As torcidas organizadas e a violência

Torcidas organizadas

A situação

Não é de hoje o debate que se estabelece em torno da questão das torcidas organizadas e suas investidas violentas contra a sociedade de um modo geral. Principalmente, no Estado de Pernambuco, aonde o relacionamento entre partes envolvidas chegou ao mais alto nível de intolerância. Entenda-se, com La Taille, que no plano moral pode-se inspirar no princípio kantiano que define violência como ato que coloca outrem como meio e não como fim, de modo que assim: “A violência traduz o uso instrumental de outrem, uma negação de seu estatuto como sujeito”. Em outras palavras, os cidadãos comuns são apenas meio para se alcançar determinados fins dos supostos violentadores. Com base nesta premissa pode-se presumir que atos de hostilidade de tais torcidas levam em seu bojo demandas subjacentes muito mais complexas e não reducionistas a serem desveladas.

Assim sendo, perguntas sobre torcidas organizadas tais como: quem são os seus componentes; o que querem; e como agem para atingir seus objetivos já poderiam estar respondidas há anos. Todavia, continuam sem respostas ou com explicações superficiais. Os poderes constituídos, provavelmente, não têm investido no aprofundamento de estudos científicos sobre o tema, preferindo focar no que é visível, talvez pelo temor de que possíveis descobertas, neste campo, possam vir a cortar a própria carne e abrir suas veias, presumidamente, contaminadas pelo ódio, preconceito, desassistência e discriminação.

Não obstante a ausência de profundidade, parte da mídia já escolheu seu mote de pauta: criminalização indiscriminada de todos os componentes destes grupos, independentemente, da responsabilização individual dos envolvidos em atos de hostilidade; constatam-se dirigentes clubísticos e a entidade mentora do futebol local subestimando o potencial explosivo da disposição de trincheiras; a legislação esportiva deficitária penaliza muito mais os clubes do que os transgressores da Lei, não consegue dirimir as demandas. A verdadeira punição, neste caso, recai sobre torcedores comuns que ficam privados do acesso aos jogos e competições do seu clube do coração, que arca com grandes prejuízos financeiros, ameaçando sua trajetória no meio futebolístico saturado e saturante.

Observa-se, ainda, uma parcela significativa da Instituição Policial adotando a humilhação como purgação, antes mesmo do apropriado julgamento caso a caso (vocês se lembram do episódio em que policiais obrigaram membros de uma torcida organizada do Santa Cruz a cantar o hino do Sport?); o executivo não oferece alternativa de intervenção nesta conjuntura de exclusão social misturada com vulnerabilidades psicológicas e a Justiça parece paralisada sem saber o que fazer diante do fenômeno de violência que se avoluma sem controle, sem resolução.

Do outro lado, cidadãos e cidadãs comuns perplexos, ficam privados de seus direitos individuais e do acesso aos serviços públicos, face às ações empreendidas pelas referidas turbas ensandecidas. São os desvalidos. Arvoro-me a preconizar que o comportamento truculento e, muitas vezes, bandido de algumas das torcidas organizadas deveria ser enfrentado pelas autoridades não como fato relacionado à decisão individual de cada um dos que nela se inserem, mas como uma das facetas da violência urbana, fruto da ausência das três instâncias de poderes constituídos em nível federal, estadual e municipal, junto à população.  Os detentores de tais poderes teimam em ignorar as necessidades mais visíveis dos cidadãos comuns e dos que se sentem defraudados tanto na dignidade pessoal quanto na condição cidadã, tão distantes do seu alcance. São séculos de descaso, difíceis de serem compensados apenas através de discursos.

Incapacidades

O gesto mostrado por um jogador de futebol, numa recente partida válida pelo campeonato pernambucano de futebol, parece ter acirrado novamente a discussão sobre o tema que tanto incomoda. Então, que se faça por aqui esta análise introdutória do assunto, anunciando que preliminarmente as referidas torcidas se aglutinam em torno de uma agremiação esportiva com a qual se “identificam” e que representa o elo primário entre seus integrantes, no entanto isto não é tudo. Em seus gritos de guerra, quase não se ouvem os nomes dos times que alegam torcer. Nota-se que trazem para a praça pública outras necessidades e clamores expressados, na maioria das vezes, da pior forma – violência gratuita.

Pouco se escutam declaração de amores pelo suposto clube do coração e, sim, apologia ao próprio desempenho – a maior, a mais brutal, a que bota pra correr – numa disputa clara de territórios e domínios, que por outras vias nunca seriam alcançados. Juntos seus membros se sentem mais afoitos, mais fortes, arrostam direitos individuais e coletivos, chegam a cometer crimes hediondos, possivelmente, para se afirmarem e ou ao mesmo tempo negarem, consciente ou inconscientemente, a fragilidade individual e vulnerabilidade social de cada um de seus componentes.  Sozinhos seriam ninguém, pois é esta a imposição do sistema cujo maior valor é o “ter em detrimento do ser”.

O Psicólogo e estudioso social, Kurt Lewin, em seus estudos, nos anos 30/40 do século passado, já identificava que fenômenos de grupo são irredutíveis e não podem ser explicados à luz da Psicologia Individual. Para ele, toda dinâmica de grupo seria a resultante do conjunto das interações no interior de um espaço psicossocial. Estas interações poderiam ser tensões, conflitos, repulsas, atrações, trocas, comunicações ou ainda pressões e coerções. Minorias excluídas lançam mão de grupos para sobreviver.

Presume-se que quanto maior a pressão sobre um determinado segmento social maior a probabilidade de seus componentes se unirem cada vez mais. Daí o fracasso das iniciativas que visam à repressão. Ações coercitivas e punitivas teriam pouca possibilidade de sucesso neste âmbito, embora, não devam ser descartadas de todo. Por outro lado, o autor citado preconizava que identificar as necessidades de um grupo poderia ajudar na canalização de sua energia para atividades de interesse coletivo, pois este lócus, para o indivíduo, constitui um instrumento destinado a satisfazer suas necessidades psíquicas ou suas aspirações sociais.

Desta forma, pode-se entender que por trás de investidas periculosas de tais torcidas torna-se possível esconder, dentre outros fatores: precariedade das condições de vida, necessidades impostas pelo sistema capitalista e não favorecidas pelo meio psicossocial que as abrigam; dificuldades na construção ontogenética da pessoa, desestruturação familiar, preconceitos sociais, estigmas, exclusão, doenças mentais, dentre muitos outros males da pós-modernidade, ainda, não devidamente identificados. A incapacidade de as autoridades intervirem sobre a dinâmica dessas massas parece levá-las, o tempo todo, à contramão dos acontecimentos. Quando parte dos detentores do poder age sobre estes grupos diferenças se fazem notar pela forma como as ações de uns e de outros são tratadas. Por exemplo, o mal feito de uma torcida é divulgado e execrado o de outra é camuflado, não falado, não resolvido.

Tudo isso acrescenta mais um ingrediente explosivo à dinâmica dos grupos em discussão: o sentimento de injustiça eliciador de mais violência, mas isto é tese para outra conversa. Presume-se, por fim, que o fenômeno ora discutido poderia ser minimizado caso governantes, dirigentes, Polícia e Justiça lançassem um olhar aprofundado sobre esta temática e não ficassem apenas olhando o próprio umbigo. Caso não se invista em soluções estruturais para o atual contexto belicoso, pessoas comuns e, também, desprotegidas pelo Estado, continuarão sendo atingidas pelo desassossego, injustamente. Encontraremos caminhos para alcançar a paz no recinto futebolístico ou fora dele? Não sei. Porém, se continuarem apenas criminalizando as torcidas organizadas poucos avanços teremos e mais desmoralizado ficará o sistema.

42 Comentários

  1. Artur Perrusi
    1

    O TC é cultura! E ciência! Grande artigo, Santana.

    Aproveitando o ensejo, disponibilizo artigo da minha lavra sobre violência no futebol (foi publicado originalmente no site Futiba):
    http://www.cchla.ufpb.br/caos/numero1/01perrusi.pdf

    • Santana Moura
      1.1

      Aproveitemos para ler e refletir, sempre mais! Grata Perrusi.

    • Bom dia galera. Eu gostaria de dizer que queria que as torcidas organizadas acabassem.
      Precisamos é de uma charanga da GIgantes do Samba nas sociais pra animar

  2. Bem… para muitos (a maioria, talvez) o T é de TRICOLOR e não de toic, vide a ex-consulesa dos Estados Unidos Usha Pitts que fez o tezão quando recebeu homenagem na câmara.

    Pra mim, a solução (pelo menos dentro do estádio) é torcida única em clássicos. Foi o que melhorou a siuação na Argentina e em BH.

    Fora dos estádios, polícia neles. E passeata indo pro estádio é formação de quadrilha, dissipa com a tropa e choque.

  3. O maior incentivo às facções foi dado lá nos anos 80, quando separaram as torcidas. Nunca era pra ter acontecido. Muro, cordão de isolamento e esse tipo de coisa são combustíveis pra violência.

  4. Arnildo Ananias de Oliveira
    4

    CONFIRAM O ÁUDIO DA MATÉRIA, NO LINK ABAIXO

    http://www.santacruzpe.com.br/noticia.php?id=2136

    e comprovem q quem está à frente do Clube é uma pessoa séria e honesta (q, inclusive vem colocando, por enquanto, $ do próprio bolso pra poder honrar os compromissos da agremiação pois o q recebeu SÓ FOI DÍVIAS E MAIS DÍVIDAS).

    Ñ o conheço pessoalmente nem tenho procuração pra defendê-lo mas ouvi muitos elogios de pessoas idônias à respeito do mesmo.

    Q DEUS O AJUDE E NOS AJUDE.

    ALIÁS ESTE BOLOG ESTÁ DEVENDO UMA ENTREVISTA COM O MESMO.

    SAUDASANTA
    Q DEUS O AJUDE E NOS AJUDE

  5. Arnildo Ananias de Oliveira
    5

    TENHO MUITO RECEIO Q OS RESULTADOS, EM CAMPO, JOGUEM POR TERRA TODO UM SÉRIO TRABALHO Q SE ESTÁ PLANEJANDO.

    SAUDASANTA

    • Roberto Gomes
      5.1

      È verdade Arnildo, o atual presidente não merece por conta do futebol todas essas criticas contra ele que está fazendo uma verdadeira revolução adminstrativa em todos os setores do clube, uma faxina pesada tentando limpar a sujeira empregnada,Até a sorte ALN levou. Ele tem projetos para todas as areas do clube mas infelizmente o futebol não está ajudando, refletindo no novo programa de sócios, arrecadação etc. Os resultados não ajudam até na busca de patrocinadores fortes, por que eles ficam receosos uma vez que vá lá o Santa fique de fora da copa nordeste e Brasil do proximo ano. Está tudo dificil, espero que ele tenha perseverança e siga nos objetivos traçados sem medo de ser feliz.
      Saudações Corais

  6. Sabado fui ao jogo com o intuito de voltar a ser socio, mas QUANDO VI A FILA pra comprar ingresso, recuei, NADA MUDOU, o socio continua sendo o zé ninguem de sempre… pense numa fila.

  7. Santana Moura
    7

    Além do estudo de Artur Perrusi, disponibilizo mais este link para leitura sobre violência e torcidas, talvez lendo pessoas possam tomar algumas atitudes que contribuam.
    http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-88392000000200015&script=sci_arttext

  8. Dona Santana, por que o Capitalismo tem culpa no cartório?
    Se meu dinheiro só dá prá comprar uma bicicleta, comprarei uma bicicleta.
    Se dá prá comprar uma Ferrari, comprarei um Ferrari.
    Se não dá prá comprar nem um nem outro, paciência. O mundo não vai acabar e nem vou sair por aí quebrando o patrimonio alheio ou público.
    Nossa violência é falta de berço mesmo.

    • Santana Moura
      8.1

      Matricolor, o capitalismo é produtor de miséria e exclusão, sempre em escala crescente. Nós vivemos no capitalismo, não tem como ser diferente, não tem como fugir disto, mas é preciso que sejamos sempre críticos. Obrigada pela oportunidade que me deu para esclarecer o que, provavelmente, não ficou claro.

  9. Tricolor Revoltado
    9

    Num clube com um mínimo de profissionalismo, uma derrota, nas circunstâncias em que estamos hoje (lanterna e com 2016, já, drasticamente comprometido), derrubaria técnico, comissão técnica e até mesmo diretoria de futebol (mesmo em se tratando de clássico). Todavia, estamos falando do Santa Cruz, onde profissionalismo é sinônimo de FARRA e FOLIA. Se perdermos pro nauticú, vamos continuar no mesmo marasmo que nos trouxe até aqui: letargia total (time, diretoria e torcida).

    Não conheço Delírio, “em tese” o maior mandatário tricolor, mas, me preocupa esta história de assumir ou não assumir responsabilidades. Se ele quer profissionalizar o clube, tem que olhá-lo como empresa (empresa vive de resultados positivos) e, realizar as ACÕES CORRETIVAS necessárias, mesmo que sejam cortando funcionários (técnicos, jogadores, diretores, auxiliares, etc).

    Acredito que Delírio, de fato, venha colocando dinheiro do próprio bolso para suprir os desmandos, administrativos e do futebol, deixados por ALN, mas, se Delírio não tiver “atitude de presidente” diante de maus resultados (provocados pela malícia – caso de bôscú – ou incompetência – caso de SB e Cia burronêga), cortando quem tiver que cortar, mesmo que o cortado esteja no seu âmbito de amizades, ele verá todo seu investimento (tempo, dinheiro, sonhos e autoridade), ir por água abaixo.

    Creio que neste momento todo tricolor está torcendo, não só pela recuperação em campo (queremos ver o time acertar – não torço contra o Santa nunca – mesmo que seja pra derrubar SB) mas, também, torcendo por Delírio, seja para ele reerguer um clube combalido, ou para tomar atitudes drásticas – demitindo SB, ADRI@NO, AT@ÍDE e BOSCÚ, para o bem do clube das três cores.

    O mercado está cheio de bons profissionais e que não são burrunêgos. Câncer, se não for tratado, mata.

  10. ERNANI J BARBOSA
    10

    O QUE ACONTECE NOS BASTIDORES DO NOSSO SANTA!?

    1) No site que se diz OFICIAL: http://www.santacruzpe.com.br as informações estão completamente fora da realidade/desatualizadas: DIRETORIA NOVA (não consta); Elenco atual; Dados e estatísticas atuais (inexiste); espaço de comunicação/interação com a Torcida (inexiste link); etc.

    2) Diretorias institucionais (inexistem, não funcionam), se nem foram indicados nomes para servirem de titulares desses setores.

    3) Ouvidoria, que existiu somente na gestão FBC, mesmo a título precário, mas funcionou com o mínimo de condições. Hoje é coisa de OUTRO MUNDO.

    4) Os projetos estruturadores segunda se fala estão sendo feitos pela PLURI CONSULTORIA, será que não temos em nosso Estado nada na área que possa ser utilizada com qualidade e competência. A que custo estamos trazendo uma empresa de fora????!

    5) Precisamos da implantação da TRANSPARÊNCIA hoje oficial no âmbito dos órgãos públicos, mas, considerando-se o nosso Clube uma sociedade privada, mas de interesse público (vez que sócios e torcedores formam uma parte da sociedade e têm caráter público). Até esta data o SANTA é um dos clubes mais fechados neste quesito, por isso as coisas pouco acontecem vide recentemente os casos de: antecipação de venda de jogos da Arena PE (6 jogos); a questão do placar; a indenização de Léo Gamalho e outros jogadores; a empresa de ingressos; a fornecedora de material esportivo (penalty); a discussão e impasse sobre o CT (dois campos) entre a Presidência e a Patrimonial (ALNada); etc.

    6) O que o SANTA tem feito quanto ao caso dos direitos de Otávio (ex base) hoje no Porto-PT, vendido pelo INTER-RS por 7 milhões euros (20 milhões reais – 31/08/14). E o jurídico onde está? Além destes e as outras situações e contratos que recentemente perdemos/negociamos: Natan, Everton Sena, Memo, etc. Cadê a visibilidade necessária e fundamental para credibilidade junto aos associados e torcedores. A questão da LOJA SANTA STORE e a rescisão da empresa gestora/terceirizada existe alguma indenização ?

    7) O que tem sido feito no âmbito do MARKETING ? Será que além da questão da Campanha de Sócios ainda um sonho, o que o Clube tem feito para angariar mais sócios e patrocínios. Será que os contratos e contatos feitos pelo Sr. ALNada eram pura enganação ou existia algo concreto?

    8) Qual o destino do LIVRO DA HISTÓRIA DO CLUBE prometido no centenário pela Comissão e Diretoria, tendo como principal senhor, o João Caixero, também foi uma falsa promessa?!

    9) E os projetos do tour coral, visitas e outras fontes paralelas de renda que estavam há muito tempo nas gavetas desde a época de FBC, quando vão sair do papel ?

    10) E quanto ao projeto de recuperação, via parceria com empresas e órgãos públicos, do CT VALDOMIRO SILVA, para a base e desportos amadores com convênios com o Gov Federal (Lei Rounat e Desportos Educacionais, além do município e estado.

    Estes, pessoal, são alguns dos pontos que poderiam começar a mudar a vida do SANTA e seus inúmeros torcedores.

    Nem o nosso site é profissional, a TV CORAL, que poderia captar recursos e servir de mídia diante de jogos amistosos, treinos e alguns oficiais não cobertos pelos contratos de concessionárias que detém parte dos direitos de arena/televisivos do clube. E o espaço para eventos, lembram do Show de Paul MaCartney, além de parcerias que poderiam ser adotadas instalação de um placar eletrônico, via permuta de mídia.

    É por isso que acreditamos que o futuro do SANTA depende, mas do que nunca da torcida efetiva, atuante, sem isso não existe o amanhã.

    Que o SANTA esteja sempre em nossos corações e na afirmação do Senhor!!!!!

    • Santana Moura
      10.1

      Seguimos impressionados com tanta inépcia diante de uma torcida tão grandiosa, será que um dia aparecerá alguém, no Santa Cruz, com visão de gestão, além de amor nas veias?

  11. Arnildo Ananias de Oliveira
    11

    EXCELENTES QUESTIONAMENTOS.

    PERRUSI, DIMAS, VALENÇA, SANTANA MOURA e demais colaboradores deste blog,

    por que ñ levá-los, pessoalmente, ao nosso mandatário-mor?

    SAUDASANTA

  12. Trocar o goleiro não é suficiente, é preciso testar outra configuração de zaga. Há dois anos, pelo menos, a torcida questiona Renatinho na lateral. O negócio está tão feio lá atrás que a lateral esquerda é a menos reclamada. Acho difícil o Santa não levar gol e como não tá fazendo a tendência é perder outro milhão de reais, no mínimo, para o ano que vem. Tempo há, o que não parece haver é disposição para reconhecer erros e tentar novos nomes para solucionar o problema. Urge a necessidade de afastar Sandro e c&a do Arruda, são muito orgulhosos para exercerem cargos que demandam rapidez nas reações. Quando vão reconhecer os erros a vaca já foi pro brejo.

  13. Arnildo Ananias de Oliveira
    14

    POR INFLUÊNCIA NEFASTA DO BOSCO O RICARDINHO ACABOU DE “QUEIMAR” O BRUNO.

    E o pior é que, agora, jogaram toda pressão em cima do FRED. Desnecessariamente pois tivesse sido escalado, COMO FAZIA JUS, desde a 1ª rodada, nem ele nem o próprio Bruno estariam passando por isso.

    Torço pro Fred ter um bom desempenho hj pra tb ñ vir a ser queimado perante a nossa torcida. Desde a 1ª rodada, contra a coisa, q o Fred já deveria tá jogando como titular, por uma questão de justiça: fez uma excelente partida, na despedida da série “B”, contra o burro-negro de Goiás lá, quando, inclusive, o vencemos. Foi melhor nos amistosos preparatórios.

    Hj já teria a segurança e maturidade suficientes, pra substituir nosso “Monstro Sagrado” q tantas conquistas nos deu nos últimos quatro anos. E o Bruno, quem sabe, poderia ir aos poucos sendo testado e, talvez, viesse mais tarde a galgar a posição. É o q penso.

    ENTRETANTO NADA DISSO FOI FEITO

    Oremos: “Ave Mª, Cheia de Graças,…”.

    SAUDASANTA

  14. Arnildo Ananias de Oliveira
    15

    SE MAL NÃO FAZ PERGUNTAR, GOSTARIA DE SABER Q BUBÔNICA DE ÚTIL FAZ O ADRIANO AO SANTA CRUZ? O QUE ACRESCENTA?

    O Bosco acho q já respondi acima. E os demais BURRO-NEGROS q fazem?

    SAUDASANTA

  15. Arnildo Ananias de Oliveira
    16

    As barbies, COMO SEMPRE, nos livrando dos infernos!

    Como posso detestar um time desse? MIL ANOS DE VIDA PRAS BARBIES!

    SAUDASANTA

    E viva Betinho, o maior crack do Mundo.

  16. Vencemos e não convencemos.
    Triste futebol.

  17. Arnildo Ananias de Oliveira
    18

    VENCEMOS HJ, “DE VIRADA”, GRAÇAS A DUAS EX-BARBIES:

    Alemão e Betinho.

    SAUDASANTA

  18. Arnildo Ananias de Oliveira
    19

    ESSE BURRO-NEGRO DO BLOG DO JCOISA É CHEIO DAS GRACINHAS, NÉ?

    SAUDASANTA

  19. Precisamos de dois zagueiros, pelo menos um volante e dois laterais. Essse estadual já dou como perdido: não temos solidez para vencer a coisa. Temos bons meias, um ataque que não deve aos outros, mas uma proteção de zaga e defesa muito fracos. Renatinho não tem estatura para defender, Alemão é nervoso, Dany Morais é lento. Contratamos um lateral pior que Nininho e um cabeça de área pior do que Memo. Tá ficando cada vez mais claro que o objetivo é classificar para o NE e copa do brasil, só falta contabilizar o desgaste para a torcida que é perder pra coisa. Com mais três boas contratações teríamos condição de jogar pra ganhar, mas assim como no ano passado, a meta é pouco ambiciosa.

    • Valmerio Santana
      20.1

      Eu diria que precisamos de mais um meia com qualidade e experiência, um atacante de velocidade e habilidade e com pelo menos dois neurônios, diferentemente de Keno e Pingo, além dessas posições que você citou. Acho que Sacoman é melhor que os dois zagueiros que temos, resta saber se vai entrar em forma ainda no pernambuquinho.

  20. Temos que lutar contra a violência, agora quanto ao jogo a impressão que eu tive é que foi a melhor partida do Santa Cruz nesse campeonato. O que teve de mais feio foi a torcida não ter comparecido ao Clássico, isso não é bom, por isso espero que o Mais Querido jogue melhor no próximo domingo e vença o Clássico das emoções. Vamos a ARENA PERNAMBUCO Família Tricolor, vamos ajudar o Santa Cruz a vencer mais um jogo nesse campeonato.

  21. Arena Pernambuco, estadio de 1º mundo administrado por vagabundos de 5º mundo. na fila de idosos tenham 27 pessoas a minha frente, passei apenas 42 minutos para conseguir comprar meu ingresso. Será que ainda querem que vá lá outro dia??????

    • Joseildo, realmente a Arena ainda tem muito que melhorar na parte de logística e organização pra receber grandes torcidas.

      Mas pelo menos na parte da venda de ingressos eles estão de parabéns, pois pelo que eu vi eles descentralizaram a venda em vários locais pela cidade inclusive nos principais shopings da cidade.

      Eu comprei meu ingresso tranquilamente no sábado, numa loja do shopping Plaza.

      Seria bom que no Arruda seguissem esse exemplo!

    • Constava os locais de venda no próprio site da Arena

    • joseildo
      23.3

      Luis, pra vpce que mora em Recife otimo, mas pra nós que moramos no interior???

    • Pois é, além de cruzar a cidade para assistir ao jogo, ter que ir a um shoping para comprar ingresso é demais para um dinossauro da minha lavra. De qualquer forma a descentralização nas vendas é obrigação de qualquer empreendimento que promova eventos para grande publico.

      Arena dudu até aqui não mereceu parabéns por absolutamente nada, senão por representar com fidelidade o que são os empreendimentos em PE. Caga-se na cabeça do cidadão.

    • Realmente joseildo, ficou complicado para os tricolores que moram no interior.

      Espero que a Arena e ESPECIALMENTE O ARRUDA comecem a olhar melhor a grande torcida espalhadas pelo interior.

    • joseildo
      23.6

      EM TEMPO: Nada, nada mesmo me fará comprar ingresso a cambistas, prefiro voltar pra casa como o assim fiz algumas vezes quando residia em Recife.

    • Dimas Silva
      23.7

      Uma alternativa para quem mora no interior, é comprar o ingresso pela internet, e na arena entrar na fila para pegar o ingresso. Geralmente essa fila é bem menor e mais rápida do que a normal (para compra na hora).

  22. Folhas de pagamento dos clubes pernambucanos em 2015 (estimativa):
    R$ 2,2 milhões – Sport
    R$ 750 mil – Santa Cruz
    R$ 350 mil – Náutico

    É impressão minha ou a folha do santa Cruz aumentou em relação ao ano passado, e com esse nível de jogadores?

    http://blogs.diariodepernambuco.com.br/esportes/2015/03/02/fair-play-trabalhista-pode-custar-pontos-no-brasileiro-o-alerta-e-geral/

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *