. A questão é a partir de quando começaria a reclamação. No nosso caso, só achamos ruim a criação da Série D quando perdemos a vaga pra Série C dentro do campo.

    O Santa Cruz não é só sua pátria, o considero minha pátria também. Mas quero uma pátria ética, correta. Infelizmente, acho que a politicagem vai falar mais alto e vamos ter virada de mesa (se não concordar com o termo, use outro eufemismo, mas pra mim mudar as regras do jogo é virada de mesa).

    Se o Paulo “Shit” realmente for flexível com a Lei, jogaremos a Série C em 2009. Haja vista o absurdo que foi a exclusão do Duque de Caxias da Série C do ano que vem (?!). Seria isso uma manobra pra melar a Terceirona e a Quartona em 2009?

    Saudações corais

  17. insatisfeito
    17

    Café, discordo, sempre achamos absurda a série D. Só achávamos que não iríamos chegar a ela…

  18. Essa exclusão do Duque de Caxias da disputa da Série C do ano que vem e a permissão para que o time continuasse na disputa desse ano é um absurso. E se o Duque subir no campo? O que vão fazer?

    Mas, voltando ao Santa e a Série D, de fato, o anúncio por parte da CBF em relação a Série D foi feito quase dois meses antes do início da Série C desse ano, conforme notícia publicada na Coralnet:

    http://www.coralnet.com.br/noticias_ler.asp?id=9527

    Eu, também não sou jurista, e confesso que me parece que o Santa Cruz está tentando uma virada de mesa.

    Também não quero que meu time precise do tapetão para se beneficiar, como já fizeram Sport (em 87) e Náutico (em 2000).

  19. insatisfeito
    19

    bene, vamos ver qual o critério da ocupação da vaga do Duque de Caxias, se for pelo ranking, não há virada de mesa, se for pelo desempenho do clube no ano anterior, tamos fora!

  20. insatisfeito
    20

    Jogos de Santa Cruz e Barbie serão 11 x 14, olho no apito, o “presidente” CAÔ só puxa pro lado da cachorra de peruca!

  21. insatisfeito
    21

    AS SÉRIES C E D ESTÃO RASGANDO O ESTATUTO DO TORCEDOR, VEJAMOS:

    Art. 8º – As Competições de atletas profissionais de que participem entidades integrantes da organização esportiva do País deverão ser promovidas de acordo com calendário anual de eventos que:

    I – Garanta às entidades de prática desportiva participação em competições durante pelo menos DEZ MESES do ano;

    II – Adote, em pelo menos uma competição de âmbito nacional, sistema de disputa em que as equipes participantes conheçam, previamente ao seu início, a quantidade de partidas que disputarão, bem como seus adivesários.

    Esses artigos são interpretados em conjunto, quer dizer que TODAS AS SÉRIES tÊm que ser em pontos corridos! Não cabe eliminatória por grupos, dá pra contestar, de uma vez só, as séries C e D por desrespeito ao Estatuto do Torcedor!

  22. milton pereira
    22

    Estou insatisfeito e com o Insatisfeito e faço meu seu comentário número 21, acima.

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *