Theófilo e a mulher do rubro-negro – Capítulo I

Leitura indicada para maiores de 18 anos.

Aos sete anos de idade, Theófilo começou a freqüentar o José do Rego Maciel. O primeiro jogo foi contra o time da ilha do retiro. Uma época onde ainda se vendia cerveja dentro do estádio e o uso do cinto de segurança não era obrigatório.

Naquela primeira partida, onde Theófilo debutava no cimento do mundão do Arruda, um grito de guerra ficou marcado no seu juízo: “ô, ô, ô, ô! mulher de rubro-negro só fode com tricolor! Ô, ô! Ô, ô!”

Meio atabacado ainda, o pequeno Theófilo não entendia direito do que se tratava. Não compreendia o significado do verbo foder (ou fuder?!), mas voltou pra casa cantarolando a musiquinha.

Foi crescendo e indo ao estádio. Nos jogos contra o time da leoa, a linda música o alegrava. O velho pai se orgulhava de ver o garoto curtindo a tiração de onda.

Certa vez, a torcida começou a entoar a melodia. Theófilo pegou no pinto e ficou mostrando para torcida do chié. Ganhou um cachorro-quente e um guaraná de um amigo do seu pai.

Com uns catorze anos de idade, depois de uma vitória sobre a leoa, gol de Luis Carlos, o garoto está ali no meio da massa coral puxando o “mulher de rubro-negro, só fode com tricolor”. Naquele dia, ele chegou em casa e tocou uma punheta gemendo a melodia maravilhosa. Matou Aurídes, a Audinha.

Audinha era gostosíssima. Negra, coxuda e uns peitos tipo cuscuz. Era casada com um motorista de ônibus e vizinha de Theófilo.

Por muito tempo, esse era o seu costume. O Santa Cruz dava uma lapada na leoa, ele matava Audinha na punheta.

Trepar com a mulher de um rubro-negro virou sua fantasia e seu desejo.

O tempo passou. Theófilo foi trabalhar no departamento pessoal de um famosa loja do Recife. Conheceu Valquiria. Telefonista, loirinha, baixinha, cabelo na cintura. Peituda e dona de uma bunda linda.

Numa festa de confraternização ele descobriu que ela era casada com um burro-negro.

Era ele ver Valquiria e a música surgia ao seu ouvido. “ô, ô, ô, ô! mulher de rubro-negro só fode com tricolor! Ô, ô! Ô, ô!”

Bate-papo pelo menseger, lanche no final do expediente, troca de e-mails e piadinhas sacanas. Passaram a almoçar juntos. Em pouco o nobre Theófilo estava pegando carona com Valquíria.

Numa dessas caronas, ela estava encantadora. Com um vestido acima do joelho. Naquele dia, Theófilo a comeu com os olhos. Ela percebeu. Ele pensou em se masturbar.

Não! Valquiria merece algo melhor. Trepar com a mulher do rubro-negro era uma questão de tempo.

Final do expediente de uma terça-feira. O ramal toca.

– Quer carona Theófilo? Mas preciso dar uma parada no Shopping Tacaruna. Tem algum problema? – ela perguntou.

– Claro que não, Valquíria.

A garota precisava trocar uma cueca de lycra na cor preta por uma cueca box. Branca ou cor da pele.

Encontraram-se no estacionamento. A telefonista trajava calça jeans e uma blusa de malha vermelha. Uma roupa comum. Sem muito apelo. Mas suas pernas estavam torneadas. Belas. Seus peitos apetitosos.

– Meu marido não gostou desta zorba. Ele só gosta de cueca box. Theófilo, você está com pressa?

– Claro que não!

– Vamos tomar um chopp, comer alguma coisa, depois? – ela perguntou.

Theófilo aceitou na hora. Ela preferiu não ficar no shopping. Seguiram para Olinda.

– Sabe Theófilo, Agnaldo não gosta de cuecas de lycra.

– Eu adoro, Valquiria. Estou usando uma aqui.

Ela sorriu. O cipó do tricolor endureceu. Chegaram ao bar. Pediram dois chopps e uma porção de bolinho de queijo.

A mamadeira de Theófilo estava a ponto de esborrar.

– Vamos brindar! – ela sugeriu.

– Vamos, mas tem que beber! – ele brincou.

– Lógico. Brindar sem beber….! – a safadinha falou.

Chegou a terceira rodada de chopp.

– Valquiria, eu adoro cueca de lycra.

– Ai Theófilo, o Agnaldo odeia. E eu acho lindo.

– E o Agnaldo? – ele perguntou.

– Está na aula. Hoje é dia dele tomar uma com os amigos.

– Sabia que minha cueca é azul escuro?

Valquiria suspirou. Tomou um grande gole de chopp. Ele foi ao banheiro ajeitar o pau.

– Outra rodada de chopp e a conta, ok? – ela falou.

– Ok!

Pagaram, desceram as escadas do bar e entraram no carro.

Cenas do próximo capítulo:

Valquíria descobre que o tricolor é fã de Roberto Carlos; Eles vão ao apartamento de Theófilo; Eles bebem e dançam música lenta; Ela vai ao banheiro; Ela quer conhecer o apartamento; Valquíria pede para ele vestir uma cueca vermelha; Ela vai embora para Goiás.

17 Comentários

  1. Renan Vieira
    1

    Muito boa essa (rsrsrsrsrsrsrsrsrs)!
    Será que Theófilo realiza sua fantasia? E dá-lhe Agnaldo na cabeça!

    Saudações Corais!

  2. Marcos-Garanhuns
    2

    Gerrá, tu continua o mesmo fuleiro do blog do santinha né? Onda da porra!

  3. Felipe Camarão
    3

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Eduardo Ramos
    4

    KKKKKKKK Comecei a ler e achei estranho…pensei: será que Dimas fumou maconha estragada? Será que o bar que Dimas foi após a grande vitória foi um daqueles que faria corar Gerrá? Eita! Gerrá? Fui ver quem era o autor do texto…o óbvio tão óbvio quanto à necessidade do Santa Cruz ter um atacante de qualidade para fazer “pareia” com Tiago Cunha…o autor só podia ser o novo Carlos Zéfiro (só quem conhece são os mais velhos mas veja no Google os “catecismos” que eram vendidos escondidos e que inspiravam os mastrbadores do final da década de 60), o arretado do Gerrá! KKKKKK
    Como diria Pedro Bial: “Será que o nosso herói(?) digeriu a gostosa de Valquíria? KKKKKKKKK

  5. samuel maceio
    5

    Gerrá, mulher goiana é linda e larga, para não dizer gostozíssimas, conheço a qualidade de lá!!! Além de desinibidas!!!

    Esta valquiria deve ser um tesão!!!!

    Bota théofilho pra complementar a musica!!!

    • caro Samuel, Valquíria não é nascida em Goiás, ela se mandou para Goiás. Valquíria é pernambucana da cidade do Paulista.

  6. Com esses textos textos de Gerrá vai haver uma epidemia de mãos cabeludas aqui no TC.

    Como bem disse o Eduardo, é o novo Carlos Zéfiro. Só faltam os desenhos.

  7. O TC convidou Gerrá e trouxe de quebra Nelson Rodrigues. hehehe

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  8. óia a cobra
    8

    ALN já está pagando janeiro, zerando os atrasos de FBC e os bichos estão em dia.

    Os jogadores estão motivados, os funcionários estão satisfeitos e a torcida está contente pela camapanha do clube e o número de sócios aumenta a cada dia.

    PARABÉNS DIRETORIA É ASSIM QUE SE TRABALHA.

  9. O jogo contra o Central será às 20 ou às 21h?
    Alguém sabe?

  10. Marcos-Garanhuns
    10

    Gerrá, Theófilo é o teu pseudônimo né? Mudasse as datas só pra enganar a turma aqui. Te conheço , véio! Ei e Minha Cobra? Sai ou não sai?

  11. Alguem sabe informar ate que horas sera vendido ingresos no arruda.

  12. Vcs virao a vergonha que foi no jogo de domingo a entrada da torcida do MANGUE no arruda, enquanto eu para entrar nas socias local reservado para os socios do Santa Cruz tinha quase 30 policias na entrada dos marginais do mangue so vi no video um policial isso e uma VERGONHA.

  13. Meu deus do Ceu olhem esse video e se pergunte kd o policiamento, o unico policial que aparece passa pela camera e vai embora.

  14. aewwwwwwwwwww esse bicho vai passar a pea nela

  15. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *