Ontem

the_tea_party_large_painting

Não dá para dizer que foi um desastre. Mas também está longe a chance de dizer que foi um espetáculo. Algumas coisas positivas, porém muitas negativas ainda. A torcida, como sempre, é o aspecto positivo mais forte. Para mim é difícil descrever a torcida do Santa, traduzir em texto seu comportamento, encadear palavras em uma prosa que lhe reflita. Exprimir algo sobre a nossa torcida, só posso tentar fazê-lo em poemas, já que, evidentemente, há verdades que apenas a poesia alcança.

Após o jogo, vagando pela Encruzilhada, entrei num bar e encontrei Samarone – não sei se ele irá se lembrar… seu estado inspirava cuidados. E, já na primeira cerveja, concluímos: o que estamos fazendo é uma resistência cultural. A torcida do Santa hoje é uma afirmação constante de resistência cultural.

Sobre o jogo, dizer o quê? Jogamos mais uma vez com 12 volantes. Ou foram 13? Não sei; só sei que era volante para danar! Talvez China seja um incompreendido, como todo gênio. Talvez.  Sua inovação tática revolucionária parece prever um time apenas de volantes – Anízio, que assistiu a um dos treinos desta semana (e que ontem conseguiu a proeza de comer 1 quilo (1 Kg) num self-service onde almoçamos antes de ir ao Arruda) nos revelou que China chegou a testar, inclusive, a saída de Gustavo; teria substituído o goleiro por Leandro Bitton…

China parece também desmascarar uma afirmação tida como óbvia nos nossos dias: os laterais, aliás os alas, são fundamentais no futebol moderno. China não gosta de obviedades e quer um time sem laterais. Podemos, assim, refletir: de fato, para que servem os laterais? Eles são um tipo de jogador que fica ali do lado, quase saindo de dentro do campo, correndo pra lá e pra cá, sem função tática significativa. Então, morte à figura dos laterais! Foi o que fez ontem o nosso estimado treinador.

Temos de dar tempo ao tempo, já dizia o sábio. O tempo é parceiro da verdade. Talvez China esteja certo. Por que não? Rogo aos céus que assim seja.

Por fim, considero que devemos ser ponderados. O apoio ao time deve ser maciço e constante. Não podemos nos desesperar. Quando perdíamos por 2 X 0, Perrusi e Dimas gritavam a plenos pulmões pela demissão do treinador e num coro satânico, bradavam “Givanildo!” Givanildo!”. Calma, calma. Temos de ter calma durante a partida…

No tocante a superstições, penso que há alguma relação entre a crise que vivemos no futebol e a decisão de Chiló em assistir aos jogos nas sociais. Desde que o cabra enamorou-se de nossa querida Dani e trocou de ambiente, o clube desandou. É digno de nota também a opção gastronômica de Diminhas. Faz tempo que, sempre depois do jogo, vamos a um restaurante na Encruzilhada onde é servida uma espécie de plástico semiderretido, esponjoso, de aspecto terrível! Aquela gororoba dá azar, Dimas Lins. Dá azar! Aquilo nem Anízio consegue comer…

Esperemos o Sergipe – um desses clubes que a máfia dos 13 está destruindo. Temos de ganhar o jogo. Temos de garantir logo a vaga para a próxima fase. Não podemos deixar para a última rodada. A torcida não merece isso. Pensamento positivo e preces são bem-vindos.

China, ó meu caro China, futebol é um jogo simples que só! Não tem mistério, camarada. Tem um que sabe ser goleiro, outro que sabe marcar, outro mais habilidoso para lançar, driblar; ainda outro que sabe fazer gol, outro que sabe cruzar bola na área… Não inventa, nego velho! Não inventa! Reduz em 50% o número de volantes que as coisas ficarão mais fáceis pra gente…

38 Comentários

  1. Artur Perrusi
    1

    Diante do indizível, fico calado. E fiquei calado. O grito de “givanildo” é produto dos delírios etílicos do escrevinhador acima.

    Além do mais, acho China um gênio…

    Mas assino embaixo o texto.

    Comecei um regime, ontem. Ver Anízio comendo toneladas ajuda qualquer dieta. Tô com fastio, só de lembrar. Ou ainda: ver Dimas se refestelando com um molusco cefalópode é pra tirar a fome de qualquer mortal.

    Foi divertido ver o poeta conversando metafísicas com Samarone, principalmente porque o dito-cujo dormia o sono dos ébrios escritores. No final da noite, o escritor levantou-se de repente, acordado por algum chamado místico, não deu adeus, foi-se embora e não pagou a… conta.

    Se a reforma psiquiátrica não tivesse anulado meus poderes mutantes, tinha internado o cabra na hora.

  2. Cláudio Guimarães
    2

    kkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkk,
    Muito bom, o artigo e o comentário do Dr. Perrusi.
    Só os tricolores do MAIS QUERIDO são capazes de me fazer rir numa hora dessas…
    E eu engrossaria o coro por Givanildo, pois apesar de simples, o futebol é terra fértil para Iniciantes Inventores!
    A pólvora já foi inventada, e nós não merecemos mais sofrer.
    O fato é que todos nós saimos do Estádio ontem chateados.

  3. Geó, eu quero é a fárra. R$ 900,00 real de chopps. Pode ser na segunda ou terça no Bar Real. É clone. Se quiser dividir a fárra em duas de R$450,00 tá valendo.

    P.S.: buzina e brabeza não leva ninguém pra frente.
    P.S.2: além da fárra, tás me devendo um sundae e um cheese burguer. Comi o sundae derretido e o sanduíche frio.

    Abre dos óio, alma!

    Continuo invocado!
    Saudações Tricolores!!

  4. Bosquímano
    4

    O escrivinhador esqueceu-se de falar sobre uma promessa feita (por ele mesmo, óbvio) aos berros e ouvida pelas mais de 100 mil pessoas presentes ao Arruda ontem. Não vou divulgar o que foi prometido, mas a história tinha a ver com um gol de Gilberto, que não saiu. A pergunta que não quer calar é: e aí, senhor Geó, sai ou não sai?

    No mais, acho que a torcida deveria fazer uma cotinha e pagar um curso de treinador para China na China, com passagem só de ida.

  5. Já fazia algum tempo que não ia ao Arrudão, mas ontem resolvi ir. Tive a oportunidade de ver um dos maiores espetáculos da terra- A Torcida do Santa Cruz.
    Dentro de campo, um time de comportamento distinto. No 1.tempo jogamos praticamente sozinho, me lembrou aquela brincadeira de Zorra. Tivemos várias chances mais por azar ou qualidade não fizemos a vantagem.
    No 2.tempo , Sérgio China começou a trabalhar com capricho, fez uma alteração que tornou o time lento e defensivo, tirando o único meia que se insinuava para o gol. Para logo depois desfazer o que tinha feito, e aí o remendo foi pior do que o rasgão, pois acabou-se as jogadas pelo lado direito, com a saída do lateral.
    E depois mutilou o time quando tirou o outro lateral, ´transformando o time num amontoado de jogadores correndo atrás da bola. È preocupante, muito preocupante,Já falei isso.
    Assistir Sérgio China, aplicar seus conhecimentos inovadores de inventar um time sem lateral , é négocio pra maluco.
    Ps. Sobre esta camisa azul. achei uma coisa horrorosa, que mais parece aquelas camisa de político quando inaugura seu comitê. Tomara que nunca joguemos partida alguma com ela. Estas invecionices não acho que combine com a nossa tradição. Somos diferentes.Este é o nosso charme.O que pode ser moderno e arrojado pra muitos, pode não ser prá gente.

  6. Bosquímano
    6

    Alguém ano passado lançou a campanha “Fred Arruda no Arruda”, ou algo parecido. Copia oa idéia e lanç:

    “Sérgio China vai pra China!”

  7. Thiago Teixeira
    7

    As alterações e o suposto esquema foram umas piadas.

    Vai p/ China!

  8. Cláudio Guimarães
    8

    Bosquímano, e demais irmãos tricolores, estou com vocês: CHINA VAI PRA CHINA!!!!
    Não admito esse APRENDIZ em nosso COMANDO.
    COM UM ESTÁDIO LOTADO EM PLENA SÉRIE D, O CARA PÕE VOLTANTE, TIRA OS LATERIAIS E O ESCAMBAU…
    TCHAU, CHINA!!!
    Tenho um grande amigo que mora em Sergipe, falei com ele agora no celular, e ele me disse que o time do Sergipe não é ruim não, é HORRÍVEL.
    Abraços

  9. Amigos,

    O que presenciamos sábado foi estarrecedor. Imagina essas invenções de China numa partida de mata-mata?

    Lamentável!

  10. Quando o sempau de Caruaru fez 2, peguei o beco, puto com China. Quando cheguei na Estrada de Belém, o Santa empatou, quando ia retornar para o estádio, o jogo acabou. Revendo o show que é a torcida Coral e o jogo pela tv, conclui que empatamos o jogo que China tava perdendo. O time quer vencer, com todas as suas limitações, o treinador é que não quer ganhar. Quer empatar e por isso perdemos, empatando, como ele queria. Eu e mais 40.006 queremos ganhar, China. Nem que percamos. Solta as arramas deste time, cacete, chega de tantos volantes, deixa os laterais furarem o bloqueio do meio, põe alguém pra tabelar com o centro-avante. A gente quer ganhar, sair desta lama que é a D. Com o Arruda lotado quem tem que se defender tanto são os adversários. Não nós. Vamos ganhar do Sergipe lá e lô. Mas, vê se enxerga o óbvio: sem jogadas laterais não se fura retranca. Sem meias de ligação, centro-avante vira zagueiro bate-e-volta. Abre o olho, criatura, não assassine a criação.

  11. Hélio Mattos
    11

    Eu sei que este blog é bastante técnico, sem muitos espaços (nos comentérios principalmente) para narrativas sentimentalóides de torcedores que só vêem o jogo sob esta ótica, de torcedor puro e simples.
    Mas é que ontem, cansado e bêbado, postei lá no blog do santinha esta resenha e hoje, relendo, gostei que só.

    Não falei do S cHina que, acho que é quase uma burra unanimidade unânime, trocou os pés pelas mãos.
    Fiquei afim e vou repostar a resenha por aqui, da minha vivência neste quase fatídico empate:

    Doido, que é que foi aquilo?
    Cheguei naquela certeza de todo mundo e de repente; aquilo lá..

    Sei não, encontrei com o magnífico insano Sama e ele me fez uma piada muito própria: Disse que, a partir dali, a gente já poderia ganhar mais uma graninha alugando torcida.
    É isso mesmo, o cara de pau ficou ali, com aquela cara de lezo sabido na minha frente me dizendo que poderíamos ser alugados à lote de torcedor !… Meu irmão, vou te dizer que a sensação era esta mesmo, formigueiro humano.

    A entrada do time foi algo sei lá, do outro lado da vida.
    Chegou na minha mão, assim nem sei como, um rolo de papel higiênico pela metade (Como é que eles fazem isso?), uns cinco balões vermelhos vazios (um furado) e aí, começou a zoeira de meio mundo se acabando de cima pra baixo.

    Os talcos, fogos, balões, rói róis, papéis picadinhos, papéis picadões caindo de todo canto e tal. (essas coisas caindo do anel superior fica o negócio mais lindo do mundo..)

    Então que começou o jogo e o peste do Santinha na pressão. Os caras nervoso ( jogador pró e contra) , a torcida nervosa, os gasoseiros nervosos, as criancinhas inocentes,as criancinhas ligadas, as grávidas, os fi de rapriga e os pai de santo, todo mundo, aliás, todo o mundão tava roendo as unhas até os ossos.

    Primeiro tempo legal. Presssionamos o tempo inteiro, tivemos a não sorte em alguns lances.
    Em outros tivemos afobação, um monte de afobação, justificável até, pois não tem cabça no mundo que resista intacta a todo este processo midiático que ocorreu durante a semana, pelo nosso bem, pelo nosso mal..

    Posse de bola, postura ofensiva, defesa trabalhando bem, no sentido de espantar aquelas muriçocas que eventualmente vinham pertubar.

    Tudo caminhando muito bem, a não ser pela tal afobação do cara que não sabia se queria cruzar ou chutar em gol, mas nada demais, nada que fizesse com que você não acreditasse.
    Nada que uma blitz de com força não aliviasse nossos corações, pois estávamos aliviados, dada à alta pressão imposta pelo nosso volume de domínio e certo ataque.
    Finalzinho da primeira parada e o Central teve, realmente, a grande chance óbvia da partida nos seus dois tempos.
    ……..pra foooooraaaaaaaaaaaaaaa!!!

    Voltamos pro segundo tempo cabreiros.
    Todo mundo tava achando que ía ser mais fácil, né?
    Pois é.

    Fácil é o nome do jumento que vive num terreno baldio aqui perto de casa, entendesse?

    A história já começou a ficar complicada pois nossos adversários, já sentindo nossas adversidades, começou a querer nos encurralar e voilá! Deu tudo certo pra eles.
    Primeira jogada de ataque deles foi lá pelo meio do segundo tempo e plá e prôu e meu Deus do céu, o mundo acabou.
    1 a Zero, honestos, pros caras.

    E vamos que vamos, na mesma pressão tricolor e vualá número dois.
    2 a zero, com todo o mundão do Arruda dando o maior vapor.
    A chaleira, claro que perdeu o gás..

    Um monte de gente (nem tanto assim), começou a se retirar das nossas dependências e eu disse pra mim mesmo que nem à pau.
    Vou ficar por aqui, por quero aplaudir meu time, que jogou do jeito que eu mais gosto, apostando na pressão de vencer.
    Queria tomar o terceiro desde que, antes disso, eu visse um pouquinho mais meu time jogando pra vencer.

    Mas o que eu vi foi a grande e compacta massa tricolor meio que se derretendo por causa de uns poucos que davam aquela impressão mesmo, que algo estava se dissolvendo.

    E aí que veio a providência divina, aliada à força e determinação dos homens que me fazem seguir pela vida lutando pelas coisas, minhas ou não minhas…

    2 a 1 meu irmão, foi , por si só, muito forte pra meu coração ferido de torcedor que meio que não tem mais onde se agarrar.

    Tricolores lindos que, como é que podiam ter feito aquilo?
    2 a 1 já valia a pena de não ter escapulido do recinto, pensava eu, lembrando daqueles cabras safados.

    Pois é, doideira geral, falta de lógica, tudooquenãoaconteceuatéagoraserealizando.

    Dois a Dois cara!

    Vá se lascar quem quiser criticar agora dizendo que já sabia disso tudo.
    Vá se lascar quem não quiser dar entre a gente um mínimodecrédito.

    Depois de tudo o que aconteceu que, na realidade, foram três chances em que eles realizaram duas, só contra o Santinha que eles têm essa oportunidade e postura.

    Duma certa maneira gosto disso porque é a mesma historinha, com H, que rola entre nós trlcolores e os palhaços do mangue aterrado.
    Como a gente sempre atrapalha os planos daqueles palhaços ridículos do xpot, os caruarenses, pessoas do povão que nem nós, sempre ficam meio que à vontade com a gente, principalmente agora que tem o centenário do fabuloso Vitalino…

    O time jogou bem. Pressionou pressionado,se postou encurralado, revolveu o passado e reescreveu a história do dia.

    Nada mais tenho a declarar.

  12. JOÃO MULAMBO
    12

    o time entrou com gustavo, parral, alex, camilo e marquinhos; anderson, alexandre, gobato e marcos mendes; juninho e reinaldo. nesse time so tem dois volantes. depois saiu gobato e entrou neto maranhao. o time ficou com 3 volantes.
    tem gente pedindo jogador de qualidade. quero saber qual o jogador de qualidade que quer vir jogar no santa cruz.

  13. É verdade!

    Nesse time só tem 2 volantes porque só tem 10 jogadores! O outro não conta como jogador!

  14. Senhor Josias, parei de ler o seu texto na linha em que diz que eu e Artur gritávamos por Givanildo. O senhor parece o trapalhão Didi Mocó. Mais que isso. O senhor é leviano e falador das coisas alheias e desalheias. Quero Givanildo longe do Arruda, depois que ele abandonou o time nas finais do campeonato pernambucano. O senhor ao contrário, não.

    Aliás, o senhor também é um mau amigo. Além de ter revelado publicamente que Anizio come que só uma porca, ainda criticou meu nobre paladar, fruto da minha convivência com povos escandinavos. Todo mundo gostou da iguaria e Chiló, aos berros, queria repetir o prato. Até Sama, por exemplo, esculhambou, mas não parou de comer. Esculhambou, porque estava mais pra lá do que pra cá e não conseguia corta um pedaço sequer da lula. Aliás, como um deputado do PSDB, gritava sem parar: “Quero comer lula! Quero comer lula”. Além disso, ainda saiu sem pagar a conta. Eu não tenho culpa que o senhor não tenha um paladar refinado.

    Aliás, o senhor parecia um tresloucado no jogo, por isso percebi que o senhor se encaixa perfeitamente no meu último artigo, Transtorno bipolar. O senhor, na verdade, é o transtorno bipolar encarnado.

    E tenho o dito.

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  15. Artur Perrusi
    15

    Na verdade, segundo o outro psiquiatra do blog, o sr. Josias de Paula é esquizofrênico…

  16. Dayvison Santos
    16

    Pois é, o primeiro tempo a bola não entrou por um capricho… O Santa tava meio capenga mas estava bem.

    Aí..

    China entrou no esquema, tira Gobatto e coloca o q?

    VOLANTE!

    já foi dito aqui, mas repito, o time ficou cheio de volante e sem direção…

    Aí depois o cara tira o laterral (é pra num precisar escrever parral, coloca lateral com 2 r’s q economiza) e coloca o atacante, depois tira Marquinho q tava cansado e coloca Rossini, recua Marcos Mendes e a Av. Central se abre 2 gols q pareciam replay…

    Esse time terminou com que esquema, pelo amor de Deus, pq depois dessas insanidades quem endoidou foi eu…

    Aí virou o Padaria Futebol Clube, atacava de bolo e defendia em massa… Graças a Deus, conseguimos um empate que valeu uma vitória, essa torcida não merecia uma derrota, pelo menos o time teve garra e cabeça pra reverter e diminuir a dor do q seria uma desgraça… perder de 2 X 0 pro Central dentro do Arruda, eu juro que me jogaria naquele canal só de raiva, mas eles me pouparam disso…

    Vamos escrever uma carta a China pra ele fazer o feijão com Arroz, pois piruetas só dão certo no Circo Du Soleil…

    Valeu Tricolorzada e próximo jogo no Arruda estarei lá, firme e forte!

  17. Hélio,

    Se o nosso blog fosse bastante técnico, Josias, nosso técnico bipolar, certamente substituiria Sérgio China no comando do Santa Cruz nesta Série D.

    É verdade que andamos falando sério ultimamente, embora eu mesmo tenha dificuldades para perceber quando Artur Perrusi fala sério. O resto é mau humorado. Exceto, é claro, Paulinho, Bosquinho, Lorde Leo, Geó, Maneca e eu.

    Esse papo sério talvez coincida com a fase do Santa. Afinal, já escrevemos muitas abobrinhas por aqui e, já que assim caminha a humanidade, continuaremos a escrever.

    Também gostei da sua crônica. Aliás, ao invés de comentário, você poderia ter mandado para o nosso e-mail que a gente publicaria.

    Termino dizendo que não há diferenças entre o TC e o Blog do Santinha. Tanto lá como aqui só tem doido. Mas os nossos doidos ao menos convivem em sociedade.

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  18. João Tiago
    18

    (IN)TOLERÂNCIA

    Pensando sobre o jogo de sábado, o nosso time, Sérgio China e as cobranças da torcida, as quais eu engrosso o caldo, cheguei a conclusão que nós nos tornamos intolerantes.
    Não se trata mais de otimismo ou pessimismo.

    No afã de aliviar minhas dores de torcedor do Santinha gosto muito de comparar os nossos problemas com os dos grandes clubes da série A. Os nossos problemas, dentro das quatro linhas,
    na área técnica e nos gabinetes são rigorosamente os mesmos de clubes como Palmeiras, São Paulo, Flamengo, Santos e outros.
    Por que, então, tratar um erro do treinador, coisa normal para qualquer técnico do mundo, que acarretou num empate, que poderia ser derrota, como a pior coisa do mundo?

    A sensação de “déjà vu” nos causa aquele medo que todos nós que amamos o Santa Cruz sentimos. Uns preferem ser os “profetas do apocalispe”, outros, “mensageiros da boa-nova”.
    Ambos tem incoscientemente a intensão de se proteger da dor que lhes causa medo.

    Depois de 4 anos sofrendo e vendo o pior sempre acontecer, não admitimos mais o erro e esquecemos que quem dirige o clube administrativamente, quem comanda o time do banco de reservas e quem corre atrás da bola é humano. São os seus erros e acertos que dão o tempero do futebol. Nosso problema é que chegamos numa situação limite da qual depende o futuro do nosso clube. Não admitimos mais uma contratação, uma substituição ou uma finalização erradas. Nos tornamos intolerantes tricolores.

    Falo de tolerância porque creio que existe honestidade por parte da diretoria de futebol e da comissão técnica. Não os conheço pessoalmente mas não consigo ver de outra maneira. É por isso que tenho a tendência de preferir a manutenção de quem está comandando dentro e fora dos gramados, apesar da temeridade, aos velhos nomes que solaparam o clube. Talvez Deus esteja nos reservando um futuro promissor por estar investindo em gente séria e comprometida. Talvez estejamos perdendo tempo com eles.
    Prefiro acreditar na primeira opção e exercitar minha tolerância!

    Que Deus nos ajude! Por falta de oração minha ajuda d’Ele não faltará!

  19. JOÃO MULAMBO
    19

    a campanha para sucessao do santa cruz ja comecou. olho aberto.

  20. Salvo engano, fazem exatos 28 dias que o Central sequer tinha um time e um treinador para disputar a série D. Recrutaram meia dúzia de peladeiros, botam pra jogar num campo com mais de 50 mil pessoas e por muito pouco não saem com uma vitória?
    Alexandre Oliveira é dono do time ou é o quê? Esse cara acha que é o maior craque do mundo mas não faz porra nenhuma.
    Será que Marcos Mendes, que não era titular nem no Salgueiro, merece vestir a 10 e ser mantido como o intocável por China?
    Na minha opinião, o treinador ganha seu salário para no mínimo não atrapalhar. Infelizmente a série D não permite que treinadores façam experiências de inovações táticas. Me recordo que ele foi dispensado daquele time das bonecas da Rosa e Silva por que não sabia fazer substituições e comprometia tudo.
    Espero com todo meu amor ao Santinha que alguém da nossa diretoria esteja atento a essas incoerências capitais que ele vem cometendo e comece pelo menos a vislumbrar a possibilidade de trazer um profissional que saiba por o time em campo e substituir quem esta mal. Tinham mais de 50 mil pessoas no Arruda, e só China estava certo?!?

  21. Paulo Aguiar
    21

    Caro nobre amigo Geó,

    Muito feliz o seu texto. Acho que faltou apenas citar que estávamos bem próximos do desastre em relação ao espetáculo.
    Falar do time, de China e da torcida é “chover no molhado”. A torcida é ilimitada, o time é limitado e China é sem limite para tanta incompetência.
    Empatamos graças a torcida. Foi ela quem pressionou e fez o juiz marcar as faltas. E, é ela quem fará o Santinha subir. Somente ela é capaz disso (e olhe que ainda fica dependendo de uma série de fatores).
    Vamos vencer em Sergipe, afinal com voltantes, laterais-volantes, meia-volante… não é possível.

    Abs

  22. João Tiago, acho seu comentário bastante pertinente. De fato, há uma intolerância que é uma mescla de impaciência e vigilância. Até onde vai o bom senso com ela é matéria para debate eterno. Mas, os erros de China foram crassos: ele mexeu mal. É normal em qualquer clube haver debate sobre o time e a forma de jogar, com torcida e diretoria cobrando do treinador. E China tem de ser cobrado. Eu, como falei no texto, não sou a favor de alteração de técnico agora. Mas calma e tranquilidade não pode significar omissão.
    Mulambo, aqui entre os integrantes do TC não encontrarás ninguém “derrubando” diretoria de maneira velada, criticando o treinador, por exemplo. Criticar Sérgio China não tem nada a ver com ser contrário à atual gestão. Uma coisa é francês, outra é alemã. Eu, particularmente, fui um dos maiores (talvez mesmo o maior) intusiasta da contratação de China. Porém, não é por causa disso que vou deixar de criticá-lo… É simples, assim.

  23. “intusiasta” – NÃO! “ENTUSIASTA” pelo amor de Deus.

  24. Mas eu só fiz um lanchinho…

    PS.: Caro Hélio Mattos, faço minhas as palavras de Dimas. Quando quiser enviar um texto/comentário inspirado como esse, mande pra gente (ou então pra Dimas, notório caçador de talentosos escribas corais).

  25. Vale registrar que a zoada dos rói-rói (grande sugestão de Inácio França) foi anulada pelos gritos da torcida… e principalmente pelos berros de Geó, que durante 20 minutos ininterruptos pediu “CHINA, BOTA MAIS UM VOLANTE!!!!”

    Depois dessa, só mais um tira-gosto…

  26. Pelo andar da carroça, o presidente vai ter que se reunir
    toda semana com a comissão técnica, para obter o efeito que
    teve em Maceió, ou então…!
    Pelo sim , pelo não, continuo com as barbas de molho, pelo
    visto no jogo de sábado o aprendiz não sabe ler o jogo, por
    consequencia não sabe substituir. Mesmo assim vou continuar
    bradando: Vamos subir Santa!!!
    Saudações corais.

  27. Samarone Lima
    27

    Fiquei muito contente em saber, pela Internet, que tinha bebido uma cerva com Geó, após o jogo. Devo ter falado em resistência cultural, porque tenho batido nesta tecla, ultimamente.
    Não tenho a menor idéia do bar, e de quem pagou a conta.
    Samarone

  28. Hélio Mattos
    28

    Ok Dimas, valeu pela força e disponibilidade.

    Só espero não ter como combustível sempre estas mesmas fortes emoções que tanto nos desesperam, né?

    Saudações Santacruzenses!

  29. Eduardo Ramos
    29

    Dizem que engenheiro é igual a lógica + bom senso + matemática.

    Vamos esquecer a matemática, ainda que, o Santa Cruz insista em jogar com 10 jogadores (com Márcio Bittencourt era Vagner o -1, e com China, o -1 é Marcos Mendes.

    Vamos para a parte lógica: Gobatto é canhoto, logo, deveria jogar pela…esquerda? Seria o lógico mas não é. Gobatto jogou pelo lado direito (vai ver que China queria acompanhar o seu desempenho mais de perto). Mas, se vai substituir um meisa esquerda com outro outro meia esquerda no banco, a lógica e o bom senso mandam substituir por outra meia esquerda! Certo? Errado!!! Miller estava no banco mas, vamos colocar mais um volante, e assim, o quarteto de volantes, contrariando a lógica e o bom senso, estava em campo.

    E por falar em lógica e bom senso, além de China, a cttu (toda em letras minúsculas) manteve o tráfego em mão dupla na Av. Beberibe e, em frente ao portão dos cambistas, digo, da sede, uma obra obstruia uma das duas faixas no sentido centro-subúrbio.

    Querem mais bom senso? Foi reservado um espaço que cabia a população quase toda de Caruaru, na arquibancada do lado da rua das Moças mas, o “bom senso” de algum iluminado levou a torcida do central para as cadeiras (que tratamento vip!) do setor A, ou seja, ao lado da Inferno Coral, espremida na arquibancada superior do lado do Canal.

    Meu dileto amigo Dimas, tás feito menino buchudo? “Ficou de mal” de Givanildo pois ele não quis ficar no Arruda em 2006, e optou por um outro desafio profissional? Esquece isso. Ainda é o treinador que melhor conhece o Santa Cruz e o futebol nordestino, apesar de chato, ranzinza e teimoso. No momento, a prudência recomenda pela manutenção de China, pois, como já postei no Blog do Santinhä: Treinador da Série D, se não atrapalhar, já ajuda e muito. Tomara que ele só tenha atrapalhado contra o Central.

    Enfim, lógica e bom senso foram os dois ausentes no jogo de sábado.

  30. Luiz Ferraz
    30

    Tenho a impressão que próximo domingo haverá uma substituição no 2ºtempo de jogo.Acho,tenho uma suspeita parcial, que ele irá sacar um volante…

  31. Eu achava que o China estava usando a sua passagem no Santa como experiência pra abrir uma Auto-Escola, devido ao gosto excessivo por acessórios automobilísticos…

    Mas depois do comentário do Dayvson, tudo fez sentido pra mim! Ele quer mesmo é, no futuro, abrir uma padaria!

  32. JOÃO MULAMBO
    32

    rapaz ja tem gente crucificando o marcos mendes. o cara foi um monstro em maceio. se fosse por muitos torcedores juninho nao tava no time. domingo ele foi o melhor em campo. quem esta gostando disto eh a turma do veneno coral.
    outra coisa, vi em campo dois volantes. se vcs acham q marcos mendes eh volante, me desculpem, mas estao enganados. ele pode ate jogar por ali improvisado. em maceio jogamos com anderson, alexandre, marcos mendes e laranjeira. contra o central, gobato no lugar de laranjeira. o erro de china foram as substituicoes. mas entrou com o time certo.
    outra coisa, postei la no blog do santinha, givanildo eh um ultrapassado no futebol. treinador decadente, com pouco conhecimento do futebol atual. na verdade ele ta acomodado. deus nos livre de givanildo voltar. concordo que ele fez um boa opçao profissional e que nao deve ser crucificado por isto.

  33. André Tricolor Virtual
    33

    Caros amigos,

    Também não consigo entender toda essa obsessão por volantes, também não consigo entender por que os Laterais que ainda existem no Arruda não conseguem acertar uma porra de cruzamento na cabeça de ninguém, enquanto os centralinos em duas bolas levantadas foram parar na cabeçinha dos atacantes e parar dentro de nossas redes …

    Abraços a Todos,

    >>> VIVA SANTINHA !!!!

  34. Eduardo, caro amigo:

    Acho Givanildo um técnico ultrapassado, quase um dinossauro no futebol. Já assisti a alguns treinos quando ele comandava o time coral e nunca vi ele treinar uma jogada ensaiada sequer. Só coletivo e treino alemão.

    Givanildo é dose, sinceramente. E sim, acho que ele deixou o clube na mão num momento em que não poderia deixar. Isso para mim tem relevância.

    Quanto a menino buchudo, sou mesmo. A barriga não nega. hehehe

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  35. Alguém que foi aos dois jogos ( Maceió e Arruda ) qual foi a realdiferença entre os jogos?
    A que ponto Laranjeira fez falta?

    CSA ou Central : qual o melhor time?

    Aqui em Fortaleza o Ferroviário levou a segunda lapada na série D. Foda.. Provavelmente não veremos o Santa Cruz aqui em Fortaleza na próxima fase.

  36. Quem fala que Marcos Mendes não é volante tem razão! Ele não é Volante, não é Meia, não é Lateral, nem jogador aquela criatura é!!!

  37. Ser volante ou não ser, Marcos Mendes, eis a questão!

    Para não restar dúvidas, a Coralnet diz que sim:

    http://www.coralnet.com.br/elenco.asp?posicao=Volante

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  38. Hélio Mattos
    38

    Tibério, a minha opinião entre CSA e Central é que este último contra atacava (ou contra atacou) de forma muito mais veloz, ordenada e, obviamente, perigosa que o CSA.

    No mais são dois timinhos que não tiveram a menor condição de se impor em hora alguma dos jogos.

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *