Jogar pedra não é preciso

Jogar pedra não é preciso

Sem o calor da paixão clubística e sem a necessidade de jogar pedras, mas querendo contribuir, é importante discutir a situação do Santa que nunca foi fácil e piorou quando entrou no famigerado grupo de decesso.

Leia Mais

Futebol, Santa Cruz e Violência

Futebol, Santa Cruz e Violência

Diz o analista Carlos Brygton (1982): "Para muitos, o futebol e o carnaval são dois grandes exemplos de alienação social no Brasil. Isso me parece uma visão superficial da cultura brasileira, e até mesmo do que seja Cultura". E explica: "Um fenômeno só faz vibrar a alma individual e cultural de um povo na medida em que contém símbolos que expressem e alimentem a vida psíquica desse povo". (BRYGTON, 1982).

Leia Mais

Constelação brilha mais do que Estrela

Constelação brilha mais do que Estrela

Ontem, após a finalização do último round da Copa do Nordeste vencido por pontos sobre o Campinense, pude, enfim, respirar. É que além do resultado do jogo pairava sobre a minha cabeça a preocupação com meus dois filhos mais velhos (Aline e Ramsés) que ganharam a estrada em busca da tal orelhuda, sonho de consumo de tantos clubes nordestinos.

Leia Mais

Dúvidas

Dúvidas

Digo logo de cara que não coube responsabilidade, ao conjunto da arbitragem, pela derrota do Santa Cruz para o Sport (1X2), apesar de o juiz ter, recorrentemente, interpretado contato como falta, quando vinha de um jogador coral e falta como contato, quando originada de algum jogador rubro-negro.

Leia Mais

Marcas da história e perspectiva de futuro

Marcas da história e perspectiva de futuro

Pela manhã, aconteceu o lançamento do livro de Paulo Aguiar denominado como “Santa Cruz - 100 nomes em 100 anos”. Foi um desfile de personalidades marcantes em busca da produção literária que procura resgatar o protagonismo de tantas pessoas na construção da história do “Mais Querido” e à tarde, mais um embate dentro das quatro linhas reuniria, no “Clássico das Emoções”, Santa Cruz e Náutico.

Leia Mais
1 de 8123...