Cisco no olho

olho

Tenho medo da solidão. Medo de morrer sozinho ou vagar por aí, como um cão sem dono e amanhecer, dia após dia, jogado numa sarjeta, bêbado feito um gambá, com um vira-lata lambendo a minha boca.

— Não percebe que é impossível a solidão para um tricolor, cara pálida?! — diria eu para o meu personagem.

— Só percebo aquilo que você me permite. Lembre-se, você, como escritor, é quem me faz pensar esse monte de bobagens. Portanto, não me culpe.

— É verdade, mas tento apenas me desapegar das coisas, inclusive da realidade, para que na literatura, ainda que de má qualidade como a minha, tudo se torne possível, até mesmo o impossível. Eu, por exemplo, sou a favor de asas nos seres humanos.

— Zerumanos.

— Como?!

— Artur, o autor que você está plagiando, diz “zerumanos”.

— Acho melhor a gente retomar o texto. Você estava caído na sarjeta com um cachorro lambendo a sua boca…

— Não, não. Não era real. Pensava apenas no medo da solidão, já que, além de tudo, você me tornou um cara extremamente depressivo.

— Tudo bem, tudo bem, segue daí.

Não bastasse essa infinita tristeza, passei boa parte do fim de semana com um cisco no olho. No começo, achei que fosse uma bobagem, uma coisa à toa; mais tarde, a dor intensa e pulsante me obrigaria a mudar a atitude. Já era madrugada do domingo, quando, ainda com uma ressaca imensa, não pude mais ignorar o arranhão na córnea e levantei da cama. Como primeiro recurso, abri um vão entre a pálpebra e o globo ocular na tentativa de deixar escapar o corpúsculo infiltrado em meu olho; depois, gotejei soro fisiológico sobre a superfície irritada para, então, mergulhar o olho castigado em um recipiente com água. Meu olho esquerdo quase morreu afogado, mas o cisco resistiu à correnteza ocular.

— Acho que essa passagem não ficou legal. O texto não é um drama? Então pra quê esse negócio do olho quase morrer afogado? Além do mais, acho imprudente falar em olho esquerdo, para não dar conotação política. Viu o que aconteceu com o Mantega?

— Companheiro, não lembro de ter criado você se metendo onde não é chamado. Esse é um texto sobre futebol, não trato de política aqui! Além do mais, não é exatamente um drama. Lembra do gambá lá em cima? Dã!

— Não trata de política e me chama de companheiro? Rá! Boa essa! Falar em gambá, de onde você tirou que esse mamífero marsupial é chegada a uma bebedeira? E, só pra terminar, onde está o futebol? Pois você já escreveu quase quatrocentas palavras e ainda não falou do Santa Cruz.

— Não tenho que lhe dar satisfações! Faça o seu trabalho que eu faço o meu!

O sol já visitava a minha varanda, quando joguei todas as minhas fichas numa última tentativa. Ocorreu-me que, se eu chorasse, o cisco poderia ser expelido pelas lágrimas. Pensaria em algo muito triste que a secreção límpida, incolor e salgada faria o resto. Pensaria no Santa Cruz. O medo do rebaixamento, o atraso nos pagamentos de salários e o futebol mequetrefe desta temporada certamente seriam mais do que suficiente.

O choro veio fácil. Difícil mesmo foi conter as lágrimas. Pior, a dor aumentou e a sensação incômoda passou também para o olho direito.

— Peraí! E cisco é doença contagiosa que passa de um lado para o outro, é?!

— Não vou mais discutir com você. Vamos em frente.

Dei-me, enfim, por vencido e segui para uma emergência oftalmológica. Já no consultório, a doutora mal me olhou nos olhos, um contrassenso para a sua profissão. Procurei, por isso, diminuir a distância entre médico e paciente e busquei seu nome no crachá.

— Leila, bonito nome!

— Tua mulher sabe que você fica flertando nos hospitais?

— Quem está flertando é você, não eu.

— Renata, eu não tenho nada a ver com isso!

Ela sorriu, apenas por educação e voltou às suas anotações. Senti pena de mim mesmo por mendigar afeição numa emergência hospitalar. Minutos mais tarde, ela me conduziu ao exame e pediu que eu encostasse o queixo no aparelho posicionado à minha frente. Ela observou meus olhos, em seguida, afastou o equipamento e me encarou. Parecia espantada. Tive medo das possibilidades. Olhos mais atentos, ela tornou a observar meus olhos, em seguida levantou-se e me abraçou emocionada. Chorei, choramos…

— Para, para! Que consulta louca da porra é essa?!

— Fique calmo que você já vai ver.

Chorei, choramos. Perderia a vista, fatalmente. Um câncer comeria meus olhos e depois se espalharia por todo o corpo. Assim seria o meu fim: células podres e paralisantes dentro de mim.

— Porra, tem certeza que esse texto tem a ver com o Santa Cruz, velhinho?!

— Não lhe dei essa intimidade. Você está parecendo minha filha. Quer ter um pouquinho de paciência?

Enchi o peito de coragem e perguntei finalmente se ficaria cego. Não, ela respondeu. Morreria, talvez, em decorrência de uma doença rara. Também não, ela disse. Tudo começou a ficar claro, quando ela começou a retirar os grânulos dos meus olhos. Em verdade, não eram ciscos, mas fragmentos da história do Santa Cruz que permanecia presa às minhas retinas. Sorri com algumas coisas, como a volta a Série A em 2005, e chorei com outras. O rebaixamento consecutivo até a Série D, o porão do futebol brasileiro, as dívidas, as gestões incompetentes, a falta de dinheiro, os jogos desta Série B, onde mal se enxerga algo minimamente parecido com futebol.

— Então, a doutora era tricolor também, não era? Porque se fosse rubro-negra ou alvirrubra iria querer tirar onda.

— Está implícito.

— Só não entendo uma coisa: Dor no olho depois da vitória que nos tirou da zona do rebaixamento?

— O jogo, para mim, foi o mais feio da Série B.

— Ah! Mas o que vale é o resultado, meu querido!

— Com você não dá mesmo para conversar.

— Grafite está vindo aí! Não tem ninguém um pouquinho mais otimista nesse blog, não?

22 Comentários

  1. KKK! Muito bom, Dimas, muito bom!

  2. Artur Perrusi
    2

    Hehe…

    Tô moderadamente otimista. Mas continuo encafifado, achando inútil uma possível contratação de Grafite.

    Em relação ao jogo, revendo os melhores momentos (da TV Coral), é fato que o Santinha foi garfado escandalosamente — dois penaltis, no mínimo.

    • Arnildo AnaniasdeOliveira
      2.1

      RAPAZ, ESSE NEGÓCIO DE GRAFITE, SEI Ñ…

      EU ñ faria tamanho investimento. Procuraria uma solução mais ORTODOXA. Sei q é um cara de excelente índole e q reconhece ter sido o Santa Cruz q o tirou da obscuridade e o colocou na vitrine Nacional e, por méritos dele próprio, galgou o Mundo. Mas, …, sei ñ.

      Q OS DEUSES ILUMINEM AS DECISÕES DE NOSSA DIRETORIA E Q SE O GRAFITE REALMENTE VIR, Q FAÇA TODA A DIFERENÇA, PRA GÁUDIO DESSA IMENSA E SOFRIDA TORCIDA.

      SaudaSanta

  3. A vinda de Grafite é uma faca de “dois legumes”. Se ele vir, com certeza com alto salário e em dia pois provavelmente virá patrocinado, a diretoria terá de manter em dia todo o elenco, senão cria uma crise interna. Lembrem do que aconteceu com o santa na época de Iranildo.

  4. Êita texto arretado da porra!
    Acho que esse cisco atinge os 100% dos olhos tricolores.

  5. santana moura
    5

    Dimas, será que a conjuntivite que atacou os olhos de Toy, nestes quinze dias, foi resultante das lágrimas que ele verteu pelo Santa Cruz também?

  6. Texto realmente muito bom, só não concordei com o autor sobre ser esse o jogo mais feio da série B.

    Tivemos, na minha opinião, outros antes nessa série B mais dignos de dor nos olhos, ciscos e conjuntivites…

    Os olhos que sobreviveram a Santa Cruz x ABC naquele aguaceiro no Arruda sobrevive a tudo mais. kkk

    • Luis,

      Santa x ABC foi calo na vista, mas havia a desculpa da água. O de sábado, nem isso. Mesmo assim, há controvérsias. hehehe

      Dimas

  7. Hélio Mattos
    7

    O jogo mais feio na minha opinião foi, contraditoriamente, o de mais gols… Não merecíamos nem ter empatado lá no Ceará apesar de, olha aí a contradição de novo, termos sidos indiscutivelmente garfados.
    É, mas contradições não são novidade no futebol, MUITO MENOS no Santa Cruz Futebol Clube.

    • santana moura
      7.1

      Nisso eu concordo, Hélio. Fomos garfados sempre! Talvez os árbitros pensem que o Santa Cruz não tem ninguém para brigar por ele, por exemplo, enviando os vídeos com os erros crassos dos árbitros, acompanhados de carta de desagravo para a comissão de arbitragem do brasileiro. Pode ser que eles pensem que se errarem muito contra o Santa Cruz vai ocorrer uma mágica e a bolsa deles vai aparecer, ou melhor, a mala preta. No entanto, pode ser que eles não gostem de cheiro de povo e sim de cavalo, cabe aos mágicos e adivinhos descobrirem qual é a verdadeira mensagem.

  8. Eita! danou-se tudo, não sei quem é mais maluco, se Dimas ou
    o personagem gambá dele kkkkk.
    Agora com relação a contratação do Grafite, também fico com pé
    atrás, pois se Santa não por os salários em dia do resto do
    elenco, ele, Grafite, acabará se tornando um elemento desagre-
    gador, o bom dessa contratação é o efeito positivo que ela já
    provoca no marketing do Santa, aqui em SP vários sites destacam
    o retorno dele ao Santa Cruz e consequentemente a série B ganha
    um destaque a mais.
    Como disse o Perrusi, estou moderadamente otimista e estarei em
    Bragança sábado, para ver a terceira vitória tricolor!

  9. Arnildo AnaniasdeOliveira
    9

    INFELIZMENTE, VOLTAMOS AO Z4. FICO FELIZ COM TODA ESSA MOVIMENTAÇÂO DO MARKETING A RESPEITO DA REPATRIAÇÃO DO GRAFITE.

    Entretanto, simultaneamente PREOCUPADÍSSIMO COM A POSSÍVEL “PERDA DO FOCO” PRO IMPORTANTE E DIFICÍLIMO jg do próximo sábado contra o Bragantino, lá em Bragança Paulista. Esse JG pode ser a MEIA-ÁGUA, rumo ao G4 (e ansiada por todos nós), ou, cruzem os dedos, a “recaída” à exposição apocalíptica ao rebaixamento.

    Q OS DEUSES OLHEM POR NÓS.

    SaudaSanta

  10. Roberto Gomes
    10

    ATENÇÃO PESSOAL : Hoje será a apresentação de GRAFITE e uma outra boa novidade é que terá CERVEJA a venda no estádio! Como não é um jogo, os gasoseiros serão liberados para vender uma cervejota. ANOTEM AI, Mundão do Arruda, às 15h30, para recebê-lo, LEVEMOS NOSSAS CRIANÇAS!. Seja muito bem-vindo, Grafite!!!
    Saudações Corais

  11. Artur Perrusi
    11

    Independentemente de Grafite no campo, temos agora marketing no clube. Isso é histórico. Continuando nessa pegada, com nossa torcida, podemos pensar grande.

    Melhorar a camanha de sócios, e estamos feitos.

    O site está muito melhor. Falo por mim: no jogo contra o Sampaio, comprei o ingresso no site, passei minha carteira de sócio na catraca e… funcionou!

    Bem, agora falta o time no campo. Por enquanto, é o elo mais fraco.

  12. Roberto Gomes
    12

    Informacões vindas agora do Arruda dão conta que somente hoje Mil novos sócios foram feitos incluindo na sede e no site, e 6 mil regularizados. O Santa nesse momento tem 11 mil sócios em dia.
    Saudações Corais

  13. Arnildo AnaniasdeOliveira
    13

    UMA VITÓRIA SÁBADO PRÓXIMO, NESSE DIFÍCIL JG LÁ EM BRAGANÇA PAULISTA, SERIA O “MUST”

    nessa nossa caminhada de reencontro aos dias de glórias, pois o Clube seria contaminado por essa euforia sem tamanho, as rendas dos jogos cresceriam substancialmente, a campanha de sócios iria “bombar” e embalaríamos, com toda certeza, rumo ao G4.

    Q OS DEUSES DO FUTEBOL NOS DEEM ESSA MÃO!

    SaudaSanta

  14. Arnildo AnaniasdeOliveira
    14

    OLHEM O CERCO SE FECHANDO: A TRÍADE DO MAL TB ESTÁ SENDO INVESTIGADA (C13, REDE PLIM-PLIM, CBF):

    http://celebridades.uol.com.br/ooops/ultimas-noticias/2015/07/02/pf-investiga-relacoes-entre-cbf-e-globo.htm

    AVE SÉRGIO MORO!

    SaudaSanta

    • santana moura
      14.1

      FBI.

    • Num fala esse nome de Moro por aqui não seu Arnildo. Esse juiz está metendo os “heróis do povo” na cadeia. Há só prá lembrar: Esses “heróis” gostam de tomar uma garrafa de vinho por um precinho pixuleco de 5.000 contos cada.
      Descobri que Fuleco é primo de pixuleco(nome da proprina que o tesoureiro de um certo partido falava quando ia receber a bolada). Num é lindo nosso país!
      Quanto ao Santa Cruz, fuja da caixa econômica federal. É dinheiro roubado dos contribuintes para um bando de times quebrados.

  15. Aline Moura
    15

    Só li hoje esse texto. Ainda bem que a fase ruim está passando, mas ficou maravilhoso. Um conto num blog de futebol!!! Contos mostram a alma e a loucura dela. Rsss

Regras de moderação do Torcedor Coral
O Torcedor Coral não se responsabiliza pelas opiniões de seus leitores, mas se reserva ao direitor de excluir, sem aviso prévio, os comentários que:
1. Façam acusações sem provas;
2. Configurem qualquer tipo de crime, de acordo com as leis do país;
3. Contenham ofensas pessoais a quem quer que seja, mesmo que o ofendido seja reconhecidamente um canalha;
4. Defendam ou enalteçam o LEF, pois nós somos liberais, mas nem tanto assim;
5. Utilizem e-mails falsos ou inexistentes;
6. Tenham características de chat ou bate-papo;
7. Copiem textos publicados em outros espaços virtuais, ao invés de publicarem os links das matérias originais.
8. Publiquem sistematicamente os mesmos comentários, repetições de ideias ou opiniões;
9. Publiquem comentários com prevalência em caixa alta, que é o mesmo que gritar na internet;
10. Manifestem intolerância à liberdade de opinião;
11. Tenham características de perseguição a outros leitores;
12. Manifestem, implícita ou explicitamente, mensagens eleitorais, tanto de candidatos a cargos no clube, quanto de partidos políticos;
13. Contenham mensagens abusivas, desagradáveis, ostensivas, cansativas e que não se utilizem de bom senso.

Algumas palavras estão programadas para cair automaticamente na moderação de modo a facilitar o cumprimento das regras. Assim, seu comentário será liberado o mais rápido possível, se for constatado que não houve violação.

O sistema anti-spam do Torcedor Coral, utilizado para evitar malwares ou vírus, ocasionalmente poderá reter indevidamente um comentário legítimo. Também poderão ser retidos indevidamente os comentários que contenham dois ou mais links, pois são através deles que ocorrem ataques ao blog. Tão logo esses casos sejam identificados, os comentários serão liberados.

Lembre-se, o trabalho no Torcedor Coral é realizado de forma voluntária por cada um dos editores, cronistas, moderadores e colaboradores, já que todos atuam profissionalmente em outras áreas. Dessa forma, tenha paciência, caso seu comentário não seja liberado imediatamente.

Para comentar regularmente, o autor deve ter um comentário aprovado anteriormente no Torcedor Coral.

Os casos omissos serão definidos pelos editores do blog.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *