Uma plantação de abobrinhas

futebol-arte.jpg

Por culpa da entressafra do Santinha, vou aproveitar a deixa de Artur e seguir na mesma linha do seu texto. Aliás, o texto dele rende umas quinze teses sobre futebol. Aqui, entretanto, vou abordar apenas a questão do jogo bonito e seu arqui-rival futebol de resultados. Vou defender a idéia de que o verdadeiro futebol brasileiro está vivo e ganhando títulos.

Antes de começar, e para que fique bem clara a minha preferência nesse tabuleiro, digo de cara que a única equipe no mundo que tem permissão divina para ganhar jogando na retranca (ou com gol de mão, impedido e aos 50 minutos de segundo tempo) é o Santa Cruz. O resto, para conquistar a minha importantíssima admiração, tem que jogar, ou pelo menos tentar jogar um futebol bonito e de ataque. No meu time dos sonhos volante brucutu joga de gandula.

Da mesma forma que o nobre psiquiatra de intermares, não entendo o porquê da incompatibilidade de beleza e resultado no futebol. Algumas vezes penso que essa idiotice nasceu da inveja que Parreira e Zagallo tinham do Telê. Inveja pelo carinho com que aquela Seleção de 82 é lembrada até hoje. Zagallo, verdade seja dita, que foi muito importante em 70, e Parreira chegaram a gritar aos quatro ventos e a quarenta e quatro microfones que o time de 82 era uma porcaria porque perdeu. Tudo para justificar o feio, porém bem jogado, futebol de 94. Aqui cabe um esclarecimento: jogar bem não é necessariamente jogar bonito. O time de 94 jogou bem, feio como a cara do Parreira, mas jogou bem. O engraçado, é que dos cinco títulos mundiais que temos, em três ganhamos jogando um belíssimo futebol de resultados, e que resultados! 5×2 na Suécia; 3×1 na Tchecoslováquia e 4×1 na Itália. Ganhamos uma jogando mais ou menos bonito, 2002. Em 94 ganhamos de 0x0, numa das finais mais enfadonhas da história do futebol. Nem vou falar em Lazaroni por aqui. Seria uma baita covardia.

Mas vamos pra frente.

Diferente de Artur, entretanto, não dou essa batalha por perdida. Acredito que o futebol força não venceu. Recuso-me a deixar cair a minha ficha com a cara do Dunga. Aliás, a minha ficha tem a cara abusada do Luis Aragonés, o Telê Santana do país do flamenco, do azeite e da paella. Portanto, nobre psiquiatra, não se preocupe com os sub-25. Eles não sabem o que dizem, pois ainda não conheceram o futebol.

Pra não fazer muito rodeio, que, como Chico César, eu também odeio, afirmo que o verdadeiro espírito do futebol brasileiro está mais vivo do que nunca, e ganhando títulos importantes. Hoje a seleção espanhola é a autêntica representante do jeito brasileiro de jogar futebol. Digo e não tenho medo de errar: a verdadeira Seleção Brasileira veste vermelho e é a atual campeã européia. Sim amigos, a fúria é a equipe que joga o futebol mais brasileiro atualmente.

Vejamos: o meio-campo de seleção espanhola na Eurocopa era formado por um volante que sabia jogar, Marcos Senna ou Xabi Alonso e três baixinhos endiabrados, os geniais Xavi e Iniesta, e o craque David Silva. Esse meio-campo lembra, e muito, o de 82 no toque de bola. Igual ao que aconteceu por estas bandas, antes da competição toda a imprensa esportiva espanhola caiu de pau em cima do pobre Aragonés. “Esse meio-campo é de muito toque e pouca força. Assim é impossível ganhar algo”, “esse time precisa de menos toque e mais chegada”, eram os argumentos mais usados em todas as mesas redondas televisivas do país ibérico. Além do “Raul seleción“, é claro. O resultado todo mundo sabe, a Espanha venceu, convenceu e, de lambuja, Xavi foi eleito o melhor jogador do torneio.

O importante desta conquista está justamente no status que esses jogadores ganharam. Xavi e Iniesta deixaram de ser coadjuvantes no Barça e no futebol mundial. Acredito que a salvação da lavoura está nesses quatro pés. Não nego a importância de Messi ou do metrossexual Cristiano Ronaldo, mas penso que a redenção do futebol arte passa mais pelos pés (e pelas mentes) de jogadores como Xavi e Iniesta, que do craque argentino ou do portuga. O futebol mundial nunca esteve carente de grandes atacantes. Entretanto, o tradicional meia-armador é um bicho cada vez mais raro. Daí a importância desses jogadores. Acredito que esses jogadores poderão ser o detonador de uma nova ordem mundial futebolística. Se eu pudesse votar no melhor jogador do mundo, votaria sem pestanejar em Xavi.

É por isso que eu vou torcer pela Espanha na próxima copa. Por isso e porque eu não estarei lá para aguentar a chatice de imprensa esportiva espanhola. Torcerei também para que Xavi, ou Iniesta, seja eleito o melhor jogador da competição. Por isso é que torci desesperadamente para que o Barça conquistasse o triplete esta temporada. Se a copa da Espanha marcou o início dessa rivalidade entre futebol arte e futebol de resultados, nada melhor que a seleção espanhola para por a casa em ordem novamente. Só uma vitória contundente numa copa do mundo pode fazer o futebol retomar caminho da beleza.

Quanto a nós aqui embaixo, creio que Dunga deveria se espelhar no exemplo de Lazaroni e copiar algo que vem de Europa.

Nota da Redação:

O Torcedor Coral dá por encerrada a promoção Ganhe uma camisa comemorativa do jogo da Seleção. A disputa foi acirrada e, mais uma vez, nova tentativa de favorecimento explícito. Teve cronista que votou em si mesmo. Mas já temos um vencedor. Trata-se de Dayvison Santos (comentário Nº 18 do artigo O lado escuro da nossa força.

Enviaremos um e-mail para o vencedor indicando os procedimentos para a entrega da camisa.

15 Comentários

  1. Adams Matos
    1

    “!A POR ELLOS OE!!!
    !A POR ELLOS OE!!!
    !A POE ELLOS OE OE!!!”

    !HACIA CIBELES!

  2. Adams Matos
    2

    *HÁCIA

  3. SUGESTÃO DE CORO PRA HOJE, SUBSTITUIR O VTNC.

    EI, GALVÃO! COPA DO MUNDO TEM QUE SER NO ARRUDÃO!!!

    EI, GALVÃO! COPA DO MUNDO TEM QUE SER NO ARRUDÃO!!!

    EI, GALVÃO! COPA DO MUNDO TEM QUE SER NO ARRUDÃO!!!

    EI, GALVÃO! COPA DO MUNDO TEM QUE SER NO ARRUDÃO!!!

    vAMOS MEXER COM O EGO DE GALVÃO, EU GARANTO QUE ELE REPETE ISSO EM CADEIA INTERNACIONAL E AJUDA NA CAMPANHA PARA O MUNDÃO SER SEDE DA COPA.

  4. É isso. É voltar a “copiar” a Europa.

  5. rogerio moura
    5

    A Espanha venceu a Eurocopa mas pode ter atingido o auge muito cedo como nosso brilhante time de 2005 campeão das Confederações dando um show de futebol e goleando os hermanos argentisnos impiedosamente . Um dos olés durou quase dois minutos. Aquilo era futebol espetáculo e vencedor. Na espanha/82 o time era espetáculo , mas esbarrou num timaço italiano. Não nos esqueçamos dos craques Bruno Conti(canhota mágica), Gaetano Scirea ( pra mim melhor que Baresi), Antognoni , Cabrini , Zoff e pra fechar o caixão Paolo Rossi.
    Na copa acredito que a Espanha , como sempre , não passa das quartas, se pegar Brasil, Alemanha, Argentina ou a pragmática Italia deve ficar pelo caminho.

  6. rogerio moura
    6

    Sim e ia esquecendo , fora os meio-capistas citados , não há brilhantismo naquela zaga cintura dura com O “louco cabeludo do Barça” e no ataque há sim apenas eficiência com David Villa e Fernando Torres, mas nada excepcional. Dá pra derrubar o sonho Espanhol, mole , mole.

  7. Erick Ramo
    7

    Torcer para a Espanha na próxima Copa do Mundo?
    Eu vou torcer para o Brasil! Quero é ganhar mais um caneco, jogando feio ou jogando bonito…. Aliás, quero ver nossa seleção pegar esses espanhóis na Copa das Confederações e colocá-los no seu devido lugar, o de uma seleção que sempre joga bem, mas nunca leva….
    Aliás, na minha opinião, esse mesmo texto poderia ser usado para descrever a seleção holandesa de tempos atrás, mantendo as devidas proporções, é claro….

    []´s
    Erick Ramo

  8. Bosquímano
    8

    Erick, nem sempre a Espanha joga bem. Lembro apenas de duas ocasiões em que os espanhóis jogaram efetivamente bem. Em 2002, quando foram descaradamente roubados, e ano passado na Euro. Mas a questão é outra. O que discuto é o fato do Brasil há muito tempo não jogar como Brasil. Não faço a menor questão de ganhar mais copas do mundo. O que quero é simplismente gostar de ver um jogo da seleção. Apenas isso. Aliás, seu comentério parece dar razão ao que Artur escreveu no texto anterior. A geração sub-25 prefere o resultado à beleza. Nem sei se vc é sub-25, mas não importa, o problema é o discurso.

    Caiu a ficha com a cara do Dunga.

    De toda forma, o que quero que ganhe a copa é o estilo de jogo da Espanha, que, como disse no texto, é o verdadeiro estilo brasileiro de jogar futebol. Se o Brasil jogar assim, melhor.

    Pra esclarecer, já disse que só um time no mundo pode ganhar jogando feio, no roubo, o escambau. Esse time é o Santinha. Há outro que quero que perca sempre, mesmo jogando o futebol mais bonito do mundo, e não preciso dizer qual é, né?

    De toda forma, Erick, não vejo como algo tão complicado que o Brasil ganhe da Espanha na copa das confederaçoes. Primeiro, porque a Espanha é um tima que ataca muito, e este Brasil só sabe jogar no contra ataque. Em segundo lugar, porque a espanha vem algo desfalcada. Inclusive sem Iniesta, um dos motores do time.

    Rogério, concordo com você que a Itália de 82 era um timaço e mereceu ganhar aquela partida. No entanto, não estou certo se o Brasil perdeu a copa de 2006 porque chegou ao auge cedo demais, ou se pelo oba-oba que foi a prepação.

    A Espanha tem esse exemplo não seguir.

    Sobre a defesa doida, não sei, heim! A defesa do Barça, com o “doido cabeludo” e Piquet (que cada vez é mais titular da fúria) foi a melhor em todos os campeonatos que disputou essa temporada. E lembre-se que Cassillas é muito melhor que Valdés.

    Sobre o ataque, vc disse bem. A espanha tem um ataque efetivo. Isso já é mais que suficiente quando se tem um grande meio campo.

    Adams, yo prefiero ir a las ramblas!

    no mais, é isso.

  9. Dayvison Santos
    9

    peguei a camisa hj com Dimas, e fui pra um Bar em Olinda assistir o Jogo e tinha uma penca de coisentos lá, e pareciam que tinha visto um fantasma por conta dessa linda camisa… kkkkkk

    Venho aqui Agradecer a Dimas e ao Blog Torcedor Coral pelo lindo presente que Ganhei.

    Dimas vou mandar bordar nas costas o endereço do Torcedor Coral, como mais uma forma de agradecimento.

    Abraço a Todos, e mesmo com os fatos citados por Dimas, os prêmios realmente são dados… kkkkkkkk

  10. Existe uma corrente ao qual também defendo, que sustenta que a copa de 1982 foi um divisor de águas, na luta entre o futebol arte e o futebol de resultados.
    A tese simplifica a complexa questão, afirmando que se o Brasil tivesse sido campeão daquela copa, o Futebol Arte seria a nova ordem no mundo do futebol, todos os times do mundo se renderiam aquela forma de atuar.
    Mas quem venceu foi a Itália, fazendo jus ao apelido do seu mapa. ” A Bota”, pois foi com seus defensores distribuindo botinadas e com um futebol retranqueiro, que a Azurra chegou até aquele fatídico jogo. Que marcaria aquela copa, e toda uma geração, Conhecido como a Tragédia do Sarriá”.
    O descendente do Coronel Kadhaf, o zagueiro libio-italiano, Gentille, simbolizou para os italianos aquela conquista.
    Aquela copa confirmou a Teoria dos adeptos do Futebol de Resultados, de que o Gol é um detalhe, o que importa é a marcação, a defesa, o zero a zero.
    O Brasil em 82, ´foi a última cartada dos amantes do futebol arte. Aquela derrota serviu como prova material do fracasso que era uma equipe que priorizava a técnica dos seus atletas. Foi a confirmação de que jogar o melhor futebol, não é jogar bonito.
    Pois foi assim em 74 e 78 , quando a Laranja Mecânica que assombrou o mundo perdeu para os prágmáticos alemães, e os limitados Argentinos. Foi assim também em 50 e 54, quando a Máquina de fazer gols, a Hungria de Puskas; e o esquadrão
    canarinho de Ademir e Zizinho, perderam para os violentos Alemães e Uruguaios.
    Aquela partida de 82, foi emblemáttica, para a história do futebol, após aquela data o Futebol perdeu a sua arte.

  11. Dayvison Santos
    11

    Janio bela análise.
    Mas acho que ainda há tempode se fazer o futebol arte, mas com a evolução do Futebol, do condicionamento físico, da diminuição de espaços a arte tem q ter outra conotação, como por exemplo triangulações rápidas, movimentação e precisão nos passes. Acho que não mais muito espaço pra vários dribles, pode ocorrer e deve ocorrer mas de forma moderada.
    Mas isso é muito complicado…
    Estou precupado é se o Santa vai subir ou não…
    Se jogar o futebol arte seria bom, mas o de resultado é o mais indicado….
    Até sem futebol arte e até sem futebol de resultado, eu quero é que o Santinha saia dessa infame dessa série D.

  12. Bosquímano
    12

    Dayvinson, só, e somente só, o Santinha tem essa prerrogativa divina.

    Janio, para corroborar com a tese, não podemos esquecer da França de 82. Era um timaço e deveria ter chagado à final, contra o Brasil. Daí, pro bem do futebol, qualquer um poderia sair campeão. De preferência, o Brasil, claro. Porém, havia uma alemanha, um goleiro assassino e um juíz complacente no meio do caminho dos franceses. No fim das contas saiu a final do anti-futebol. Itália x Alemanha.

    Mas reconheço, dentro do seu estilo, a Itália tinha um timaço também.

  13. Grande texto, seu Bosquímano. Mas sou pessimista: o futebol de resultado venceu.

    Não assisti ainda à seleção espanhola jogando — aliás, atualmente, raramente vejo futebol. Reduzi-me ao Santinha.

  14. Bosquímano, concordo com você, no que diz respeito a Seleção Italiana, dentro da sua proposta de jogo, foram perfeitos, e depois ganharam a copa com autoridade.
    O ex-Lateral da Seleção Júnior, inclusive, reconhece que naquele jogo contra o Brasil, os Italianos deram uma aula tática. Pra mim ali foi a consagração do Futebol de reesultados.
    Os efeitos produzidos pela aquela derrota no Sarriá, atingiu inclusive, o festejado Mestre Telê Santana. Que na Copa seguinte optou por jogar com dois Brucutus no meio de campo Elzo, e Alemão, além de trocar a dupla de zagueiros técnicos Oscar e Luizinho, por dois zagueiros violentíssimos Edinho e Júlio Cézar. Se rendendo a nova tendência tática.
    O jogo das semi finais entre França e Alemanha, é considerado entre os cinco melhores jogos de todos os tempos em copa, em pesquisa feita pela FIFA, com jornalista especializados.O que concordo, foi um jogaço.

  15. Bosquímano. Concordo com você, dentro da sua proposta de jogo, a Itália era realmente uma equipe muito forte. E após aquele jogo contra o Brasil, conquistou a copa com autoridade.
    O ex-lateral da Seleção Júnior, inclusive reconhece, que os Italianos, foram muito superiores ao Brasil, naquela partida. Que pra mim foi a Consagração do futebol de Resultados.
    Os efeitos daquela derrota no Sarriá , atingiram inclusive o festejado Mestre Têle Santana, que na Copa seguinte armou a Seleção Brasileira com dois brucutus no meio de campo, Elzo e Alemão, entraram no lugar de Falcão e Zico, e também trocou os dois zagueiros técnicos de 82, Oscar e Luisinho, por dois zagueiros violentíssimos, Edinho e Júlio Cézar.
    Também concordo sobre a Seleção da França em 82, era outro grande exemplo do futebol Arte, que curiosamente também foi praticado pela Bélgica e por Camarões na quela Copa de 82.
    A partida das semi finais entre Alemanha e França, é considerada pela FIFA, uma das 5 melhores partidas de Copa do Mundo de todos os tempos. O que concordo foi um jogaço de futebol.

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *