O Pagão de meu pai

Nunes

Desde que consigo argumentar sobre futebol com meu velho pai, ouço-o endeusar Maradona. Para ele, o argentino é insuperável. Meu velho não cansa de repetir: “Tudo o que Pelé fez com duas pernas, cabeça, tronco e membros, Maradona fez apenas com a perna esquerda.” Tem uma certa lógica, mas não concordo, até porque Pelé foi mais completo. Para mim, Pelé foi o melhor e pronto. Ponto! A verdade é que sempre me doeu os ouvidos de tanto meu pai falar del Pibe. “Pelé nunca ganhou uma copa sozinho. Em 86, só deu Dom Diego”, segue a ladainha.

Comecei a acompanhar copas do mundo a partir do mundial da Espanha. Lembro-me muito bem de meu velho falando que a seleção de 82 só tinha “armandinho” (designação para jogadores de meio campo que só criavam, mas não finalizavam). Era pura maldade com aquele time, que até hoje não sai da minha cabeça. Notava uma certa raiva no velho. Em 86, era o time dos armandinhos envelhecidos. “Se no auge da forma perdemos, imagina agora”, dizia.

Quatro anos mais tarde veio a famigerada copa da Itália, com o mais famigerado ainda Lazzaroni (esse sujeito deveria ser banido do futebol) e aquela seleção retrancada, jogando um “catenaccio” de primeira qualidade. Não deu outra, perdeu. Onde já se viu uma seleção brasileira jogar à italiana? Mesmo assim, quase saio no tapa com o velho. Não agüentei sua perturbação no meu juízo por causa daquela jogada genial de Maradona e o passe pro Caniggia nos mandar de volta pra casa.

Estados Unidos 94, o mesmo “catenaccio”, mas dessa vez ganhamos. Tínhamos Romário para fazer a diferença. Ao notar que minha mãe estava feliz, sobretudo pelos filhos poderem finalmente comemorar um título mundial da seleção, meu pai não perdeu a chance de provocar e emendou: “Com um time desses, era melhor ter perdido”. Não lhe dou razão, mas não guardo muito afeto por aquela seleção.

Em 98, foi aquela coisa de amarelar pra cá, amarelar pra lá. Nike, Adidas, etc. Concordei com ele, ainda que com ódio mortal dos franceses. Chegou 2002, nessa copa, estranhamente ele torceu pelo Brasil. Eu nunca havia visto meu pai torcer pela seleção. O que teria acontecido?

A resposta é simples. Naquele time havia Rivaldo. Criado no tricolor, colocado pra fora por pressão da torcida, mas tricolor de verdade. Rivaldo vinha sendo esculachado pela imprensa, sobretudo a do sudeste, capitaneada por Galvão Bueno, que teimava em encontrar um lugar para o inoperante Denílson. Várias enquetes sobre quem deveria sair para a entrada do ex-atleta do Betis foram realizadas. Sempre Rivaldo era o mais votado. Não houve uma única vez em que o resultado foi outro.

O sangue tricolor do meu pai falou mais alto e ele torceu como nunca para que o nosso Rivaldo fosse o melhor da copa. E foi! Apesar da votação oficial ter dado um certo goleiro Alemão, que, ironicamente deixou escapar aquela bomba forjada nos campinhos de Paulista!

Afinal, de onde vinha tanto ódio com a canarinha? Lembro do entusiasmo dele ao falar de Mané. Das jogadas de 58, 62 e 70. Por que tanta raiva? Qualquer tricolor com mais de 40 conhece a resposta. Meu pai até hoje não engoliu o corte de Nunes – o cabelo de Fogo – da seleção que disputou a copa de 78. Nunes seria o primeiro e único jogador atuando em um clube nordestino a jogar uma copa. Mais imperdoável que o corte em si, foi como ocorreu. Inventaram uma contusão no nosso artilheiro e ele acabou alijado da disputa. O engraçado é que poucos dias depois, ainda antes da copa, ele jogou pelo Santinha, salvo engano contra a coisa, e marcou três gols.

É, meu pai tinha razão. Foi uma maldade sem precedentes o que fizeram com o nosso Cabelo de fogo. Descobri enfim o grande ídolo de meu pai. Para ele não tem Garrincha, Pelé, Tostão ou, muito menos, Maradona. Assim como Chico Buarque tem o seu Pagão, meu pai tem o seu Nunes. É isso!

Outro dia contarei da visita que Nunes fez ao velho Bosco quando descobriu que naquele fim de mundo chamado Sobradinho, havia um sujeito que não torcia pela seleção desde o seu corte em 78. Essa visita é verídica e Geó conhece a história.

30 Comentários

  1. Arnildo Ananias de Oliveira
    1

    Bosquímano,

    Infelizmente, dessas seleções que citastes, só me conenceu o caneco ganho pelo Felipão (digo, pelo Rivaldo). Ainda esta semana o Felipão declarou (o óbvio) ter sido ele (o Rivaldo) o maior responsável por aquela conquista.

    Quanto ao demolidor “cabelo de fogo” Nunes, que antes de ser cortado nos deu uma vitória no Templo Sagrado de Wembley contra os “donos da casa” (ou teria sido 1 X 1 este jg?), o teu pai tá coberto de razão: foi uma grande sacanagem que fizeram. Tb o Zé Galinha, de certa feita, abdicou de convocar o Ramon (artilheiro do Nacional de 1973) pra acomodar o sofrível Leivinha do Parmeiras. Perdemos a Copa (1974).

    Agora, comparar o Maradona com o Pelé, é querer comparar Mané Buchido com Jesus Cristo. O Pelé foi e será ÚNICO no mundo. Um jogador que fazia tabelinha “com o adversário” não pode ser comparável A NINGUÉM.

    E QUE BAIXE O ESPÌRITO DO NUNES NO GILBERTO LÁ EM MACEIÓ!

  2. Arnildo Ananias de Oliveira
    2

    Em tempo: o MANÉ tb nos deu, sozinho, a Copa de 62, no Chile

    E QUE DEUS ILUMINE O NOSSO SANTINHA

  3. Arnildo e Bosquímano,

    Nunes voltou em um sábado à noite contra o Fluminense (ganhamos de 1×0-não me recordo se o gol foi dele ou de Joâozinho), no mesmo dia em que empatamos com a Suécia na abertura da copinha 78.

    O jogo em Wembley foi 1×1, mas ele ganhou a posição de reinaldo quando tiramos o cabaço da então campeã mundial Alemanha em plena Munich por 1×0 – gol dele.

    O corte dele se deu pq o então presidente da cbf (heleno nunes) era vascaíno roxo e queria a todo custo que roberto fosse convocado – parece inclusive que ele (nunes) levou uns trocados para ficar calado.

  4. Claudemir Pereira
    4

    Bosco,

    No ano de 1978, eu morava em Maceió (onde o SANTINHA vai botar pra quebrar domingo) e tinha 13 anos de idade, mas lembro, como se fosse hoje, o dia que informaram o corte de Nunes, lá em casa parecia que tinham anunciado a morte de alguém importante, pois, ninguém desgrudou da TV. Meu pai, um tricolor arretado, xingou até a terceira geração de zégalo (como diz Arnildo), pois, sabia que o técnico um filhote da ditadura, como é de conhecimento público, já teria levado Dadá em 70 a pedidos dos milicos, e iria inventar algo para excluir o único representante de um time do NE, mesmo o SANTA tendo dentro dele, naquele tempo, muitos filhotes da ditadura.
    Na semana da estréia da “seleção” quase não vimos o jogo, pois, estávamos vindo para Recife para ver o Tricolor e Nunes em ação. Não fui ao jogo, mas escutei os comentaristas, como Barbosa Filho, dizer: “se esse jogador está com problemas imaginem se ele estiver são”, tão grande foi a partida feita pelo Cabelo de Fogo.
    Um tempo depois Nunes é negociado com o framerda e, como já contei aqui, eu também negociei meu botão de mica, Nunes, para um torcedor da coisa carioca, com a grana comprei mica e fiz mais de dez botões.
    Agora! Enildo, não acredito que Nunes tenha levado algum com isso, pois, se assim fosse ele não teria feito questão de jogar na semana da estréia brasileira em 78, e provar para todos que estava bem. E outra, se ele jogasse a copa seria a coroação de sua carreira, então, acho que houve um pouco de maldade nesse comentário.

    Saudações Corais

  5. Hélio Mattos
    5

    Ai que saudade me dá!…

  6. Como disse o Hélio Matos:Ai que saudade que dá!

    Quanto à história da visita de Nunes ao velho Bosco, é sensacional. Bosquímano fica nos devendo essa.

  7. Claudemir Pereira
    7

    Senhores,

    Me confundi, meu pai xingou zégalo em 74, em 78 foi a vez de Cláudo Coutinho.

    Saudações Corais

  8. Bosco, a discordar do seu pai só em dois fatos, Maradona e
    o escrete de 82, pois como disse o Arnildo, Mané também
    ganhou uma copa sozinho e sem usar a mão e quanto ao time de
    82, nunca mais o Brasil jogou um futebol como aquele, estão
    certos o Hélio e o Geó; ai que saudade que dá!
    Vamos subir Santa!
    Saudações corais.

  9. Crônica do carai!

  10. Eterna saudade da seleção de 82! essa foia maior injustiçada e ainda fez mal ao futebol!!Parabéns pela Crônica , digna de respeito!!!

  11. Geraldo Tricolor da Iputinga
    11

    Naquela copa, fizeram com a seleção brasileira a estupidez de cortarem Nunes sob a alegação de uma contusão (inventada), e levaram Rivelino contundido e que só se recuperou após o término da competição.
    Com Nunes naquele ataque certamente hoje a seleção brasileira contabilizaria mais um título.

  12. André Tricolor Virtual
    12

    Pois é amigo, após o corte de “Nunes”, foi iniciado o fenômeno que dura até os dias de hoje: o preconceito exacerbado pelo Futebol do Nordeste … Agora também, temos que admitir que “Nunes” dificilmente fala do Santa Cruz em suas raras entrevistas!

    Sei o quanto temos volantes, o quanto é possível estarmos sem direção, sei ao certo é que os ‘pneus’ já estão bastante carecas de tantas arrancadas sem sucesso!

    Ps. Para os que forem a Maceió, estou tentando me organizar para fornecer o ‘Lanche da Manhã’ e desejar a Todos ‘Boa Viagem’

    Abraços a Todos,

    >>> VIVA SANTINHA !!!!

  13. Claudemir,

    O comentário à época era justamente que ele ficou calado pq recebeu um “troco” (e logo depois do brasileiro daquele ano ele forçou a barra para sair do Santa), mas pela sua participação no jogo do Santa Cruz no dia da estréia da seleção do coutinho, ficou claro que o corte foi “fraudulento”, e lembre-se que para nós torcedores foi uma tremenda frustração ele não ter permanecido no grupo, pois reinaldo com os meniscos estourados jogou os 2 primeiros jogos e amargou a reserva do centroavante do vasco.
    Importante lembrar que tínhamos o então melhor ataque do Brasil: Fumanchu, Nunes e Joãozinho – Na minha opinião e na de muitos desportistas, todos 3 eram para estar na Argentina, juntamente com o lateral esquerdo Marinho Chagas.

    Saudações Tricolores!

  14. reci sa silva santos
    14

    Eita que teu pai é invocado mesmo!
    Fiquei assim quando Brandão deixou de convocar Givanildo, em plena forma, para atender pedidos superiores. Cheguei a torcer para a seleção se lascar, como um modo de provar a falta do baixinho naquele meio de campo.

  15. Tricolores amigos, estejam onde estiverem, a partir de agora
    tenham sempre em suas mentes esta frase: Vamos subir Santa!
    Aos que vão a Maceió, que Deus ilumine a jornada de vocês e
    do nosso Santa Cruz.
    Vamos subir Santa!!!
    Saudações corais.

  16. Este assunto de Nunes, também me traz grande tristeza. Ainda lembro a voz de Cid Moreira anunciando na chamada do jornal Nacional. “Nunes poderá ser cortado da Seleção”, como disse Claudemir, isto foi tratado como um enterro na minha casa.
    Outra curiosidade da Seleção Brasileira, é que ao longo dos tempos ela é prodigiosa em produzir grandes ironias.
    Se por um lado é capaz de consagrar Grandes cabeças de bagres, como atletas vitoriosos, eternizando-os como Hérois da pátria, Por terem sido campeões mundiais. Por outro condena fabulosos craques a ficar na galeria da obscuridade, colocando a faixa de perdedor e fracassado só porque não conseguiram o almejado título de Campeão do Mundo.
    O Fabuloso goleiro Barbosa, que defendeu o Santa Cruz, talvez seja o exemplo maior, de um atleta condenado ao ostracismo, e rejeitado até o fim da sua vida. Ao ponto de os dirigentes da CBF, proibírem a sua presença num evento com os atletas da seleção , as vésperas da copa de 98. Por ele ter sido considerado como o maior culpado pela derrota de 50 contra o Uruguai.
    Enquanto que outros goleiros sofríveis como Félix , Zetti e Gilmar Rinaldi, frequentarem a galeria da glória , por terem sido campeões mundiais. Outros exemplos recentes não faltam: Anderson Polga, Viola, Luisão, Zinho, Kleberson, Paulo Sérgio (Quem? Alguém se lembra dele?), são hoje mencionados nas enciclópedias sobre o assunto.
    Por outro lado , uma grande geração de craques com nomes como de Falcão, Zico, Sócrates, Careca, Junior, Èder, Leandro,Luis Pereira, Ademir da Guia … São jogadores que até hoje , são questionados quanto ao seu real valor, só porque nunca ganharam uma Copa.
    Eu sou daquela linha de pensamento que diz : SE FALCÃO, ZICO, E SÓCRATES nunca ganharam a Copa do Mundo. PROBLEMA DA COPA DO MUNDO.

  17. Gilberto Chaves
    17

    Nunes, esse sim um verdadeiro jogardor de raça um matador nato que tantas alegrias , vivi ao ver e ouvir seus gols , seja contra Nautininho e ex-porte, seja no Brasileiro .
    quando teremos outro Nunes? outro Givanldo ? outro Ramom ? outro Gilberto Goleiro ? outro Pedrinho ? outro time de verdade ?

  18. Arnildo Ananias de Oliveira
    18

    Q que o ENILDO falou a respeito do Nunes não é maldade não: lembro desse boato que correu à época.

    Quanto ao ex-vascaíno Barbosa, integrante de primeira linha do famoso “expresso da Vitória cruzmaltino”, titular do “scratch” de 1950 ele disse, numa entrevista logo após a virada pra este século XXI, depois de um longo tempo de ostracismo e anonimato, que a pena máxima no Brasil era de 30 anos e ele vinha pagando uma pena que já passava dos 50 anos, pelo gol que tomara do Gighia.

    Mas, o Barbosa e a tragédia parecem que sempre andavam “de mãos dadas”. Ele veio jogar no Santa Cruz através de uma arrecadação histórica feita junto ao povão, à “poeira” como costumavam chamar à época. Entretanto, saiu às carreiras do Santa Cruz, depois de um fatídico jogo contra o América de Recife (então ainda tido como um dos 4 “grandes” de Recife), no qual o Santa Cruz vencia por 3 X 0 e terminou perdendo o jogo de 5 ou 6 X 3, com uma atuação desastrosa daquele “goalkeeper”. Era muito pequeno quando isso ocorreu (tinha de oito a dez anos). Mas acho que isto foi em 1956 ou 1957.

    Em 1958, o América fechou seu Departamento de Futebol (nessa ocasião o Djalma, seu artilheiro-mor foi parar na Coisa, onde fez história, só voltando em 1962 ao Campeonato Pernambucano e, NUNCA MAIS, foi o mesmo de outrora.

    E QUE O ESPÍRITO SANTO BAIXE SOBRE O GILBERTO NO JG DE AMANHã.

  19. Torcedor Coral Distante
    19

    Boa noite, Torcida Tricolor Coral Santacruzense

    Boa noite, Bosquímano

    Meu caro, Bosquímano, essa atitude do seu pai foi a mesma de muita gente que torcia pelo Santa Cruz e mesmo por muita gente que torciapor outros clubes fora do estado de Pernambuco.
    Essa estória de contusão foi tão ridícula, que ninguém engoliu, até hoje!!
    Infelizmente, só entra e fica na seleção quem tem QI, isto é, QUEM INDICA!!!
    Rivaldo só foi e ficou na seleção e participou da Copa de 2002 porque o Felipão segurou as pontas com mãos de ferro, contra a imprensa e mesmo contra os manda-chuvas da CBF!!
    Isso só foi possível porque ninguém queria comandar a seleção nos jogos finais das eliminatórias porque estavam com medo do Brasil não se classificar e ficarem na história como o técnico que não classificou o Brasil para uma copa do mundo!!
    Felipão, contrariando a lenda, deu uma de gaúcho macho e convocou quem queria e mantece quem queria, mesmo com a imprensa do sul querendo queimar Rivaldo!!!
    Naquela época, eu tinha 15 anos e chorei como um condenado porque tinha certeza que era pura sacanagem da CBF e imprensa do sul!!
    Quanto a Pelé e maradona, o Ilustre Torcedor Coral Próximo Arnildo Ananias de Oliveira está corretísimo: Pelé foi o único jogador de futebol do mundo até hoje que tabelava com o adversário e fazia gols, muitos gols!!
    Vamos subir, Santa!!
    Saudações Corais.
    Torcedor Coral Distante, mas sempre presente.

  20. Jesaias Paixão-Cortês-PE
    20

    isso ai hj é santa——- santa………………….

    tricolor……

  21. Amigos, durante todo o dia, os enviados especiais do Blog do Santinha a Maceió vão enviar pelo celular as últimas informações e fotos para o microblog Twitter.

    Taí: http://twitter.com/blogdosantinha

  22. Entre Pelé e Maradona existe uma imensidão chamada Garrincha.

  23. Pernambucanos invadem Maceió, tá lá no site http://gazetaweb
    .globo.com, vale apenas dá uma olhada, a inferno chegou com
    tudo. Vamos subir Santa!!!
    saudações corais.

  24. Luiz Ferraz
    24

    Que Deus Proteja a SANTA CRUZ!!
    Vamo TRICOLOR!

  25. Geraldo Tricolor da Iputinga
    25

    Valeu Santa Cruz, valeu grande torcida que foi a Maceió e contagiou o time trazendo uma grande vitória.
    Domingo o Arruda vai lotar e a diretoria precisa facilitar a vida do torcedor. Venda antecipada inclusive em pontos fora do Arruda, poderão evitar os tumultos ocorridos nos ultimos jogos.

  26. TIME SEM DIREÇÃO VAMOS SUBIR SANTA HEHEHEHEH!

  27. Bela crônica, Bosquímano.

    Enildo, se Nunes voltou contra o Fluminense, não foi no dia da estréia da seleção canalhinha.

    O jogo do Santa contra o pó-de-arroz aconteceu no dia 10/06/1978.
    Já o da selecinha contra a Suécia, foi no dia 03/06/1978.

    O gol do Santa foi de Joãozinho mesmo.

  28. O resultado de hoje foi bom, mas o próprio Sérgio China não quer saber de empolgação e admitiu que ainda há muito o que melhorar – discurso do qual eu gostei.

    De qualquer modo, dá moral e deve deixar os próximos adversários com uma cobra atrás da orelha.

  29. Passei o final de semana fora de Recife e, por isso, só comento o texto agora.

    Muito boa crônica de Bosco. Lembro da decepção que senti ao ver Nunes fora da seleção. Aos doze anos senti vergonha da seleção.

    Quanto ao jogo de hoje, tão importante quanto o resultado foi o futebol apresentado. Liguei para o amigo Gerrá que estava no estádio e ele elogiou a equipe. Disse que o Santa jogou aplicado e, para a Série D, fez uma grande partida. Parece que o Santa mostrou que jogo é jogo e treino é treino.

    Bom, porque além de apagar o péssimo futebol apresentado no amistoso contra o Treze, de quebra traz o torcedor com força total para ir ao Arruda.

    Bora ver.

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  30. Ducaldo,

    Vc está certo. Ele voltou uma semana após a estréia do Brasil na copinha 78.

    Em tempo: Caso haja quinta Santa no dia 16/07, como estarei retornando de viagem via Recife, terei o prazer de antecipar um dos litros do black que imaginava perdido no jogo ontem, para bebemoração dos membros da “confraria coral”.

    Me confirmem se vai haver, qualquer dúvida o coronel peçonha tem o meu número.

    Saudações Tricolores!

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *