Entre o silêncio e a voz ativa

A decisão da Copa do Brasil, na última quarta-feira, ainda que não pareça, deixou a cidade abatida, sem viço e sem alegria. E esse sentimento veio, infelizmente, do lado de cá. Do nosso lado.

Para muitos de nós, o sentimento surgido após esta decisão lembra, ainda que de longe, uma dor similar àquela sentida nos consecutivos rebaixamentos para as séries B e C nos últimos dois anos. Mas como explicar esse sentimento ruim, se o título não diz respeito ao nosso clube?

A questão é que o título conquistado na semana passada fortaleceu um de nossos oponentes, daí a sensação de abatimento. Creiam-me, é ainda mais difícil reconhecer-se tão por baixo quando nossos adversários estão por cima. Enquanto um acaba de assegurar vaga na Libertadores do próximo ano e o outro faz uma boa campanha na Série A, nós convivemos, mais uma vez, com o medo de um novo rebaixamento.

A distância que atualmente há entre nossos adversários e nós se apresenta como uma fratura exposta, que escancara a nossa nova condição. Tornamo-nos pequenos no cenário nacional e medianos em nosso próprio Estado. Mais ainda. Não há nenhum sinal, no céu ou na terra, que indique uma mudança de rumo. A tendência – que fique claro, tendências podem ser revertidas – é que essa distância aumente ainda mais, pois, por tudo o que vivemos na atual gestão, nosso medo da Série D não é infundado.

Mas nosso maior problema está em outra questão. Nos últimos anos, a torcida tricolor se habituou à humilhação pública. A tristeza solitária contida no peito de cada um de nós, ao que parece, estancou o sangue que corre em nossas veias e nos transformou em seres resignados. Nem de longe parecemos herdeiros da tradição revolucionária pernambucana. Em nada lembramos os antepassados que construíram uma nova Roma de bravos guerreiros e fizeram desta terra imortal, imortal.

Estamos vivendo o período mais tenebroso de nossa história e, ao invés de botarmos a boca no trombone e de maneira contundente exigir mudanças, melancolicamente nos resignamos. Tanto assim que menos de 200 votantes compareceram à Assembléia Geral Extraordinária convocada para decidir sobre o afastamento do presidente. Descrença no processo? Talvez. Mas esta não parece ser a única razão e nem mesmo a mais importante. Para mim, a resposta está no conformismo. Se não é assim, onde estão, por exemplo, os protestos, as passeatas e as pressões políticas da torcida tricolor contra a pior gestão da história do clube? Por qual motivo assistimos calados à destruição de um clube de quase cem anos? Nossa passividade é assombrosa e contribui decisivamente para o enfraquecimento do Santa Cruz, pois não haverá mudanças, se não lutarmos por mudanças. Nada vem de graça.

Não há mais razão para tanta quietude. Não encontro no silêncio da torcida o caminho para a nossa reconstrução moral. Não encontro no silêncio o caminho para a reconstrução financeira, patrimonial e administrativa do Santa Cruz. Não encontro no silêncio resposta à formação de um verdadeiro time de futebol, capaz de recuperar o prestígio perdido a partir do início da década de 80. O silêncio é a aceitação tácita do conformismo. Nada mais. É preciso ter voz ativa e buscar a transformação do clube. É preciso acreditar que podemos, de fato, transformar o sectarismo que reina no Santa Cruz numa verdadeira democracia de tricolores, para tricolores e por tricolores.

Nossa luta não é apenas pelas vitórias dentro do campo. Nossa luta, mais do que nunca, é também pela vigilância efetiva dos gestores do clube. É preciso compreender o estado de coisas que estão destruindo o Santa Cruz. Nosso campo de batalha mudou e nossos maiores adversários não estão lá fora, mas dentro de casa. Nossa batalha é política e a nossa luta é contra gente de nossa gente, de sangue vermelho, branco e preto. Somos nós, e apenas nós torcedores, os únicos capazes de transformar o Santa Cruz. Mas, como disse antes, não haverá mudanças sem a vontade de mudar, nem a disposição para lutar. Nossa luta, amigos tricolores, é, em primeiro lugar, contra o fim da nossa existência e, depois, pelo direito a um novo começo. Um recomeço mais promissor, assim espero.

E onde está a chave para as mudanças de que precisamos? A resposta é simples: ela está no campo político. Por isso, mais do que nunca, é necessário se concentrar nas próximas eleições. Que comecem imediatamente as articulações políticas e que se discutam publicamente os caminhos para a retomada do crescimento do Santa Cruz.

A lição aprendida na última eleição é muito valiosa para a próxima.

Proponho a união em torno do clube. Não aquela união medíocre e desesperada entre todas as correntes e forças políticas. Além de hipócrita, ela também é nociva, pois, no curto prazo, esta união até poderá trazer algum benefício, mas certamente nos afastará por muito mais tempo dos caminhos que levam às verdadeiras mudanças. Além do mais, uma aliança desse porte indubitavelmente se baseará em concessões pessoais que manterão o Santa Cruz no fundo do poço. Essas concessões não podem e não devem ser mais aceitas pela torcida coral.

Fazer política não é se juntar com qualquer um. Não se mistura água e óleo, nem o sol pode viver perto da lua. O que proponho é a união de iguais ou, ao menos, de pensamentos semelhantes. Que se juntem do mesmo lado todos aqueles que querem modernizar o Santa Cruz e que rejeitam as práticas arcaicas entranhadas em cada sala do nosso clube. Que se expurguem dessa aliança os atrasados de pensamento, os predadores e todos aqueles que mantêm seus interesses pessoais acima do Santa Cruz. O futebol mudou e, para sobrevivermos, também precisamos mudar.

Também é necessário politizar nossa torcida e envolvê-la nas discussões relevantes. Vamos debater a política do clube entre nós. Deixemos de lado a politicagem miúda de alguns para dar lugar a um debate sério. Se quisermos mudar alguma coisa, é preciso que cada torcedor desça do muro e tome um partido. O melhor partido. E só a percepção dos nossos erros no passado e o debate político no presente serão capazes de mostrar quem é quem no jogo eleitoral.

Vamos discutir as eleições desde já. Vamos dizer, como sócios e torcedores, o que esperamos dos candidatos. Façamos um manifesto com todas as mudanças que consideramos indispensáveis. Que os candidatos mostrem a cara e se comprometam, de papel lavrado em cartório, com a torcida coral.

Estamos com os brios feridos. E, se é assim, usemos então este sentimento em nosso favor. Deixemos de lado a passividade, pois, mais do que nunca, chegou a hora de nossa torcida ter voz ativa. Afinal, queremos ou não o nosso clube de volta?

18 Comentários

  1. Joãozinho
    1

    Al combate corred Bayameses,
    que la patria os contempla orgullosa;
    no temáis una muerte gloriosa,
    que morir por la patria es vivir!

    ¡

  2. Roberto Gomes
    2

    Por falar em articulação política, Fred Arruda já disse inúmeras vezes por razões profissionais que não será presidente do executivo e colocou-se a disposição para presidente do conselho, eu pergunto, dentro da oposição ou do seu grupo que pensa como ele, qual o nome que aglutina, tem capacidade e força dentro da torcida para ser canditato e vencedor nas próximas eleições? È bom começar a pensar sobre isso, fazer articulações, escolher e lançar esse nome na rua, porque Fred Arruda tá na boca do sócio eleitor que confia nele, mas como ele já disse não é canditato. E aí ? Sei que o momento não é ideal pelo início da disputa da serie C, mas será que temos esse nome dentro do quadro atual da oposição ? Devido ao movimento passado de destituição de edinho, só se ouviu falar em Fred, Fernando Veloso e Silvio, desses Fred tá fora, resta Fernando e Silvio, esses são nomes fortes para ganhar a disputa da presidencia ? È Preciso ter representatividade, credibilidade e visibilidade dentro da torcida, Fred é o carro chefe, ele fora, o restante da oposição passa para a torcida estar desarticulada pricipalmente depois como a forma do movimento pela destituição de edinho iniciou e terminou. Como a chapa será formada dentro desse universo, onde só se conhece 3 pessoas. Procura-se um presidente !
    Saudações Corais.

  3. Anderson Seabra
    3

    Antes de qualquer coisa é bom que seja publicada a lista de sócios aptos a votar. A sua retenção por Edinho cheira-me a golpe, espero que 2004 não aconteça novamente se não
    *1914/ +2009

  4. bosquímano
    4

    Como diriam os portugueses: às armas! às armas!

  5. O novo é o novo mesmo, Fernando Veloso está longe de ser o novo. Não acredito que possamos fazer algo, juntando o que não se junta como diz o texto.

  6. Dada a situação, considerando o perigo de rebaixamento, já que o trabalho no departamento de futebol continua muito ruim, a política não pode esperar até as eleições. Uma primeira tarefa da oposição seria pedir urgentemente, inclusive via justiça, a lista de sócios — enquanto isso, a oposição não pode parar: além da articulação política, da formação de chapa, da formulação de uma carta-programa, acessível e aberta à discussão a todo mundo, acho fundamental a pressão constante exercida contra o diminutivo — não vejo por que isso atrapalharia a campanha na série C.

    Inclusive, estou cada vez mais simpático em debater uma proposta mais radical, depois do exemplo do Bahia: a habitação pacífica (não é ocupação, pois o clube, afinal, é nosso) do Arruda, nem que seja por 24 horas. Tal feito dependeria da iniciativa de jovens tricolores, juntamente com a Inferno Coral, pois os quarentões passaram da idade para atos desse naipe (isso não impede o apoio, claro — hehe…).

    Queria a opinião dos blogueiros…

  7. Sinceramente, não acho, pelo menos por enquanto, fundamental encontrar agora uma cabeça de chapa para as eleições. Priorizaria o programa e as alianças — nomes, quero saber dos nomes que comporão a chapa. A cabeça de chapa seria resultado de todo o processo de formação do programa e da chapa. Três ou dois meses antes da eleição, teríamos o nosso candidato a presidente, comprometido com uma aliança política e um programa. Como não temos tantos sócios que poderão votar, será uma campanha na qual o contato pessoal e a propaganda via blog (estamos bem, nesse quesito) serão fundamentais. Com a lista de sócios, podemos entrar em contato com muitos, se não a maioria, incorporando-os à discussão. Acho isso factivel.

  8. André Tricolor Virtual
    8

    Pois é “Dimas”, enquanto nos aborrecemos com ‘edinho’, o que tanto nos preocupa também é a ‘passividade’ de nosso torcida. Se ‘edinho’ e ‘os fantasmas’ do Arruda deveriam mudar a MENTALIDADE, o que dizer de nossa torcida ‘conformista’?!

    “Artur” e “Roberto” colocaram opiniões que certamente devem ser discutidas conosco, é necessário que nomes já sejam colocados em pauta, uma chapa já seja evidenciada pela grande parte da torcida “apta” a votar, que pessoas sérias e comprometidas a comandar o clube possam desde já transmitir suas propostas e se integrar junto aos torcedores ‘sedentos’ por mudanças.

    Sobre a conquista da ‘coisa’ (merecida), confesso que o sentimento foi de ‘lição’ e que podemos ‘sonhar’ com dias melhores e grandes conquistas também. Para se ter uma idéia da conquista de nosso rival, vai aí alguns dados:

    * Novos investimentos com interesse de grandes Patrocinadores, inclusive MULTINACIONAIS
    * Aumento de sua ‘já grande’ torcida
    * Prestígio nacional
    * Receita da Copa do Brasil: R$ 4,435.234
    * Cotas da Libertadores 2009 Estimada: R$5,000,000
    *Sócios em dia: 9 mil
    *Receita Clube dos 13: R$12,5 Milhões que no próximo ano pode ter um acréscimo

    (?) Será que SOMOS CAPAZES de competir com IGUALDADE ????

    (!) Futebol também é ALMA, e temos que unir forças para RECONSTRUIR nosso CLUBE ‘MAIS QUERIDO’, e jamais devemos desistir, pois “UMA GRANDE VIAGEM COMEÇA COM UM SIMPLES PASSO”

    >>> VIVA SANTINHA
    Abraços a todos!

  9. Joãozinho
    9

    todo mundo diz assim: amorzinho deixa eu botar na tua bundinha. me dá um beijinho. dá uma chupadinha, vai.

    EU ACHO LINDO SANTINHA. SANTINHA EU TE AMO.

    beijos pra todos vocês.

  10. bosquímano
    10

    Roberto, o momento é de pensar e debater propostas. O cabeça de chapa é uma questao importante, mas nao é a questao fundamental. Nao necessitamos, como andaram comentanto acho que no blog do santinha, de um guia.
    Artur tem razao no seu segundo comentário. O cabeça de chapa sairá naturalmente do processo de discussao das propostas. Aliás, acho que é possível que se convoque uma boa quantidade de sócios para participar desse processo.

    Quanto a habitaçao pacífica do clube, estou completamente de acordo. Aliás, bem que os próximos textos tando daqui, quanto do BS, veículos da nossa opiniao pública, poderiam abordar esse tema.

  11. J. Antonio
    11

    Será que os provavéis candidatos estejam aguardando a definição de uma das três opções se sobe para série B
    se continua na C ou caia para a D?.
    André concordo com sua análise temos que fazer uma mudança radical não só no clube como também no pensamento da torcida nosso pensamento só vai até as fronteiras de Pernambuco tanto é que José Neves Romerito Edinho sabem que qualquer campeonato Pernambucano que conquistar a torcida comemora como se fosse um titulo mundial em Tóquio não foi a toa que o enviado do inferno falou que com 3 vitórias a torcida esquecia todos os desmandos de sua administração.
    Precisamos pensar grande além das fronteiras pernambucanas temos que colocar pessoas com pensamento renovador moderno com compromissos com o clube que faça um departamento de marketing muito forte porque sem esse departamento nenhum clube sobrevive.

    Um abraço a todos os torcedores do nosso Santa Cruz

  12. Tenho uma opinião mais radical e mais triste: a nossa torcida sempre foi passiva. Nunca se colcocou como portadora dos destinos do clube, sempre serviu como massa de manobra: serve na hora da rifa, da compra de brindes, para encher estádio…. Mas não pode dar um pio sobre a direção do clube.
    O grande erro desse processo dedestituição não foi sua impossibilidade, sua inviabilidade já dada de começo; mas foi seu estancar. Existe uma opinião formada sobre o mal que faz a permanência dessa gestão, as ações deveriam se pautar incessantemente por sua derrubada, até o dia que o processo fosse vitorioso, ou até o dia da eleição. Não poderia haver trégua.
    O que Anderson aludiu acima já venho falando a algum tempo: temos de exigir a lista de sócios imediatamente!
    É isso.

  13. Grande Dimas,

    Algo que tenho como imprescindível e ainda não tive tempo de fazer uma minuta inicial seria CARTA DE INTENÇÕES a ser assinada por cada chapa candidata em dezembro.

    Nada de se comprometer a trazer jogadores bons, melhorar estrutura, etc, nada disso. Promessas muito pesadas não adiantam; tem de ser compromisso factível.

    É assinar compromisso REAL, de muita importância e que não pode ficar só na palavra.

    Vou tentar escrever algo agora no São João, mas era bom que você também pensasse em algo como:

    A CHAPA ELEITA terá de:

    – Tornar as reuniões do Conselho mensais novamente
    – Alterar o Estatuto para incluir formas de convocação do Conselho mais práticas do que as existentes
    – Viabilizar a volta dos sócios ao clube, como no caso da Quinta-Santa, ainda que o custo disso (óleo diesel, por exemplo, seja de responsabilidade dos sócios).

    Enfim uma série de pequenos atos que foram deliberadamente desprezados e que não podem volta a sê-lo com a próxima gestão.

    Que tal?

    O Santa Cruz é minha pátria.

  14. Peçonha,

    Hoje, em contato com Inácio, fechamos uma boa discussão para lançar dois manisfestos. O primeiro será publicado amanhã, tanto pelo Blog do Santinha, quanto pelo Torcedor Coral. O segundo será em cima do que proponho no texto, que conterá as mudanças que consideramos imprescindíveis para o Santa Cruz. Este manisfesto seria produzido também em conjunto entre o Torcedor Coral e Blog do Santinha.

    Fiz a proposta do manisfesto e Inácio propôs sua divulgação para depois do São João. Possivelmente será assim, mas o mais importante é levantarmos as questões relevantes para o Santa Cruz, que não podem mais esperar. Não teríamos, dessa forma, nenhuma ligação com nomes, mas com aqueles que assinassem um termo de compromisso com nossa torcida. Esse termo, como disse, seria registrado em cartório, para formalizar o compromisso.

    Saudações corais,

    Dimas

  15. Elvimario Araujo junior
    15

    Acompanho diariamente o Blog do Santinha e do Torcedor Coral, sempre defendi que fizessemos um movimento de protesto contra a atual direcao do Santa Cruz, protesto este que deveria ter a participacao efetiva da torcida do Santa. Nao podemos ficar de bracos cruzados olhando um cara que nem tricolor e, tomando atitudes que sao uma afronta a torcida e a historia do clube. Discordo que um protesto agora atrapalharia a preparacao do time para a Serie C que se aproxima, deveria ser feito um trabalho conclamando toda a torcida a participar, temos forca para aglutinarmos um numero infinitamente superior aos trezentos ou quatrocentos tricolores presentes na assembleia extraordinaria. Edinho nao tem moral, competencia, carater, para continuar presidindo o Santa Cruz, alias, nunca teve. Nao temos que aceitar um dirigente mediocre, prepotente, retrogrado, ironico, no comando do clube que amamos. Se Edinho continuar na presidencia ate o inicio da Serie C, provavelmente em um primeiro tropeco do clube em casa, teremos uma revolta da torcida com consequencias imprevisiveis. Ainda e tempo de fazermos um grande protesto exigindo a renuncia de Edinho do cargo, e mesmo que nao tivessemos exito, teriamos feito a nossa parte. Abracos santacruzense.

  16. Roberto Gomes
    16

    Companheiro Bosquímano, quando eu falo que ja é hora de se procurar um cabeça de chapa para presidente do Santinha, lógico que essa pessoa tem que estar compromissada com todos aqueles ideais, mas eu acho que não basta esta pessoa assinar somente um têrmo de compromisso ou estar engajada no movimento de renascimento do clube, é preciso que essa pessoa também tenha representatividade, posição, credibilidade e passe confiança, não pode ser qualquer um que tenha somente boa vontade e ideias, é preciso também um plus a mais que o cargo exige. È porisso que eu falo em representatividade, que exprima não só honestidade mas posição, respeito, liderança, capacidade de aglutinamento de forças, credibilidade na praça, tá me entendendo ? Veja o exemplo do atual presidente, muita conversa, fama de vencedor, mas nos leva ao ridiculo e esquece que ele representa uma Nação de milhões de torcedores do clube mais querido de Pe., não tem condições cadastrais para entrar num Banco, vive pedindo dinheiro a um e a outro. Porisso minha preocupação, quando olho para o universo dos que fazem a oposição para dali formar uma chapa, é preciso também ter essas qualidades para sentar naquela cadeira, pois o clube vai precisar muito dessa representatividade no momento dificil que vive.
    Saudações Corais.

  17. Bosquímano
    17

    Roberto, O que eu disse nao é incompatível com o que vc disse agora. A nossa discordÂncia está na questao do nome para a cabeça de chapa. no comentário anterior,vc perguntou:

    “eu pergunto, dentro da oposição ou do seu grupo que pensa como ele, qual o nome que aglutina, tem capacidade e força dentro da torcida para ser canditato e vencedor nas próximas eleições? ”

    O que eu argumento é que decidir quem seria esse nome nao é o fundamental neste momento. O fundamental para mim, é discutir propostas, construir um um programa para o Santinha. O nome que encabeçará a chapa, sairá naturalmente desse processo. Essa preocupaçao (exagerada ao meu ver) foi o que possibilitou que o diminutuvo fosse o cabeça de chapa anopassado.

    Outra questao foi a abordada por artur. Pelo visto, nao heverá muita gente apta a votar, o que poderá facilitar o processo eleitoral. Ou seja, essa preocupaçao em encontrar alguém que possa “nos guiar” perde um pouco de força no atual contexto.

  18. Rapaz, é um absurdo sem tamanho esse cara nao divulgar a lista de socios aptos pra votar no fim do ano.
    Que absurdo, que cara mal-carater. Se por acaso o Santinha suba para a 2º divisao(Deus queira) é capaz de que gente da corja de Edson Nogueira queira assumir o clube ( $$ ).
    E quem vai impedir os nossos antigos conhecidos do “querido” Romerito voltarem à tona? (Sócios Fantasmas)

    Tem que haver mobilizaçao pra que PELO MENOS saia essa lista.

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *