Entrevista: Rivaldo

Tem gente que torce o nariz para as redes sociais, mas elas mostram a cada dia a sua força. Pode-se dizer que elas têm as mais variadas utilidades, mas a que considero mais vantajosa é a sua capacidade de aproximar pessoas. Um exemplo disso foi o acerto desta entrevista com Rivaldo, o craque brasileiro que tem o início de sua carreira atrelado ao Santa Cruz, embora tenha começado, de fato, no Paulista em 1989.

Nosso contato com Rivaldo se deu através do Twitter, uma rede social que funciona como microblogging, onde cada comentário do usuário é limitado por 140 caracteres. Atencioso e acessível, Rivaldo não demorou a responder o nosso contato.

Rivaldo Vitor Borba Ferreira, homem de muita fé, é pernambucano, nascido na cidade de Paulista e vem de uma família de tricolores, o que certamente contribuiu para levá-lo para o Santa Cruz em 1991, como jogador profissional. Jogou em diversos clubes brasileiros e do exterior, entre eles o Milan e Barcelona. Ganhou fama internacional, foi eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA em 1999 e foi campeão do mundo pelo Brasil na Copa de 2002.

Rivaldo voltou à cena coral ao publicar em seu blog um desabafo onde pedia desculpas à torcida do Santa Cruz por não ter fechado uma parceria com o Mogi Mirim, clube do qual é presidente, para cessão de jogadores sem custos ao time coral. Rivaldo, em seu texto, informa que, apesar de ter deixado duas pessoas (Leto e Luiz Simplício, ambos ex-jogares tricolores) para tratar da questão com o presidente FBC, não recebeu nenhum retorno sobre a proposta.

Na proximidade de mais uma Copa do Mundo de futebol, o Torcedor Coral aproveitou a oportunidade para conversar com Rivaldo, 38 anos, sobre seleção brasileira, sua vida no Uzbequistão e, é claro, sobre o Santa Cruz.

Por e-mail, Rivaldo nos concedeu a seguinte entrevista direto de Tashkent, Uzbesquistão, onde não descarta a possibilidade de fazer um jogo de despedida no Arruda nem, de um dia, ser presidente coral.

Torcedor Coral – Como era a sua vida no início da carreira profissional?

Rivaldo ― Era difícil como qualquer outra pessoa sem dinheiro, passei por muita dificuldade, muita luta.

TC – Como foi a sua passagem pelo Santa Cruz?

Rivaldo ― Para mim era um sonho jogar no santa cruz, sempre sonhei em ser profissional do santa e nada mais. Tudo no começo é muito difícil, fui persistente, levei muito não e fui até cortado. E no profissional não tive muitas oportunidades, pois com pouco tempo fui trocado por um jogador, Paulo Silva, zagueiro, e com 19 anos cheguei ao Mogi Mirim e fui realmente ser profissional lá.

TC – De suas lembranças daquele tempo, ficou alguma mágoa?

Rivaldo ― Não. Pelas dificuldades que passei, não tive ajuda necessária e nem oportunidades, mas isso já é passado e eu não vivo do passado. E do Santa Cruz não tenho mágoa nenhuma.

TC – Você tinha grandes chances de participar da Copa de 1994. Até que ponto sua saída do Corinthians naquele ano foi decisiva para deixá-lo de fora da copa?

Rivaldo ― Isso foi uma decisão do treinador, não teve nada haver com minha saída do corinthians. Até dia 20 de abril, um mês antes da copa, eu estava jogando. Foi um jogo em Paris, onde o Ayrton Senna deu o pontapé inicial.

TC – O que faltou à seleção brasileira nas Olimpíadas de Atlanta?

Rivaldo ― Faltou o ouro.

TC – A derrota do Brasil para a França na final da Copa de 1998 foi atribuída a um problema de saúde de Ronaldo. Na sua opinião, o que de fato aconteceu?

Rivaldo ― Jogamos muito mal e a França fez o seu melhor jogo da copa e nós o pior. Não teve nada haver com o problema de saúde do Ronaldo.

TC – Como é a sensação de ser eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA e também de ser campeão mundial pelo Brasil?

Rivaldo ― Sensação de papel cumprido. Um menino pobre que saiu de Recife e conquistou o mundo, a maior alegria, pois com todas as dificuldades que passei, cheguei ao topo do futebol mundial.

TC – O ano de 2002 foi um dos melhores de sua carreira profissional. Você considera que o reconhecimento da mídia esportiva nacional foi na mesma medida que o da torcida brasileira?

Rivaldo ― Creio que sim. Todos me deram muito valor e fico feliz com isso, mas não me preocupo com isso, não. Fiz o meu papel, nunca me preocupei com o que a mídia diz. O importante é trabalhar e fazer o papel bem feito. Foi o que fiz e trouxe a alegria para todos.

TC – Você considera seu futebol mais reconhecido no Brasil ou no exterior?

Rivaldo ― Creio que em ambos. No Brasil, o povo me reconhece mais pelo que fiz na seleção, mas no exterior todos me reconhecem pelos clubes que passei e pela história que fiz. É claro jogar no Barcelona e Milan o torna conhecido mundialmente.

TC – Você considera que a pouca visibilidade do futebol grego influenciou na sua não convocação para a Copa de 2006?

Rivaldo ― Creio que sim.

TC – Como é hoje a sua vida no Uzbequistão?

Rivaldo ― Muito boa e tranqüila. Sou uma pessoa muito caseira, família. Estou muito feliz aqui.

TC – Você tem planos para voltar a morar em Recife?

Rivaldo ― Tanto Recife como São Paulo. As duas cidades me atraem.

TC – Pelas suas entrevistas, artigos no blog ou comentários no Twitter, percebe-se quanto a fé em Deus é importante em sua vida. Como a religião entrou na sua vida e até que ponto se pode atribuir a ela o homem que você se tornou?

Rivaldo ― Sempre acreditei em Deus como todos acreditam, mas nunca tinha entregado minha vida a Jesus e isso é totalmente diferente. Acreditar em Deus até o diabo acredita. Hoje sim, posso dizer que sou um filho de Deus e sou totalmente feliz. No meio do futebol sempre via jogadores crentes. Eu participava de reuniões, mas não de coração. Minha esposa já era crente. No meu aniversário de 32 anos, estava dirigindo de Mogi para São Paulo e fazia mais ou menos uma semana que sentia que iria morrer em um acidente de carro. Ouvi a voz do Senhor dizendo “me aceita, que você não vai morrer”. Então cheguei em casa chorando e pedi para a minha esposa orar comigo para eu aceitar Jesus. Depois disso, minha vida mudou totalmente. Posso dizer que o maior prêmio que recebi foi Jesus e a vida eterna.

TC – Apesar da fama e do dinheiro conquistado ao longo de sua carreira, você continua demonstrando simplicidade e pés no chão. Foi difícil manter o equilíbrio depois que o futebol deu uma guinada em sua vida?

Rivaldo ― Para mim foi fácil, sempre dei valor para a simplicidade. Nunca mudei por isso e espero que todos pensem assim. Sempre fui o mesmo. Nesta vida aqui na terra, não levamos nada e por que ser diferente dos outros? Humildade é a chave do sucesso.

TC – Como é ser presidente de um clube de futebol?

Rivaldo ― Muito difícil. Dá muito trabalho, muita dor de cabeça e muito gasto.

TC – É difícil presidir um clube à distância?

Rivaldo ― Se de perto já é difícil, de longe é pior ainda! Como escolhi isso, não me arrependo e nem reclamo, mas que dá dor de cabeça, isso dá!

TC – Você deixou à disposição do Santa Cruz cerca de 23 jogadores do elenco do Mogi Mirim, sem custos para o clube coral, para disputar a Série D, mas não recebeu qualquer resposta da diretoria coral. No seu blog, você se disse decepcionado e, em seguida, deixou claro que não quis ofender a diretoria coral. O episódio está superado ou ficou alguma mágoa?

Rivaldo ― Está tudo superado. Eu montei um time para disputar a Série D, mas, infelizmente, não alcançamos a colocação necessária. Por isso, pensei em ajudar o Santa Cruz. Mas tudo bem. Isso já passou e alguns jogadores já foram emprestados para outros times. Vou estar torcendo para o Santa ir para a Série C.

TC – Na sua opinião, por que o Santa Cruz não consegue sair do buraco em que se meteu?

Rivaldo ― Conseguir, consegue, mas precisa de tempo. Agora o Santa precisa da ajuda e união de todos, pois sem dinheiro não se pode fazer nada. Eu, como presidente, sei como é difícil.

TC Para você, o Santa ainda tem jeito?

Rivaldo ― Por que não?! Com essa maravilhosa torcida e o amor de todos.

TC – Você já pensa em aposentadoria?

Rivaldo ― Com certeza! Já estou com 38 anos e vejo muitos jogadores com 35 que já se aposentaram.

TC – Considera a possibilidade de fazer um jogo de despedida no Arruda?

Rivaldo ― Por que não? Mas tudo tem que ser bem organizado e bem feito.

TC – A torcida coral pode ter esperanças em um dia ter Rivaldo como presidente do Santa Cruz? O TC apóia!

Rivaldo ― Por que não? O futuro pertence a Deus, sou pernambucano, sou tricolor e já sou presidente de um clube.

A trajetória de Rivaldo

Fonte: Wikipedia

A seção TC News foi atualizada
A seção Cobra Venenosa foi atualizada
A seção Tricolor da Porra! foi atualizada

26 Comentários

  1. Geraldo Mesquita
    1

    Dimas você merece uma bola de ouro. Parabéns pela iniciativa, e pela entrevista muito bem conduzida. Um grande banho na nossa imprensa esportiva repleta de sensacionalistas e/ou mal intencionados.

  2. Paulo Aguiar
    2

    Rivaldo é o maior representante público da história do Santa Cruz. Sem dúvida, o número 1. E, vai demorar para vir outro.

    Quem visitar o Camp Nou com a camisa do Santa, pode ter certeza que lá terão funcionários que conhecem o Santa Cruz.

    Depois de tudo que passou, não guardar mágoas do Santa, mostra que temos algo em comum com Rivaldo: o amor ao Santa Cruz.

    Hoje, Rivaldo está mais para presidente de clube de futebol do que para ‘torcedor’ do Santa. O que, para mim, pode ser até melhor.

    Saúde e mais sucesso a Rivaldo.

    E, claro, parabéns ao TC pela ótima entrevista!

  3. Rivaldo para presidente do Santinha!

  4. O maior jogador já produzido pelo futebol pernambucano.

    Uma pena que não tenha uma passagem mais longa, uma história no futebol profissional do Santa, tal qual Ramon, Luciano e outros craques do passado.

    Mais um desperdício a ser creditado aos dirigentes que desgovernaram o Santa a partir do final dos anos oitenta.

    Ele é uma amostra de como ser um homem correto e jogador de seleção sem, no entanto, ser carneirinho, marqueteiro ou puxa-saco, como muitos que fazem parte da igrejinha de Dunga.

    Rivaldo presidente? Sonhar não paga imposto. Então, sonhemos.

  5. Arnildo Ananias de Oliveira
    5

    RIVALDO É UMA MINA DE OURO PRO NOSSO SCFC TOTALMENTE INEXPLORADA.

    SAUDASANTA.

  6. para presidente do santa cruz Arnildo Ananias.

  7. Arnildo Ananias de Oliveira
    7

    PUTZ,

    Não se acha uma única linha sobre a reunião de hj do c13, nem mesmo no zero hora do RS, Terra do Koff.

    E os caras vão continuar resolvendo tudo na calada da noite, como melhor lhes aprouver.

    Ou seria esse “silêncio ensurdecedor” uma grande estrategia até por parte de nossa Direção?

    De repente, pode ser até que eu é que seja o “bobo da corte”. Faço votos pra isto.

    SAUDASANTA

  8. Em tempo: gol de placa do TC.

  9. Hélio Mattos
    9

    Rivaldo com sua honradez, sua simplicidade elegante, seu conhecimento técnico advindo de toda uma enorme carreira de vencedor, vindo dia desses para ser presidente do Santinha?

    É Ducaldo, sonhar não paga imposto então vamo nessa!

  10. Rivaldo já está milionário, deveria deixar de comandar esse clube sem futuro do eixo sul-sudeste e vir fazer parte da direção do SANTA CRUZ FC. Ele poderia muito bem substituir FBC na presidencia na próxima eleição, competência ele tem para isso.

    O NORDETE É O MEU PAÍS!!!

    MINHA COPA É O NORDESTÃO!!!!

    E O SANTA CRUZ A MINHA SELEÇÃO!!!!!

  11. Show de bola!

    Excelente a entrevista com Rivaldo.
    Parabens ao Blog.

    Para Rivaldo toda felicidade do mundo, Que Deus continui
    a lhe proteger. Um exemplo de cidadão.
    Parabens.

    Saudações tricolores santacruzenses.

  12. queria rivaldo no PERNAMBUCANO 2011, a imprensa e o povo do
    xicó ia ficar maluco, quanto a entrevista excelente e bem paltada.

  13. Walter Fortal
    13

    Parabens! VIVA O SANTA!

  14. Bosquímano
    14

    Diminhas,

    Prêmio Esso para você.

    Rivaldo para presidente do Santinha!

  15. Rivaldo destacou no Twitter dele a entrevista que concedeu ao Torcedor Coral e colocou um link do blog lá.

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  16. André Tricolor Virtual
    16

    Grande entrevista!

    Muito merecido a homenagem … Enquanto alguns jogadores além de bons, são destaques em ‘bizarrices’, o caro “Rivaldo” tem se mantido EDUCADO, HUMILDE E LONGE DE BADALAÇÕES E ENCRENCAS!

    Parabéns Rivaldo, Parabéns Dimas !!!

    >>> VIVA SANTINHA !!!!

  17. Weiny Cabral
    17

    parabéns pela entrevista!!!

    e a Rivaldo todo sucesso e esperamos vc na presidencia do SANTA.

  18. Adiada reforma no estatuto do Clube dos 13

    Por ora, segue inalterado o estatuto do Clube dos 13. Em assembleia ocorrida na última segunda-feira, ficou decidido que um novo encontro vai ser convocado em 60 dias. A alegação para o adiamento foi a falta de trempo hábil para que os clubes amadureçam as propostas.

    Dentre os temas mais delicados da pauta estão a limitação de mandatos na presidência da entidade e a absorção de 20 novos sócios.

    Em 12 de abril deste ano, o gaúcho Fábio Koff foi reeleito para seu sétimo mandato no Clube dos 13.

    – A Suzy quer analisar as propostas e apresentar suas emendas – analisou **** ******, presidente da Suzy.

    fonte espbr.com

    ————————

    Claro, a coisa vai tentar barrar a entrada de outros o quanto puder, se não puder vai tentar adiar ao máximo. Aposto que esse adiamento de 60 dias foi proposta da boneca.

  19. Concordo. Prêmio Esso para Dimas.

  20. A barbie caiu de quatro.
    Choro e ranger de dentes na casa de bonecas.

  21. Julio Vila Nova
    21

    Dimas, parabéns pela entrevista! Golaço!
    Sobre Rivaldo: é incrível a humldade, a sensatez, a tranquilidade do camarada que é simplesmente o melhor do mundo!
    Ducaldo está certo. Rivaldo é uma prova, dentre inúmeras outras, da avacalhação que fizeram no Santa Cruz nos últimos 20 anos. Fico pensando quantos outros bons jogadores (talvez nenhum tão bom quanto Rivaldo) já perdemos pela falta de estrutura, pelas gestões criminosas, enfim. Espero viver para ver o clube noutra situação,e falar disso como um passado distante…

  22. Goleiro
    Juninho revela agressão de presidente do Santa Cruz em jogador
    POSTADO ÀS 23:29 EM 01 DE Junho DE 2010

    Ao final da partida Sport 1×0 Paraná, o goleiro Juninho, que já vestiu a camisa do Santa Cruz, em 2006, foi questionado sobre sua passagem pelo clube coral.

    Um dos repórteres perguntou sobre o motivo que o levou a ser demitido do Santa Cruz. Juninho, no entanto, disse que não foi demitido, mas que pediu para sair. E apresentou o motivo:

    “A gente estava bem na Série A, mas o Santa Cruz tinha um presidente maluco, que agrediu um atleta da equipe, nos vestiários. Como eu era atleta do Cruzeiro e estava emprestado ao Santa Cruz, pedi para ir embora”, contou.

    Na época, o Santa Cruz era presidido por Romerito Jatobá. E o atleta agredido foi Váldson.

  23. Almir,

    A declaração de Juninho está devidamente lançada na seção Cobra Venenosa.

    Saudações corais,

    Dimas Lins

  24. Fale quem quiser, do Rivaldo; tenho uma admiração muito pessoal por ele, principalmente por seu caráter e seu jeito simples de ser.

    Rivaldo é um exemplo de cidadão militante, atleta, profissional do esporte e como ser humano.

  25. GENTE, GENTE!

    AINDA ESTÃO SE ILUDINDO COM A GANG DOS 13?
    TÔ FORA DESSA CONVERSAQ.

  26. Só não entendi a declaração do Juninho que estávamos bem na série A de 2006. Acho que o máximo que conseguimos naquele ano foi ficar umas três ou quatro rodadas fora da zona de rebaixamento.

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *