De tudo, um pouco do nada

o_vazio

Circunstâncias não me foram favoráveis desde o início.

Escalada para escrever a resenha pós jogo, Santa Cruz 1 X Payssandu 2, tive que ficar de castigo até o final da partida, testemunhando a queda do gigante. Afinal, cronista que se preza não foge da raia, oops!, da panela de concreto do estádio. Foi um dia torto. Ao assistir à partida eu me debatia entre vestir a roupagem de torcedora ou utilizar o olhar de analista da Psicologia. Uma dúvida tão cruel quanto o comportamento dos que oscilam entre a euforia e a depressão. A responsabilidade que Artur Perrusi colocou nos meus ombros, dizendo que por razões místicas o Santa Cruz venceria, já que não sei escrever sobre coisas ruins, fez a energia estabanada interferir no cosmo.

Lucas (meu neto, 2 anos), chegou ao Arruda com os pais e com febre, depois dos fogos (seu eterno deslumbramento); logo na hora do gol do adversário. Todavia, atento aos acontecimentos das cercanias, imaginava que os terríveis palavrões proferidos naquele recinto seriam manifestação de alegria e tratava de bater palmas. Na ocasião, ele aprendeu a pronunciar com todas as letras o clássico FDP, fazendo com que seu pai, erroneamente, e sob os olhos arregalados da mãe da criança, risse à beça, às escondidas. Sugeri sair da localidade, pois um rapaz bem magrinho e baixinho que estava atrás de nós tinha uma voz tão poderosa que mais parecia um trovão, porém, só gritava impropérios. A sugestão não foi aceita.

Então, passei a registrar as frases de torcedores que mais se destacaram aos meus ouvidos:

“Vitor, desgraça, vai driblar tua mãe!”;

“Tiago, miserável, se tu não sabe sair do gol fica lá dentro!”;

“Grafite, burro, sai do impedimento!”;

“Lucio, infeliz, tu não acerta uma!”;

“ A gente gasta uma fortuna por mês pra chegar aqui e ver uma m… dessa!”;

“Quando a gente consegue um presidente comandante de guerra tem um time ruim deste para estragar!”;

“P…, C…, VTNC!”;

“Botou o Santa na roda!”;

“Juiz, ladrão, expulsa esse goleiro!”;

“Aquino, peste, VTNC!”. Etc. etc. etc.

Segundo tempo

Veio o pênalti e Grafite não perdeu, felizmente. Todavia, o Payssandu sabia tudo de Santa Cruz e de sua imensa torcida e, assim, voltou a dominar as ações, fazendo o segundo gol. Mérito, em parte, de Dado Cavalcanti, um estudioso estrategista do futebol. Apesar das boas características do seu fazer profissional, uma coisa maculou sua vitória: a ordem para seus jogadores caírem em campo, sob o olhar complacente, melhor dizendo, olhar cúmplice do árbitro, que, segundo informações colhidas, seria paraense. O antijogo ganhando vida, mais uma vez, dentro do Arruda, nas nossas ventas.

Betinho, foi o nosso carrasco. Olha que ironia, logo ele que errava 500 bolas para acertar uma. Como rezava o burburinho na arquibancada, muitos haviam prometido ir embora caso Betinho fizessem um gol e assim aconteceu. Na opinião de muitos, uma vergonha. A debandada foi geral e a insegurança da torcida quanto à capacidade da equipe parece ter se consolidado. Lastimável.

Para mim, do jogo, deveríamos tirar várias lições, dentre elas:

A maioria dos árbitros que atua nos jogos do “Mais Querido”, de fato, está predisposta a penitenciar o Santa Cruz, adotando critérios diferentes daqueles que ditam as regras do futebol, bem como, dos juízos críticos que utilizam para punir as equipes adversárias. É nítida a vontade de se contrapor aos apaixonados torcedores corais; é como se uma inveja doentia os corroesse por dentro, provavelmente, por imaginarem que nunca serão amados com tamanha intensidade, como o é o time das multidões.

Por outro lado, entende-se que uma equipe de futebol precisa ser um time e não um conglomerado de jogadores, pois quando o atleta de destaque está bem marcado os demais devem resolver a parada. O que vemos no Santa Cruz é o apagão nos atacantes, que só se preocupam em dar a bola para Grafite. Alôô! O objetivo é o Santinha e não a estrela. Vejam o Payssandu, marcaram Pikachu, contudo, os demais resolveram o placar. Jogaram, portanto, para o time e não para um jogador.

Equipe boa é aquela em que os atletas do banco chegam a ser melhores do que os supostos titulares e, além disso, os reservas tem consciência de que agarrar as oportunidades com unhas e dentes vai credenciá-los a assumir qualquer espaço aberto, no decorrer do campeonato. Não vemos isto na equipe coral; os jogadores reservas parecem desprestigiados com a chegada de mais e mais contratados que, até agora, não estão resolvendo a necessidade crucial de time do povo, que é entrar em sintonia com a torcida e obter os resultados que alçariam o mais querido ao lugar de onde nunca deveria ter saído.

Acho que dessa frase Marcelo Martellote se lembra bem, pois ele fez parte da equipe mais desprestigiada e mais aguerrida que o Santa Cruz já teve: o time de 1999, que o levou de volta à divisão de elite do futebol nacional, apesar das limitações, dificuldades e descrédito. Naquele ano, este foi o lema que encontramos para traduzir a missão da equipe, em campo. Vamos construir o mote de 2015? Aceitam-se sugestões.

15 Comentários

  1. Artur Perrusi
    1

    Fui falar, deu azar!
    Diante do indizível, era óbvio que era para ficar calado.

  2. Dado Cavalcanti(Torototó), assim como Oliveira Canindé, mostram o quanto a diretoria do Sta. Cruz é imcompetente ou omissa, Dado só foi para o Ceará no inicio do ano apos o desprezo do tricolor por ele, preferiram o com licença da palavra Ricardinho e Oliveira Canindé foi posto pra fora porque era EFICIENTE. O que vemos hoje no Santa Cruz é um punhado de protegidos sem qualidade futebolistica nenhuma, dos que jogaram contra o Paissandu, livram-se apenas Alemão, Grafite e Tiago Cardoso, o resto se mandar embora não farão valta alguma.

    Dona Santana, parabens pelo artigo, seu sentimento é o nosso, os verdadeiros tricolores, quanto aos outros que continuem a nos invejar.

    • André Tricolor Virtual
      2.1

      Caro Joseildo,

      O Santa no início da temporada fez proposta ao Dado, o mesmo que não quis vir comandar o Mais Querido. Já Canindé foi ‘barrado’ pela calo chamado Sandro Barbosa!

      Nossa história prova que não suportamos um treinador iniciante, temos uma torcida exigente e imediatista! O futebol é resultado!

      Ricardinho era um bom caráter, e pode um dia se transformar em um técnico emergente. No Santa não deu certo!

      MM teve algum resultado conosco, mas, é limitado e dificilmente vai assumir algum clube em uma 1ª Divisão. É um cara de caráter duvidoso e teimoso, insistindo em esquemas errados, achando que pode ‘inventar o futebol’!

    • Abel Braga praticamente iniciou a carreira de treinador no Arruda, sendo inclusive campeão.

  3. André Tricolor Virtual
    3

    Saudações Corais,

    Dona Santana,

    A dor de cutuvelo passa, assim como a mágoa na derrota. Nada melhor que um dia após o outro e mais um jogo em casa para pôr novamente o Santa na disputa do G4.

    O grande dilema é a falta de regularidade, de equilíbrio do time. Isso é bem claro no Santa Cruz, que sofre para vencer em casa e incrivelmente não consegue vencer fora, mesmo jogando com times tecnicamente mais fraco, do que nosso fraco escrete Coral.

    Digo ainda, se MM não ajustar o meio de campo, vamos continuar oscilando e perdendo pontos preciosos que pode nos custar o acesso, mais uma vez! Lamento muito, os laterais que temos e alguns atacantes, que deveriam tá disputando a Série C, e não um torneio tão difícil e equilibrado como essa Série B e muito menos vestindo a camisa do Clube Mais Querido das Multidões!

    Sábado, como de costume, estarei no Colosso do Arruda!

    VIVA SANTINHA !!!

  4. André Tricolor Virtual
    4

    Correção:

    Acho que fui duro quando falei no ‘caráter duvidoso’ do MM, me desculpe ele e aos amigos do Blog! Me expressei mal e na verdade, não concordo com algumas de suas e declarações, principalmente, quando tenta transferir a responsabilidade do insucesso do time que ele treina para a TORCIDA. O cara que não assume suas responsabilidades, deve repensar nas coisas que está realizando!

  5. Não estavamos preparados para enfrenter o segundo colocado. Não temos time para ir a serie “A”.

  6. É, depois dêsse jogo a raiva só aumentou e ainda vem o infeliz
    do MM criticar a torcida coral por ter vaiado alguns jogadores
    que não estavam jogando nada, ele que se cuide, o próximo a ser
    vaiado será ele, pois se analisarmos friamente, veremos que o
    Santa Cruz não tem um esquema tático definido, os laterais são
    ruins, o meio campo inexiste, o ataque apesar da inoperancia do
    meio campo ainda consegue funcionar, mas, aí a zaga entrega a
    rapadura, portanto sr MM o maior culpado de estarmos passando
    por essa raiva desgraçada é VOCÊ!!!

  7. Martha Maria H. da Silva
    7

    O problema é a inconstância da equipe.Vi o jogo pelo sportv.E o sofrimento é grande.O nosso é duplo,em função do Botafogo.Amo aos dois!
    Dá a impressão que os atletas não possuem espirito da vitoria.Se conformam com empates e aceitam as derrotas,como normais,e esquecem com uma rapidez incrivel,do insucesso.O discurso após as partidas comprovam isso.Creio ser uma questão para a psicologia resolver.

    • Alba Maria
      7.1

      Pois é não vejo nos outros times futebol melhor que o Santinha. Tá mais ou menos mesmo nível. Acho que tá faltando algo. Só Santana Moura com sua psicologia pode explicar. Se ela não conseguir ninguém mais consegue.

  8. Vamos golear hoje, 1×0 gol de Daniel Costa, de falta claro, que
    é pra variar!
    Arriba Santa Cruz!!!

  9. Lucas chamando FDP foi resenha kkkkkkkkkkkk

  10. marcelo almeida
    10

    Hoje foi exemplar, enquanto estavamos com o esquema que Martelotte insiste,agora com Diogo Campos e Luizinho e um volante só, foi sofrível com o Luverdense mandando no meio campo…
    Bastou botar Moradei no lugar de Emerson Santos, ô Pedro Castro, ou desculpe, Diogo Campos, e ficamos com 2 volantes, dois meias (Renatinho e Daniel) fizemos umas cinco jogadas seguidas de gols que não entraram por infelicidade…
    Nosso técnico tem que ver isso e optar pelo simples…
    Se pode e foi bem durante 10 a 15 minutos com Renatinho e Daniel, porque não João Paulo e Daniel com dois volantes e dois atacantes????

  11. marcelo almeida
    11

    Nada demais foi escrito anteriormente por mim que não fosse crítico e construtivo… Então o time foi maravilhoso, fantástico, nunca vi jogar tanta bola, simplesmente genial…Agora vai moderação??? ou é censura prévia mesmo???

  12. marcelo almeida
    12

    Sem expressar opiniões: O time pra começar é esse…o resto é variação de esquema ou substituições na mesma posição no decorrer da partida…

    1. Tiago Cardozo 2. Vitor 3. Alemão 4. Neris 6. Allan 5. Wellington 7. Moradei 8 João Paulo 10 Daniel 9 Grafitte 11 Lêle ou Raniel…

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *